Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeitos da estruturação especial do campo aberto no comportamento exploratório de ratos e filhotes (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MARTINEZ, RAQUEL CHACON RUIZ - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: COMPORTAMENTO; ESTÍMULOS; PSICOBIOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Ratos, quando exploram um ambiente, exibem uma preferência por áreas próximas de superfícies verticais (tigmotatismo), talvez como uma estratégia de defesa contra predadores aéreos. O objetivo do presente trabalho foi o de analisar o papel da estruturação de um campo aberto no comportamento exploratório de ratos. No Experimento I, ratos foram distribuídos em grupos testados individualmente por 5 min em um campo aberto. Um grupo foi testado sem estruturação (grupo C). Os demais foram testados em campo aberto estruturado com dois cantos opostos fechados por uma terceira parede, que podia ser feita de madeira (M) ou de acrílico transparente (A) acoplada (+) ou não a um bloco de madeira sobre o qual os ratos podiam subir com facilidade. Estudaram-se cinco grupos: Controle (C) e zonas circunscritas pela terceira parede com os dois materiais (M, M+, A e A+). De um modo geral, os animais preferiram as zonas circunscritas por três paredes em comparação com os locais de 0, 1 e 2 paredes. No Experimento II, ratos foram testados individualmente ou em grupos de seis na arena com zonas circunscritas em dois cantos (M, M+, A e A+) por um período de 5 min .Observou-se Que tanto os animais testados individualmente como os agrupados exibiram o mesmo padrão de ocupação e preferiram os locais com 2 paredes e as zonas circunscritas em comparação com as áreas de 0 e 1 paredes. No último experimento utilizou-se a mesma estruturação do Experimento II, mas testaram-sefilhotes repetidas vezes aos 18, 20, 25, 30, 40 e 60 dias de idade, individualmente ou agrupados em seis, um período de 10 min. Observou-se que aos 18 e 20 dias de vida, os filhotes testados individualmente locomovem-se mais que os testados em grupo. A partir dos 25 dias, a locomoção dos filhotes testados em grupo aumentou e, a partir dos 30 dias, esses animais realizaram um maior número de entradas e um menor tempo gasto nos locais com 2 paredes e nas zonas ... circunscritas, em comparação com os filhotes testados individualmente. Pode-se concluir que o comportamento dos ratos, filhotes e adultos, é sensível ao número de paredes, havendo uma preferência por locais mais estruturados; no entanto, a presença de diferentes materiais constituintes da terceira parede e de bloco não alterou o comportamento dos animais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.02.2004

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800024118Martinez, Raquel Chacon Ruz
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MARTINEZ, Raquel Chacon Ruíz; MORATO, Sílvio. Efeitos da estruturação especial do campo aberto no comportamento exploratório de ratos e filhotes. 2004.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2004.
    • APA

      Martinez, R. C. R., & Morato, S. (2004). Efeitos da estruturação especial do campo aberto no comportamento exploratório de ratos e filhotes. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Martinez RCR, Morato S. Efeitos da estruturação especial do campo aberto no comportamento exploratório de ratos e filhotes. 2004 ;
    • Vancouver

      Martinez RCR, Morato S. Efeitos da estruturação especial do campo aberto no comportamento exploratório de ratos e filhotes. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: