Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo do eixo GH-IGFs e IGFBPs em ß talassêmicos politransfundidos com sobrecarga de ferro (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PITHON, RENATA DE MELO - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Subjects: CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO; PEDIATRIA
  • Language: Português
  • Abstract: Os distúrbios do crescimento são freqüentes em ß talassêmicos politransfundidos. Concentrações baixas de IGF-I têm sido observadas nestes pacientes, e insensibilidade parcial ao GH ou deficiência de GH devido a depósito glandular de ferro, têm sido postulados como possibilidades. Entretanto, não está claro como a terapia quelante de ferro (TQF) pode interferir neste processo e na regulação do eixo GH-IGF-IGFBPs destes pacientes. Os objetivos deste trabalho foram avaliar as concentrações de IGF-I e IGFBPs em um grupo de talassêmicos em TQF e após suspensão temporária da mesma 7 dias, as possíveis correlações entre as concentrações de IGF-I e IGFBPs e o nível sérico de ferritina, e com a dose e a duração da TQF. Foram incluídos neste estudo 12 pacientes ß talassêmicos (6 do sexo masculino) com idade média de 16,4 ± 8,3 anos, início da TQF (desferrioxamina) com 2,4 ± 4,9 anos de idade e acúmulo de ferro corporal secundário à politransfusão. Foram realizadas coletas de sangue durante uso da TQF e 7 dias após sua suspensão para dosagem de IGF-I e das IGFBPs. O IGF-I foi dosado por ensaio imunorradiométrico enquanto que as IGFBPs foram analisadas pelo método de Western Ligand Blotting. Sete dos pacientes estudados apresentavam estatura < -1 EDP, sendo < -2 EDP em 3 deles. Quatro pacientes apresentavam hipogonadismo hipogonadotrófico e faziam reposição de esteróides sexuais, sendo que dois destes apresentavam também deficiência de GH e recebiam terapiasubstitutiva. As concentrações de IGF-I, baixas durante o uso de desferrioxamina, elevaram-se significativamente (p<0,05) após sua suspensão. Em 83% (10 pacientes) dos pacientes, as concentrações de IGF-I permaneceram abaixo da média esperada para a idade, mesmo após a suspensão temporária da TQF. Não foi observada alteração nas concentrações das IGFBPs com a suspensão da desferrioxamina. Entretanto, foi encontrada correlação estatisticamente significante entre a dose de uso da desferrioxamina e as concentrações da IGFBP-3 (r= 0,84 , p= 0,0061). Os resultados sugerem que a TQF em pacientes talassêmicos em esquema de politransfusão pode ter um importante papel na regulação do eixo GH-IGF-IGFBPs, atuando de forma distinta na regulação do IGF-I e IGFBP-3, influenciando portanto o crescimento destes pacientes. Vale ressaltar o cuidado que devemos ter na avaliação deste eixo nestes pacientes em vigência do uso contínuo de desferrioxamina. Este estudo contribui para melhor conhecimento da ação biológica da droga
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.05.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200032399PITHON, RENATA DE MELO
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PITHON, Renata de Melo; MARTINELLI JÚNIOR, Carlos Eduardo. Estudo do eixo GH-IGFs e IGFBPs em ß talassêmicos politransfundidos com sobrecarga de ferro. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Pithon, R. de M., & Martinelli Júnior, C. E. (2006). Estudo do eixo GH-IGFs e IGFBPs em ß talassêmicos politransfundidos com sobrecarga de ferro. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pithon R de M, Martinelli Júnior CE. Estudo do eixo GH-IGFs e IGFBPs em ß talassêmicos politransfundidos com sobrecarga de ferro. 2006 ;
    • Vancouver

      Pithon R de M, Martinelli Júnior CE. Estudo do eixo GH-IGFs e IGFBPs em ß talassêmicos politransfundidos com sobrecarga de ferro. 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: