Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Escola judaica: integração social e preservação cultural (1937-1972) (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: HOJDA, EDITH GROSS - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Subjects: JUDEUS; ESCOLAS; EDUCAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo da pesquisa foi estudar o funcionamento da Escola Israelita Brasileira Luiz Fleitlich, que foi inaugurada em 11 de abril de 1937, no Brás, para atender às solicitações dos moradores desse bairro e adjacências (Belém, Belenzinho, Tatuapé, Penha e Mooca).A Synagoga Israelita do Braz havia sido inaugurada em 1933, contando com 150 famílias como associadas e a escola surgiu em decorrência do seu pedido e da doação, pelo casal Luiz e Bertha Fleitlich, de uma pequena casa antiga localizada na Rua Bresser.O momento, 1937, foi especialmente complexo, pois esse foi o ano em que Getúlio Vargas, até então Presidente, assumiu um governo autoritário, xenófobo e nacionalista. As minorias compostas por imigrantes eram pressionadas em direção à rápida integração à nacionalidade brasileira, na perspectiva do conceito então em moda de melting-pot (mistura dos grupos de origem étnica diversa formando uma sociedade homogênea).Analisou-se o contexto socioeconômico do Brasil no período de formação da escola. Enquanto o nazismo e a perseguição aos judeus se tornavam virulentos, muitos países da América aceitavam igualmente essas posições. No Brasil, o Partido Integralista assumia uma postura ideológica semelhante ao nazi-fascismo europeu.Além disso, havia pressões contra quaisquer discrepâncias políticas ou ideológicas em relação ao Estado por parte do DEOPS (Departamento de Ordem Política e Social) junto às comunidades estrangeiras.A Era de Capanema, no Ministério deEducação e Saúde, se caracterizou por uma política educacional decorrente da ideologia do Estado Novo, de nacionalização e de obstrução a qualquer atividade dos estrangeiros em vários setores, ) principalmente no âmbito educacional.Analisa-se o histórico da Escola desde o seu surgimento, em abril de 1937, com o curso primário com quatro anos, equiparado ao grupo escolar, pela manhã, e o curso de hebraico planejado para cinco anos de duração, no período da tarde (durante um certo período de tempo, ele foi dado das 17 horas em diante). Mais tarde, os dois cursos funcionaram juntos no período da tarde. A escola cresceu até certo ponto, teve um bom número de alunos e depois, em decorrência das circunstâncias (êxodo dos judeus do bairro e a legislação educacional), encerrou suas atividades.A documentação encontrada no Arquivo Histórico Judaico-Brasileiro propiciou a oportunidade de análise da Estrutura da Escola em seus aspectos administrativos, de corpo docente e de corpo discente, bem como o conteúdo programático, tanto em português quanto em hebraico.Foram analisadas as transformações da legislação a partir de 1937, inclusive a legislação em relação aos estrangeiros durante o Estado Novo. A legislação educacional foi visualizada durante o período de Getúlio Vargas, quando a escola, como instituição de estrangeiros e judeus, foi constantemente vigiada pelos Inspetores Escolares. Foram enfatizadas também as mudanças na legislação, em 1946, e, sobretudo, a Lei de Diretrizes eBases de 1961 e a Reforma Educacional de 1971, que foi uma das causas do fechamento da escola.Foram realizadas entrevistas com uma amostra de ex-alunos da escola, de várias fases. Essas entrevistas foram analisadas com a finalidade de verificar as influências da escola sobre a trajetória de vida dos ex-alunos.Depois de integrados os capítulos, conclui-se a investigação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.06.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH20900006599T HOJDA, EDITH GROSS 2006
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HOJDA, Edith Gross; BEREZIN, Jaffa Rifka. Escola judaica: integração social e preservação cultural (1937-1972). 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
    • APA

      Hojda, E. G., & Berezin, J. R. (2006). Escola judaica: integração social e preservação cultural (1937-1972). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Hojda EG, Berezin JR. Escola judaica: integração social e preservação cultural (1937-1972). 2006 ;
    • Vancouver

      Hojda EG, Berezin JR. Escola judaica: integração social e preservação cultural (1937-1972). 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: