Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeitos do isolamento social crônico sobre a inibição pré-pulso e vocalização ultrassônica (2005)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: TOMAZINI, FERNANDA MARIANA - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: PSICOBIOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: O isolamento causa alterações importantes na reatividade comportamental de ratos a estímulos ambientais. É considerado um estímulo crônico de estresse e tem sido usado como modelo animal de depressão e ansiedade em ratos. As alterações emocionais, atencionais e cognitivas do isolamento podem ser importantes na etiologia de certos distúrbios psiquiátricos. Registros da freqüência e duração de vocalizações ultrassônica em 20-24 kHz em ratos quando expostos a situações ameaçadoras, como ambientes novos, têm sido considerados indicadores bastante confiáveis do medo e da ansiedade em roedores. Ao lado disso, estes animais apresentam uma queda no reflexo de sobressalto quando um estímulo sonoro fraco precede em alguns milissegundos a apresentação de sons intensos. Esta condição conhecida como inibição pré-pulso é um bom índice do funcionamento dos canais sensoriais e da atenção em animais de laboratório e no homem. No presente estudo, ratos adultos isolados aos 40 dias de idade, por duas semanas, foram submetidos ao teste de vocalização ultrassônica e ao teste da inibição pré-pulso. No teste de vocalização, eram feitos registros da freqüência e duração da emissão dessas vocalizações em animais colocados pela primeira vez na caixa experimental. Na inibição pré-pulso era medida a resposta de sobressalto do animal a um estímulo sonoro intenso sozinho como também quando precedido de um som de baixa intensidade. Os animais isolados mostraram uma baixa emissão de vocalizaçõesultrassônicas quando colocados no ambiente novo, mas não apresentaram qualquer alteração na IPP. Estes resultados indicam que a combinação de dois estímulos aversivos, isolamento e novidade, promove uma queda da reatividade defensiva do animal provavelmente por comutação entre substratos neurais responsáveis pela ansiedade e medo intenso. Apoiando esta possibilidade estão os resultados que mostram que estes efeitos não foram revertidos por ... uma resocialização por duas semanas nem pela administração de midazolam. Cotejando os dados aqui obtidos com outros relatos da literatura, é possível que o tempo de isolamento em que o animal é submetido seja crítico na determinação dos efeitos aversivos e na condição de funcionamento dos canais sensoriais de transmissão da informação de natureza aversiva do tronco cerebral para centros superiores.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.08.2005

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800018907Tomazini, Fernanda Mariana
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TOMAZINI, Fernanda Mariana; BRANDÃO, Marcus Lira. Efeitos do isolamento social crônico sobre a inibição pré-pulso e vocalização ultrassônica. 2005.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2005.
    • APA

      Tomazini, F. M., & Brandão, M. L. (2005). Efeitos do isolamento social crônico sobre a inibição pré-pulso e vocalização ultrassônica. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Tomazini FM, Brandão ML. Efeitos do isolamento social crônico sobre a inibição pré-pulso e vocalização ultrassônica. 2005 ;
    • Vancouver

      Tomazini FM, Brandão ML. Efeitos do isolamento social crônico sobre a inibição pré-pulso e vocalização ultrassônica. 2005 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: