Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Tomografia por emissão de pósitrons com sistemas PET/SPECT: um estudo da viabilidade de quantificação (2005)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: POZZO, LORENA - IF
  • USP Schools: IF
  • Sigla do Departamento: FGE
  • Subjects: TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA POR EMISSÃO DE PÓSITRON; RADIOFARMACOLOGIA; MEDICINA NUCLEAR
  • Language: Português
  • Abstract: A Tomografia por Emissão de Pósitrons (PET - Positron Emission Tomography) é uma modalidade de imagens para o diagnóstico em Medicina Nuclear. São utilizados radiofármacos emissores de pósitrons que possibilitam obter imagens que representam o processo bioquímico dessas substâncias no órgão ou tecido de interesse in vivo. São detectados, em coincidência, os fótons provenientes da aniquilação pósitron/elétron, que ocorre dentro do corpo do paciente. Esta informação é posteriormente utilizada para a reconstrução do objeto em estudo. Atualmente, existem dois tipos de equipamentos capazes de realizar estudos tomográficos por emissão de pósitrons: o dedicado e a câmara PET/SPCET. Este trabalho abordou este último tipo, que permite também a realização de exames habituais de Medicina Nuclear, que usam emissores de fótons. Existem dificuldades inerentes ao método de aquisição destas imagens que afetam a quantificação de índices ou atividade. Elas estão relacionadas ao fato de a emissão de radiação obedecer a uma distribuição de Poisson, às interações físicas da radiação com o corpo do paciente e com o detector, ao ruído devido à natureza estatística destas interações e de todo o processo de detecção, assim como à metodologia de aquisição dos exames (preparo e posicionamento do paciente, taxa de contagens etc.). Correções são propostas na literatura que não são totalmente implementadas pelos fabricantes: de espalhamento, de atenuação, de eventos aleatórios, dotempo morto, de decaimento, da resolução espacial e de outras características do equipamento. O objetivo deste trabalho foi o de realizar um estudo dos métodos aplicados por dois fabricantes, assim como algumas influências das características técnicas das câmaras PET/SPECT na obtenção do índice de SUV (Standardized Uptake Value). Para isso, dados de simuladores físicos, dispostos em várias montagens, foram obtidos com uma câmara no modo 3D e outra no modo 2D. ) Constatou-se também que a forma das fontes usadas para calibração influencia no resultado final e impõe novos desafios para a quantificação em uma situação clínica. Por fim, no momento da quantificação, a região de interesse deve x ser escolhida de acordo com aquela usada para a determinação dos coeficientes de correção e calibração. Verificou-se que é viável realizar quantificações com câmaras PET/SPECT, inclusive o índice SUV. Para tanto, além das correções citadas anteriormente, é imprescindível ter o equipamento bem ajustado, assim como a obtenção de coeficientes para normalização da sensibilidade e correção do efeito de volume parcial
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.03.2005

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IF30500046640616.07572 P894t D Ex.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      POZZO, Lorena; ROBILOTTA, Cecil Chow. Tomografia por emissão de pósitrons com sistemas PET/SPECT: um estudo da viabilidade de quantificação. 2005.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
    • APA

      Pozzo, L., & Robilotta, C. C. (2005). Tomografia por emissão de pósitrons com sistemas PET/SPECT: um estudo da viabilidade de quantificação. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Pozzo L, Robilotta CC. Tomografia por emissão de pósitrons com sistemas PET/SPECT: um estudo da viabilidade de quantificação. 2005 ;
    • Vancouver

      Pozzo L, Robilotta CC. Tomografia por emissão de pósitrons com sistemas PET/SPECT: um estudo da viabilidade de quantificação. 2005 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: