Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo temporal da secreção de vasopressina e ocitocina durante choque séptico experimental induzido por ligadura e perfuração cecal (2005)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OLIVEIRA, GABRIELA RAVANELLI DE - FCFRP
  • USP Schools: FCFRP
  • Sigla do Departamento: S/D
  • Subjects: BIOCIÊNCIAS (APLICAÇÕES); FARMÁCIA
  • Language: Português
  • Abstract: Sepse é uma resposta sistêmica à infecção grave que apresenta várias alterações fisiológicas. Na fase tardia da sepse, estudos clínicos relatam baixa concentração plasmática de arginina-vasopressina (AVP) apesar do agravamento da hipotensão. Nosso objetivo foi avaliar as alterações temporais na neurossecreção de AVP e ocitocina (OT) após ligadura e perfuração cecal (CLP), o modelo animal de sepse experimental que mais adequadamente se assemelha a sepse em humanos. Ratos Wistar (200-250g) foram submetidos ao estímulo séptico por CLP (20 perfurações com agulha 16G) ou à operação fictícia (OF). Os animais foram decapitados em 0, 0,5, 2, 4, 6 ou 24h após a cirurgia. O sangue foi coletado para a determinação do hematócrito, osmolalidade (pOsm), proteína, NO, AVP e OT plasmáticos. O conteúdo hormonal também foi determinado na neuro- hipófise, núcleos paraventriculares (PVN) e supraópticos (SON) do hipotálamo. O hematócrito foi maior no grupo CLP entre 0,5h e 6h. A pOsm diminuiu apenas em 24h após CLP (268,1 mais ou menos 2,0mOsm/Kg, P<0,001). A concentração de proteínas plasmáticas diminuiu 4h após CLP (3,1 mais ou meno 0,6'micro'M; P<0,05), enquanto o NO plasmático iniciou um aumento progressivo (13,6 mais ou menos 1,6'micro'M; P<0,05) nesse período. A AVP plasmática no grupo CLP alcançou altas concentrações e mostrou dois picos, um maior imediatamente após a cirurgia (0min, 107,6 mais ou menos 18,0pg/mL, P<0,05) e outro menor após 6h (10,9 mais ou menos 2,2pg/mL, P<0,05). Aconcentração de OT plasmática também foi maior, mas seu perfil temporal difere da AVP. Quanto ao conteúdo hipotalâmico e neuro-hipofisário, os dois grupos (OF e CLP) apresentaram padrões completamente diferentes. No grupo CLP o aumento no conteúdo hipotalâmico de AVP ocorreu somente após o segundo pico plasmático desse hormônio (6h após CLP) e não foi suficiente para repor os estoques neuro-hipofisários. Quanto a OT o aumento no conteúdo ... hipotalâmico e neuro-hipofisário foi evidente somente 24h após o estímulo, quando a secreção desse hormônio está basal. Os resultados sugerem que o sistema neurossecretório hipotalâmico na fase tardia da sepse induzida por CLP está bastante comprometido, não sendo capaz de responder com o aumento da secreção hormonal aos estímulos fisiológicos, como hipotensão, apesar do aumentado conteúdo hipotalâmico.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.06.2005

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCFRP10600007333Oliveira, Gabriela Ravanelli
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Gabriela Ravanelli; ROCHA, Maria José Alves da. Estudo temporal da secreção de vasopressina e ocitocina durante choque séptico experimental induzido por ligadura e perfuração cecal. 2005.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005.
    • APA

      Oliveira, G. R., & Rocha, M. J. A. da. (2005). Estudo temporal da secreção de vasopressina e ocitocina durante choque séptico experimental induzido por ligadura e perfuração cecal. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Oliveira GR, Rocha MJA da. Estudo temporal da secreção de vasopressina e ocitocina durante choque séptico experimental induzido por ligadura e perfuração cecal. 2005 ;
    • Vancouver

      Oliveira GR, Rocha MJA da. Estudo temporal da secreção de vasopressina e ocitocina durante choque séptico experimental induzido por ligadura e perfuração cecal. 2005 ;