Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Programa sobre a comunicação não-verbal para a equipe de enfermagem baseado nos preceitos da reforma psiquiátrica (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CASTRO, ROSIANI DE CASSIA BOAMORTE RIBEIRO DE - EE
  • USP Schools: EE
  • Sigla do Departamento: ENC
  • Subjects: ENFERMAGEM PSIQUIÁTRICA (EDUCAÇÃO); PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM; SAÚDE MENTAL; COMUNICAÇÃO NÃO VERBAL
  • Language: Português
  • Abstract: A conjuntura social, política e legislativa brasileira vem respaldando mudanças na área da assistência em saúde mental nos últimos anos. O movimento da reforma psiquiátrica está instituído e segue avançando, ainda que de modo heterogêneo e lento. Acreditando que a principal reforma deva ocorrer dentro de cada indivíduo da sociedade como um todo, mas, em especial, dos profissionais de saúde, é que se propõe pensar a assistência pautada na compreensão de uma prática transformadora, diversificando mecanismos e estratégias, pensando na transformação e acréscimo de valores e saberes. Considerando o atual contexto, os objetivos deste estudo foram conceber um programa de treinamento sobre comunicação não-verbal, baseado nos pressupostos da reforma psiquiátrica e no programa de Silva (1993) para utilização com as equipes de Enfermagem que atuam em hospital-dia de saúde mental; aplicar o programa de treinamento para profissionais dessas equipes; verificar com os participantes o índice de assimilação do conteúdo do programa aplicado; e observar se a participação no programa educativo foi capaz de auxiliar na percepção da comunicação não-verbal na assistência cotidiana e sua relação com o contexto da reforma psiquiátrica. A pesquisa respeitou os requisitos de pesquisas com seres humanos, e foi desenvolvida nos hospitais-dia em saúde mental públicos municipais de São Paulo. Na primeira etapa o programa foi apresentado para 18 profissionais das equipes deEnfermagem (enfermeiras e auxiliares de Enfermagem) e verificou-se que: o índice de acertos das enfermeiras foi maior que o das auxiliares de Enfermagem. A maioria das participantes conseguiu citar corretamente exemplos de sinais não-verbais possíveis de serem detectados na assistência de Enfermagem Psiquiátrica cotidiana; o índice de aproveitamento foi alto, segundo a própria avaliação das participantes, o que sugere que houve interesse do grupo pelo assunto. Na segunda ) etapa do estudo, foi feita uma filmagem da enfermeira de um hospital-dia envolvendo uma interação individual com um usuário adulto, para enfocar a comunicação não-verbal da profissional. O registro da própria comunicação feito pela enfermeira ao se observar no vídeo, evidenciou que a mesma foi capaz de identificar os sinais não-verbais, embora em menor número que a pesquisadora e decodificá-los, em sua maioria, de modo correto. O registro sobre as características da unidade e da assistência, na maior parte, expôs que, no momento da coleta de dados, era delineada a busca de um modelo de assistência calcado no respeito, no acolhimento, na individualidade e demais preceitos da reestruturação da assistência. A equipe de Enfermagem participava, desenvolvia e coordenava atividades sistematizadas, de modo individual e grupal. Um campo de mudanças estava edificando-se na unidade pesquisada e embora não se possa fazer uma relação direta deste fato com a atuação da enfermeira, após participar doprograma de treinamento, pode-se afirmar que a mesma registrou ter aumentado seu conhecimento sobre a reforma psiquiátrica e a comunicação não-verbal; conseguiu perceber que as práticas cotidianas estão sendo alteradas e sua importância para a melhora da qualidade de assistência. Entendendo que é no microespaço onde se dá o primeiro passo, no estabelecimento das relações humanas, na formação dos vínculos que se dão no campo da saúde mental, é que se construirão práticas que, somadas às conjunturas sociais e políticas, produzirão mudanças significativas e duradouras. Usar a comunicação não-verbal de modo consciente é um dos instrumentos que possibilitará a equipe de Enfermagem avançar na consolidação de ações coerentes com os preceitos da reforma psiquiátrica, de modo que o discurso da humanização torne-se uma prática verdadeiramente vivenciada
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.12.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EE10200009178T2564
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CASTRO, Rosiani de Cássia Boamorte Ribeiro de; SILVA, Maria Júlia Paes da. Programa sobre a comunicação não-verbal para a equipe de enfermagem baseado nos preceitos da reforma psiquiátrica. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Castro, R. de C. B. R. de, & Silva, M. J. P. da. (2003). Programa sobre a comunicação não-verbal para a equipe de enfermagem baseado nos preceitos da reforma psiquiátrica. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Castro R de CBR de, Silva MJP da. Programa sobre a comunicação não-verbal para a equipe de enfermagem baseado nos preceitos da reforma psiquiátrica. 2003 ;
    • Vancouver

      Castro R de CBR de, Silva MJP da. Programa sobre a comunicação não-verbal para a equipe de enfermagem baseado nos preceitos da reforma psiquiátrica. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: