Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Prevalência da habilidade dos movimentos da língua em 839 indivíduos (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MAIA, ROSA MARIA LOURENÇO CARLOS - FOB
  • USP Schools: FOB
  • Sigla do Departamento: BAL
  • Subjects: LÍNGUA; MOVIMENTO (FISIOLOGIA); HABILIDADES MOTORAS
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho avaliaram-se 839 indivíduos quanto à sua habilidade de movimentação lingual. Após a análise clínica dos indivíduos, constituíram-se oito grupos experimentais para a identificação de cada um dos seguintes movimentos linguais: para fora, para fora-nariz, para fora-mento, para fora-ápice dobrado, palato mole, palato duro, úvula, orofaringe, canaleta, rotação e filtrum. Os indivíduos foram analisados seguindo-se uma metodologia clínica padronizada. Os resultados permitem-nos afirmar que: 1) os movimentos linguais para fora, para os lados-externo, palato duro e dentro para-cima, foram realizados por quase todos os indivíduos; 2) os movimentos linguais para fora-mento, para fora-nariz, úvula e rotação foram pouco freqüentes e devem otimizar as funções linguais ou propiciar condições especiais para algumas habilidades; 3) os movimentos linguais para a orofaringe e úvula foram incomuns e sua verdadeira função ou vantagem não são conhecidas, elas podem denotar potencial de movimentos musculares que possivelmente possam ser requeridos em protocolos para exercícios fisioterapêuticos específicos; 4) a habilidade dos movimentos linguais não é explorada por todos os indivíduos e muitos se constrangem com a sua detecção ou com a sua exposição para com outros indivíduos; 5) a maioria dos indivíduos não foi capaz de relatar a história familiar da habilidade dos movimentos linguais. Apenas 26.46% relataram um caráter familiar para o desenvolvimento dahabilidade de movimentação lingual; 6) a faixa etária interfere na habilidade determinados movimentos linguais, especialmente o movimento denominado canaleta, em que se observa a sua formação por meio da união das bordas laterais da língua; 7) o gênero e a cor da pele não interferem na habilidade de movimentação lingual; 8) os movimentos linguais necessitam serem melhores definidos quanto à sua natureza, se hereditária ou se adquirida. Os resultados obtidos sugerem ) que os movimentos linguais são passíveis de aprendizados ou ainda serem desenvolvidos por meio de protocolos constando de fisioterapia específica com a finalidade de reabilitação do indivíduo; 9) por fim, consideramos que a abordagem fisioterapêutica da língua em casos de perda tecidual ou função motora comprometida deve ser fundamentada em bases anatômicas e funcionais abrindo novas perspectivas na recuperação dos indivíduos acometidos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.12.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FOB11600017470M28p
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MAIA, Rosa Maria Lourenço Carlos; CONSOLARO, Alberto. Prevalência da habilidade dos movimentos da língua em 839 indivíduos. 2003.Universidade de São Paulo, Bauru, 2003.
    • APA

      Maia, R. M. L. C., & Consolaro, A. (2003). Prevalência da habilidade dos movimentos da língua em 839 indivíduos. Universidade de São Paulo, Bauru.
    • NLM

      Maia RMLC, Consolaro A. Prevalência da habilidade dos movimentos da língua em 839 indivíduos. 2003 ;
    • Vancouver

      Maia RMLC, Consolaro A. Prevalência da habilidade dos movimentos da língua em 839 indivíduos. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: