Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Tramas que sustentam transformações: escrita criativa e autodesenvolvimento como aliados na construção de perfis e histórias de vida em jornalismo literário (2004)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BOTELHO, ANDREA PACETTA DE ARRUDA - ECA
  • USP Schools: ECA
  • Sigla do Departamento: CJE
  • Subjects: JORNALISMO LITERÁRIO; CRIAÇÃO LITERÁRIA
  • Language: Português
  • Abstract: Trata-se de uma experiência transdisciplinar com objetivo de instrumentalizar, em uma Oficina' de Escrita Criativa e autodesenvolvimento, um grupo de seis jornalistas para construir histórias de vida usando recursos do Jornalismo Literário Avançado. A experiência na oficina cultiva habilidades envolvidas nas etapas dessa construção jornalística: elaboração de pauta, captação de dados (com especial ênfase na entrevista), observação e produção de texto (incluindo edição). Alguns exemplos dessas habilidades são: a capacidade de observar, ouvir, relativizar; pensar, falar e escrever a partir de pontos de vista diferentes, relacionar-se, conviver, escrever e reescrever (editar). Se por um lado o autodesenvolvimento, entendido como um contínuo caminho de conhecer-se e transformar-se, contribui para um salto qualitativo na execução das etapas mencionadas (elaboração da pauta, captação dos dados e produção do texto), essas práticas em si, da forma como são exploradas na oficina, contribuem para o autodesenvolvimento, num circuito retroalimentado. O pano de fundo do objetivo do trabalho é o ideal de um fazer jornalístico humanizado e humanizante - um fazer sistêmico, que leve em consideração os contextos e personagens envolvidos nos fatos narrados, procurando apreender o melhor possível o todo no qual estão inseridos e ultrapassando sua superfície para mergulhar no conteúdo humano a eles relacionado, procurando também dar ao texto um tratamento estilístico que lhepermita fazer jus à densidade poética da vida retratada - o que é possível o Jornalismo Literário Avançado, especialmente em forma de grande reportagem, cuja maior expressão se encontra atualmente nos livros-reportagem. As práticas na oficina baseiam-se numa visão do ser humano como um todo integrado (corpo físico, essência, mente e emoções são indissociáveis) e imerso num contexto relacional e social. Tais práticas são: experiências com técnica de escrita criativa especialmente as do Jornalismo Literário Avançado); edição individual e coletiva de textos produzidos nas próprias reuniões; atividades grupais fundamentadas nas áreas de psicologia, teatro, terapias corporais e educação que ensejam a vivência e a discussão de temas relevantes para o objetivo do trabalho. A oficina se iniciou com um encontro intensivo de oito horas e prosseguiu em 14 encontros semanais (de mais ou menos duas horas e meia cada) ao longo de um semestre, ao fim do qual houve dois dias intensivos de encontro. Estabeleceram-se então os parâmetros básicos dentro dos quais cada um escreveria uma história de, vida sobre um personagem a escolher. Ao longo dos semestres seguintes houve oito encontros (de duas horas e meia), nos quais se discutiram as duas primeiras etapas da construção dessas histórias de vida específicas: preparação da pauta e captação de dados (entrevistas). Alguns meses depois do último encontro, voltamos a nos reunir mais cinco vezes paradiscutir a primeira versão dos textos e encerrar o trabalho. No total, foram 30 encontros, totalizando pouco mais de 70 horas de oficina. A análise prévia dos resultados (filmagem dos encontros, textos produzidos e depoimentos) indica que os integrantes do grupo fizeram conquistas em vários aspectos: ganho de fluidez e concisão na escrita e na elaboração de títulos, incremento na capacidade para editar, textos próprios e de outros, desejo e iniciativa de escrever com mais freqüência sobre situações observadas ou vivenciadas no cotidiano, maior facilidade na comunicação oral, ao expor idéias em grupo (na oficina e também fora dela), maior facilidade de organizar um conjunto de idéias para produzir uma matéria, diminuição da ansiedade em relação ao olhar do outro e ao próprio olhar - ou seja, à crítica e à autocrítica. A Tese aborda temas como criatividade, comunicação, jornalismo literário e literatura, mitologia, amadurecimento psicológico, educação, desenvolvimento do pensamento lógico; com base em idéias de autores como Edvaldo Pereira Lima, Cremilda Medina, Domenico de Masi, Lino de Macedo, Gilberto Safra, Luiz Paulo Grinberg, Donald W. Winnicott, Jean Piaget, Carl G. Jung, Amit Goswa1ni, Joseph Campbell, Carlos Drummond de Andrade, Fernando Pessoa, João Guimarães Rosa, Isabel Allende e outros.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.05.2004

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ECA20100035350t070.4498 B748t v.2 e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BOTELHO, Andrea Pacetta de Arruda; LIMA, Edvaldo Pereira. Tramas que sustentam transformações: escrita criativa e autodesenvolvimento como aliados na construção de perfis e histórias de vida em jornalismo literário. 2004.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.
    • APA

      Botelho, A. P. de A., & Lima, E. P. (2004). Tramas que sustentam transformações: escrita criativa e autodesenvolvimento como aliados na construção de perfis e histórias de vida em jornalismo literário. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Botelho AP de A, Lima EP. Tramas que sustentam transformações: escrita criativa e autodesenvolvimento como aliados na construção de perfis e histórias de vida em jornalismo literário. 2004 ;
    • Vancouver

      Botelho AP de A, Lima EP. Tramas que sustentam transformações: escrita criativa e autodesenvolvimento como aliados na construção de perfis e histórias de vida em jornalismo literário. 2004 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: