Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Tratamento químico do solo visando ao controle do cupim Coptotermes gestroi (Wasmann, 1896), (Isoptera: Rhinotermitidae) (2005)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BERNARDINI, JOAO FERNANDO - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LEF
  • Subjects: COMPORTAMENTO ANIMAL; CONTROLE QUÍMICO; CUPIM; INSETICIDAS; REPELENTES; TRATAMENTO DO SOLO
  • Language: Português
  • Abstract: O Coptotermes gestroi foi introduzido na região sudeste do Brasil, na década de 20, e, atualmente, causa prejuízos consideráveis em edificações, principalmente em centros urbanos, havendo necessidade de intervenção. Devido a isso, a presente pesquisa, conduzida no Laboratório e Campo experimental do Setor de Controle Químico do Departamento de Entomologia, Fitopatologia e Zoologia Agrícola, da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", da Universidade de São Paulo, em Piracicaba, Estado de São Paulo, objetivou avaliar a eficácia do tratamento químico do solo no controle de C. gestroi, observar o comportamento do cupim, ante o inseticida, com relação a repelência, e avaliar o efeito residual dos inseticidas no solo, realizando coletas mensais durante 6 meses. Cinco faixas de solo com textura média argilosa, pH 4,8 e 2,8% de matéria orgânica, com dimensões de 4 m de comprimento e 30 cm de largura, e 2 m entre elas, foram tratadas com 0,1% imidacloprid, 0,037% fipronil, 1,0% clorpirifós, 0,12% bifentrina e testemunha; o solo tratado foi protegido com lona plástica. As amostras de solo foram colocadas em tubos transparentes, de modo a tornar possível a observação do C. gestroi, que ficou 15 dias exposto dentro desse tubo.Nas avaliações com 6, 12, 24 e 48 horas após infestação, foi observada inibição do C. gestroi ao solo tratado com imidacloprid; com fipronil, não apresentou repelência; com clorpirifós, apresentou forte odor, provocandopossível desorientação dos cupins; bifentrina formou uma barreira química no solo impedindo a passagem dos mesmos; os que estavam presentes na testemunha realizaram os túneis por onde transitaram naturalmente. Em todas as avaliações, os solos tratados com fipronil e clorpirifós apresentaram 100% de mortalidade dos cupins no decorrer dos 180 dias; no solo tratado com imidacloprid até 60 dias, obteve-se 100%; 86,28%, na avaliação com 180 dias; no entanto esses cupins não causaram dano na madeira. Com bifentrina, a mortalidade variou entre 34,82 a 88,86%, mas os cupins vivos não ultrapassaram o solo tratado, portanto não causaram danos na madeira; apenas na testemunha houve dano. As concentrações de resíduos no solo evidenciaram maior mobilidade do imidacloprid; fipronil, clorpirifós e bifentrina apresentaram grandes variações entre as avaliações, indicando desuniformidade da faixa de solo tratada ou falha na amostragem do solo.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.09.2005

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500038541t632.736 B259t e.2 85976
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BERNARDINI, João Fernando; NAKANO, Octavio. Tratamento químico do solo visando ao controle do cupim Coptotermes gestroi (Wasmann, 1896), (Isoptera: Rhinotermitidae). 2005.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2005.
    • APA

      Bernardini, J. F., & Nakano, O. (2005). Tratamento químico do solo visando ao controle do cupim Coptotermes gestroi (Wasmann, 1896), (Isoptera: Rhinotermitidae). Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Bernardini JF, Nakano O. Tratamento químico do solo visando ao controle do cupim Coptotermes gestroi (Wasmann, 1896), (Isoptera: Rhinotermitidae). 2005 ;
    • Vancouver

      Bernardini JF, Nakano O. Tratamento químico do solo visando ao controle do cupim Coptotermes gestroi (Wasmann, 1896), (Isoptera: Rhinotermitidae). 2005 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: