Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeitos da exposição de ratos a um gato sobre as respostas comportamentais defensivas medidas pelo labirinto em T elevado (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BULOS, ERIKA MONDIN - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: COMPORTAMENTO; ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA; FÁRMACOS; PSICOBIOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: A ansiedade e o medo são emoções que têm suas bases neurais relacionadas aos mecanismos reguladores dos comportamentos de defesa dos animais. Propostas têm sido feitas relacionando disfunções nos circuitos neurais que regulam respostas defensivas observadas na interação presa-predador a distúrbios específicos de ansiedade como o distúrbio de pânico e o distúrbio de ansiedade generalizada. No presente trabalho procuramos estender as investigações quanto a natureza das reações aversivas apresentadas por ratos frente a um predador, o gato. Para tal, verificamos se a exposição ao gato vivo é capaz de gerar um estado de ansiedade em ratos que pode ser detectado pelo labirinto em T elevado. Este teste permite medir respostas defensivas que têm sido relacionadas ao pânico (fuga) e à ansiedade generalizada (esquiva inibitória). Os efeitos obtidos no labirinto em T elevado foram comparados aos obtidos no labirinto em cruz elevado. Além disso, avaliamos se as respostas defensivas observadas durante a exposição ao gato e posteriormente no labirinto em T elevado são alteradas pela administração do ansiolítico benzodiazepínico diazepam. Os resultados mostram que a exposição a um gato vivo gera respostas comportamentais defensivas de esquiva durante a apresentação do estímulo. A exposição ao predador favoreceu a aquisição da esquiva inibitória no LTE nos animais testados imediatamente, mas não 30 minutos após a exposição. A resposta de fuga do braço aberto do LTEnão foi alterada em nenhum dos grupos investigados. Como no LTE, a exposição ao predador produziu efeito ansiogênico de curta duração no LCE, ou seja, no grupo testado imediatamente, mas não 30 minutos após a exposição ao gato. A administração de diazepam prejudicou a aquisição da esquiva inibitória no teste do labirinto em T elevado sem alterar a resposta de fuga. Tais resultados farmacológicos sugerem que após a exposição ao predador, ocorre o desencadeamento ... de um estado de ansiedade que é clinicamente susceptível ao tratamento farmacológico com drogas benzodiazepínicas como a ansiedade generalizada. No entanto, o diazepam não alterou as respostas defensivas pelos animais medidas durante a exposição. Essa ineficácia do diazepam levanta a possibilidade de que nesta condição experimental a droga esteja atuando contra um estado de ansiedade no qual drogas benzodiazepínicas são clinicamente ineficazes, como por exemplo, as fobias
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.12.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800021429Bulos, Erika Mondin
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BULOS, Erika Mondin; ZANGROSSI JUNIOR, Hélio. Efeitos da exposição de ratos a um gato sobre as respostas comportamentais defensivas medidas pelo labirinto em T elevado. 2003.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2003.
    • APA

      Bulos, E. M., & Zangrossi Junior, H. (2003). Efeitos da exposição de ratos a um gato sobre as respostas comportamentais defensivas medidas pelo labirinto em T elevado. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Bulos EM, Zangrossi Junior H. Efeitos da exposição de ratos a um gato sobre as respostas comportamentais defensivas medidas pelo labirinto em T elevado. 2003 ;
    • Vancouver

      Bulos EM, Zangrossi Junior H. Efeitos da exposição de ratos a um gato sobre as respostas comportamentais defensivas medidas pelo labirinto em T elevado. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: