Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Reações de branqueamento de polpas celulósicas: utilização de dióxido de carbono no estado supercrítico (2005)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FRANCISCO, ROBERTA PACHECO - IQSC
  • USP Schools: IQSC
  • Subjects: CELULOSE; QUÍMICA
  • Language: Português
  • Abstract: A utilização de dióxido de carbono em condições supercríticas durante processos de deslignificação foi descrita na literatura para o tratamento de diferentes espécies de madeira. A eficiência apresentada em reações de polpação motivou a aplicação de dióxido de carbono no estado supercrítico, também em reações de branqueamento de polpas químicas. Este trabalho descreve os resultados obtidos a partir da utilização de dióxido de carbono no estado supercrítico e peróxido de hidrogênio, como um novo estágio para o branqueamento de polpa Kraft-'O IND. 2' de madeira de eucalipto (P(SC-CO2)) O uso de dióxido de carbono reduz o consumo de compostos clorados nas seqüências de branqueamento, minimiza a produção de efluentes e a contaminação ambiental.O principal objetivo deste trabalho foi estudar a eficiência do estágio P(SC-CO2) determinada pela comparação com o estudo do estágio padrão P. As seqüências-teste de branqueamento foram D(EP)DP(SC-CO2) e DEP(SC-CO2)DP, as quais foram comparadas com a seqüência padrão D(EP)DP. O estudo visa, principalmente, produção de polpas branqueadas, considerando a preservação da cadeia carbônica de celulose e a redução dos efluentes produzidos.A eficiência dos experimentos de branqueamento foi monitorada pela quantificação de lignina residual, viscosidade e alvura das polpas obtidas, seguindo procedimentos experimentais padronizados. Os experimentos foram realizados empregando-se diferentes condições experimentais para a otimização doestágio P(SC-CO2). Durante o processo de otimização, foram utilizados tempos de reação entre 30 e 60 minutos, temperaturas entre 56 e 80°C, consistência da polpa variando de 10 a 22% e teor de peróxido de hidrogênio entre 0,0 e 5,0% e pressão de 70bar. Os estudos de otimização (Continuacão) do estágio P(SC-CO2) demonstraram que o aumento dos valores correspondentes aos fatores tempo e temperatura de reação afetaram negativamente a viscosidade e positivamente a deslignificação. Baixos valores de consistência, quando utilizados a maiores temperaturas, também proporcionaram edução da viscosidade da polpa. O aumento da concentração de peróxido de hidrogênio não resultou em melhora da eficiência da deslignificação, considerando a redução de número kappa em relação à massa de peróxido de oxigênio consumida pela polpa. Estes estudos demonstraram que as melhores condições a serem empregadas no estágio de branqueamento P(SC-CO2) foram 0,5% de solução de peróxido de hidrogênio, 15% de consistência, 70°C e 30 minutos de reação e 70bar de pressão.Considerando o estudo da etapa de branqueamento, os melhores resultados foram verificados para a seqüência padrão D(EP)DP, que apresentou maior extensão de deslignificação, maiores valores para alvura e para viscosidade. A seqüência D(EP)DP(SC-CO2) apresentou perda de alvura no estágio final, fato que pode ser devido ao pH ácido do meio reacional, promovendo a oxidação dos carboidratos da polpa. Foram observados resultadospromissores para a seqüência DEP(SC-CO2)DP, que apresentou aumento de alvura, elevada redução do teor de ácidos hexenurônicos e expressiva extensão de deslignificação após o estágio com fluido supercrítico, alcançando alvura de 90,6 %ISO no estágio final
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.03.2005

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IQSC30800011275T1608
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FRANCISCO, Roberta Pacheco; CURVELO, Antônio Aprígio da Silva. Reações de branqueamento de polpas celulósicas: utilização de dióxido de carbono no estado supercrítico. 2005.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2005.
    • APA

      Francisco, R. P., & Curvelo, A. A. da S. (2005). Reações de branqueamento de polpas celulósicas: utilização de dióxido de carbono no estado supercrítico. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Francisco RP, Curvelo AA da S. Reações de branqueamento de polpas celulósicas: utilização de dióxido de carbono no estado supercrítico. 2005 ;
    • Vancouver

      Francisco RP, Curvelo AA da S. Reações de branqueamento de polpas celulósicas: utilização de dióxido de carbono no estado supercrítico. 2005 ;