Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Bloqueio e morte celular programada em embriões bovinos: efeitos da fonte de suplementação protéica e da cinética do desenvolvimento (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GARCIA, SHEILA MERLO - FZEA
  • USP Schools: FZEA
  • Sigla do Departamento: ZAB
  • Subjects: APOPTOSE; EMBRIÃO DE ANIMAL; SUPLEMENTOS PROTEICOS PARA ANIMAIS; BOVINOS
  • Language: Português
  • Abstract: A eficácia do sistema de produção de embriões in vitro é dependente da maturação, fecundação e cultivo in vitro, e apesar de uma grande melhoria nos resultados de desenvolvimento embrionário in vitro, cerca de 40% dos oócitos bovinos fecundados não completam o desenvolvimento da fase de pré-implantação. Diversas causas podem estar relacionadas com este fenômeno, conhecido como bloqueio do desenvolvimento embrionário. Nossos objetivos foram determinar se a capacidade dos embriões bovinos em ultrapassar o bloqueio embrionário, e atingir o estádio de blastocisto é influenciada pelas condições de cultivo in vitro e se os processos de bloqueio embrionário e ativação da morte celular programada, nos primeiro ciclos celulares, estão correlacionados. Para tanto, dois grupos de embriões produzidos in vitro, com potenciais de desenvolvimento diferentes, foram cultivados em meio SOF suplementado com 10% de SFB ou 0,8% de BSA, em 5% CO2 e 5% O2, sem co-cultura. Os embriões foram separados em grupos de desenvolvimento rápido (R8) e lento (L8), de acordo com o tempo que levaram para atingir o 4º ciclo celular (respectivamente, 48 h e 90 h após a inseminação - hpi). Eventualmente o grupo lento foi separado às 48 hpi, antes de atingir o 4º ciclo celular, quando apresentava exatamente quatro células, formando o grupo L4. Os embriões R8 e L8 foram utilizados para medir a competência do desenvolvimento até o estádio de blastocisto para análise quanto ao número de célulastotais e número de células da massa celular interna e trofectoderma. Embriões de quatro e oito células foram submetidos ao ensaio cometa e a técnica de TUNEL para avaliação dos danos no DNA. 0 potencial de membrana mitocondrial foi analisado pela utilização dos marcadores Mitotracker Green e JC-1. A exposição da fosfatidilserina e a permeabilidade celular ao iodeto de propídeo foram verificadas nos embriões R8 e L4 às 48 hpi. Observou-se que os embriões ) suplementados com SFB ou BSA, pertencentes ao grupo de desenvolvimento lento, apresentaram maior taxa de bloqueio no 4º ciclo celular e menor competência para atingir o estádio de blastocisto quando comparados ao grupo de desenvolvimento rápido. No entanto, esses embriões (rápido e lento) tiveram mesma taxa de eclosão e razão células MCI/TE, levando a concluir-se que o bloqueio que ocorre nessa fase do desenvolvimento exerce uma seleção que iguala o potencial dos embriões que o ultrapassam. Os embriões suplementados com SFB apresentaram menor taxa de blastocisto e eclosão, menor número de núcleos dos blastocistos eclodidos; no entanto, a razão células MCI/TE manteve-se constante, indicando que uma possível inibição provocada pelo SFB ocorre em uma fase mais precoce do desenvolvimento embrionário. No início do desenvolvimento observou-se que os embriões suplementados com BSA ou SFB não apresentaram diferenças entre si. Nos embriões com 48 horas de cultivo não foram verificados núcleos fragmentados; no entanto, às90 hpi pôde-se observar um aumento significativo no aparecimento de núcleos TUNEL positivos, sugerindo a presença de fatores de proteção que impedem a fragmentação nas primeiras horas de cultivo. A coloração com Anexina V às 48 hpi permitiu avaliar o aparecimento de sinais precoces de apoptose, mais freqüente nos embriões de desenvolvimento lento, o que indica a ativação de algum mecanismo de morte celular anterior à fragmentação nuclear. Observou-se, ainda, que às 48 hpi, independente da velocidade de desenvolvimento, não há potencial de membrana detectado pelo JC-1, podendo ser um mecanismo que justifica a ausência de apoptose verificada nos embriões com 48 horas de cultivo. Em função dos resultados obtidos, pudemos concluir que a suplementação com SFB, no sistema utilizado, reduz a taxa de desenvolvimento e a qualidade dos blastocistos produzidos, diminuindo o número de ciclos ) celulares e a capacidade de eclosão. A suplementação com SFB durante o cultivo in vitro de embriões bovinos tem influência no bloqueio embrionário observado no início do desenvolvimento, independentemente da taxa de fragmentação do DNA nesses embriões. A exposição da fosfatidilserina às 48 hpi indica uma possível ativação da morte celular programada antes que o embrião tenha competência para realizar a fragmentação do DNA. Embriões de desenvolvimento lento têm maior freqüência de exposição da fosfatidilserina e de fragmentação nuclear, mostrando uma possível correlação entre mortecelular programada e bloqueio do desenvolvimento embrionário
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.04.2004

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FZEA11400009356T.645 2004 e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GARCIA, Sheila Merlo; MEIRELLES, Flávio Vieira. Bloqueio e morte celular programada em embriões bovinos: efeitos da fonte de suplementação protéica e da cinética do desenvolvimento. 2004.Universidade de São Paulo, Pirassununga, 2004.
    • APA

      Garcia, S. M., & Meirelles, F. V. (2004). Bloqueio e morte celular programada em embriões bovinos: efeitos da fonte de suplementação protéica e da cinética do desenvolvimento. Universidade de São Paulo, Pirassununga.
    • NLM

      Garcia SM, Meirelles FV. Bloqueio e morte celular programada em embriões bovinos: efeitos da fonte de suplementação protéica e da cinética do desenvolvimento. 2004 ;
    • Vancouver

      Garcia SM, Meirelles FV. Bloqueio e morte celular programada em embriões bovinos: efeitos da fonte de suplementação protéica e da cinética do desenvolvimento. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: