Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Papel do peroxinitrito na migração de neutrófilos para o foco infeccioso e na disfunção cardiovascular durante a sépsis (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: DUEÑAS, DIEGO TORRES - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFA
  • Subjects: IMUNOLOGIA CELULAR (FARMACOLOGIA)
  • Language: Português
  • Abstract: A falência de migração de neutrófilos (FMN), caracterizada pela deterioração do rolamento, adesão e migração dos neutrófilos para o foco infeccioso, representa um elemento chave no cenário da sépsis. O óxido nítrico (NO) derivado da sintase indutível do óxido nítrico (iNOS) parece ser o maior mediador desses eventos, uma vez que a inibição farmacológica ou genética (-\-) da iNOS atenua a FMN. No presente estudo demonstramos que o peroxinitrito está envolvido no efeito inibitório do NO sobre a migração de neutrófilos na sépsis grave. O tratamento com ácido úrico (inibidor do peroxinitrito) dos animais submetidos a sépsis polimicrobiana grave induzida por CLP melhora, significativamente, a migração de neutrófilos para o foco infeccioso. Conseqüentemente, diminui a contagem de bactérias no exsudato peritoneal e no sangue, reduziu a resposta inflamatória sistêmica determinada pelos níveis de citocinas circulantes e o grau de infiltração de neutrófilos no tecido pulmonar e aumentou a taxa de sobrevida dos animais. Ademais, foi observado um incremento na marcação para3-nitrotirosina (indicador morfológico da nitração dos resíduos de tirosina pelo peroxinitrito) no mesentério e nos leucócitos da cavidade peritoneal, a qual foi significativamente diminuída com o tratamento com ácido úrico. Assim, a inibição do peroxinitrito pode constituir um novo alvo terapêutico no controle do processo séptico. O presente trabalho também demonstra pela primeira vez que, operoxinitrito produzido durante o choque séptico (induzido por CLP) é responsável pelo colapso cardiovascular. É bem sabido que, inúmeros mediadores como citocinas, prostaglandinas, bradicinina, bem como o NO, aparecem envolvidos na disfunção cardiovascular presente na sépsis grave. Contudo, na última década, o peroxinitrito produzido pela reação entre o NO e o radical superoxido tem sido indicado como o responsável por alguns efeitos que eram atribuídos ao NO. No ) cenário da sépsis ou da endotoxemia, tem sido observado que o peroxinitrito é produzido durante a fase inicial da endotoxemia experimental e em pacientes sépticos. O peroxinitrito aparece como responsável pela diminuição da reatividade vascular aos agentes vasoconstritores durante o choque endotóxico. De fato, em nosso modelo foi observado também, que o pré-tratamento dos animais submetidos à lesão séptica grave com ácido úrico, AV (inibidor do peroxinitrito) preveniu de forma significativa a hipotensão grave, melhorou a resposta pressora, in vivo, à fenilefrina (agonista alfa 1 adrenérgico seletivo), diminuiu significativamente a marcação, no coração, de 3-nitrotirosina diretamente relacionada com a disfunção miocárdica dos animais em choque séptico polimicrobiano. Observou-se também uma hiper-reatividade contrátil cardíaca, basal, bem como em resposta à isoprenalina durante a fase inicial do choque séptico polimicrobiano a qual foi revertida pela inibição do peroxinitrito com AV.Encontramos significativas alterações estruturais cardíacas (Incremento no diâmetro dos cardiomiócitos e lesões miocitolíticas focais, múltiplas e difusas do miocárdio) nos animais submetidos ao choque séptico polimicrobiano. A inibição do peroxinitrito reverteu significativamente o incremento do diâmetro dos cardiomiócitos dos animais submetidos ao choque séptico polimicrobiano. Em,conclusão, nossos resultados demonstram uma correlação direta entre a produção incrementada do peroxinitrito durante o choque séptico e a alteração da interação leucócito-endotélio, a falência de migração dos neutrófilos e as alterações da estrutura e função miocárdica com deterioração do perfil hemodinâmico. Ainda, a inibição do peroxinitrito durante o choque séptico polimicrobiano preserva a atividade contrátil e estrutura miocárdica evitando a profunda depressão cardiovascular durante o choque séptico polimicrobiano
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.06.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200031924Dueas, Diego Torres
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DUEÑAS, Diego Torres; CUNHA, Fernando de Queiroz. Papel do peroxinitrito na migração de neutrófilos para o foco infeccioso e na disfunção cardiovascular durante a sépsis. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Dueñas, D. T., & Cunha, F. de Q. (2006). Papel do peroxinitrito na migração de neutrófilos para o foco infeccioso e na disfunção cardiovascular durante a sépsis. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Dueñas DT, Cunha F de Q. Papel do peroxinitrito na migração de neutrófilos para o foco infeccioso e na disfunção cardiovascular durante a sépsis. 2006 ;
    • Vancouver

      Dueñas DT, Cunha F de Q. Papel do peroxinitrito na migração de neutrófilos para o foco infeccioso e na disfunção cardiovascular durante a sépsis. 2006 ;