Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Hércules no eta: uma tragédia estóica de sêneca (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: HELENO, JOSE GERALDO - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLC
  • Subjects: TRAGÉDIA (LITERATURA); ESTOICISMO
  • Language: Português
  • Abstract: O estoicismo de Sêneca apresenta traços que refletem sua condição pessoal de homem novo, de ator na história do Império Romano e de um pensador bastante livre. As linhas de seu pensamento, que se pode chamar de estóico-senequiano, estão presentes em toda sua obra: de maneira explícita, nas epístolas e nos diálogos; e implícita, na tragédia Hércules no Eta. Para essa tragédia, Sêneca buscou, como modelo principal, As Traquínias de Sófocles, cujas personagens recebem um tratamento tal, que se pode ler, em suas palavras e em suas ações, a expressão das virtudes e dos vícios nos três níveis: cósmico, imperial e individual. A relação entre essas três instâncias é garantida, principalmente, pela tensão sujeito-objeto e pela analogia como processo de conhecimento. Em seu pensamento bipolar, pode-se ler a presença dos princípios que perpassam toda a Natureza: o ativo (do lado do sujeito) e o passivo (na vertente do objeto). A expressão máxima do princípio ativo é, no universo, o Logos; no Império, a razão do príncipe, que constitui sua alma; no homem, a razão diretriz. O vício é o desequilíbrio em qualquer uma das instâncias, e consiste numa inversão que deixa a Razão fora do lugar que lhe cabe segundo a perfeição da Natureza. O reequilíbrio, no âmbito do Universo, se faz pela "conflagração universal"; no Império, pelo comando de um príncipe virtuoso; no indivíduo, pela prática da virtude, sob o comando da razão. Como no indivíduo, a virtude, que é igual à sabedoria, àfelicidade, à liberdade, é conquistada paulatinamente, o homem, em ) relação a ela, pode ser um stultus, um uacillans, um proficiens ou um sapiens. No Hércules de Hércules no Eta, convivem as três instâncias: a cósmica na conflagração universal, a do Império Romano, nas alusões político-históricas, e a do indivíduo, na trajetória exemplar do herói rumo à sabedoria e à apoteose. Sua trajetória, dividida entre um velho e um novo Hércules, promove, ainda, a passagem do tempo mítico para o tempo legal, do herói marcado pela hybris para o marcado pela uirtus
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.05.2006
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH20900006018T HELENO, JOS GERALDO 2006
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HELENO, José Geraldo; CARDOSO, Zélia Ladeira Veras de Almeida. Hércules no eta: uma tragédia estóica de sêneca. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8143/tde-23082007-123050/ >.
    • APA

      Heleno, J. G., & Cardoso, Z. L. V. de A. (2006). Hércules no eta: uma tragédia estóica de sêneca. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8143/tde-23082007-123050/
    • NLM

      Heleno JG, Cardoso ZLV de A. Hércules no eta: uma tragédia estóica de sêneca [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8143/tde-23082007-123050/
    • Vancouver

      Heleno JG, Cardoso ZLV de A. Hércules no eta: uma tragédia estóica de sêneca [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8143/tde-23082007-123050/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: