Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

O professor de Fisica e sua prática: perspectivas de uma reelaboração crítica (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OLIVEIRA, REBECA VILAS BOAS CARDOSO DE - FE
  • USP Schools: FE
  • Subjects: FÍSICA (ESTUDO E ENSINO); PRÁTICA DE ENSINO; FORMAÇÃO DE PROFESSORES; EDUCAÇÃO PERMANENTE
  • Language: Português
  • Abstract: A sociedade, incluindo a escola, reclama por um professor bem formado, referindo-se muitas vezes à sua formação formal, com o grau que lhe conferem as licenciaturas, por exemplo. Há, também, o discurso que defende o professor profissional reflexivo crítico, isto é, que a prática docente seja locus de formação contínua e que o professor se forme enquanto interage de forma crítica com seu universo profissional e vivencial, assumindo-se sujeito da ação, produtor de si. A formação docente acadêmica e sua prática profissional deveriam reforçar-se mutuamente, de modo que uma boa formação formal permitisse uma relação crítica do professor com sua prática letiva. Nessa perspectiva, um grupo de professores do ensino médio, licenciados em Física e pós-graduados ou pós graduandos em Ensino de Física, foram entrevistados, e a análise de seu discurso permitiu inferir que sua formação formal é um importante fator para conquistarem a autonomia de um profissional reflexivo, possibilitando, também, que o trabalho docente seja uma instância formadora. Esses professores buscam compreender o sentido de sua disciplina e seu papel na formação do aluno, mas a não existência de um projeto pedagógico na escola reduz sua ação à sua sala de aula. A ausência de ações coordenadas na escola é reflexo de uma política pública de educação, que centraliza seu discurso na formação docente, mas não o concretiza em ações. Desta forma, são as particulares visões de ciência e de educação do professor queguiam suas práticas letivas, influenciando diretamente sua seleção de conteúdo e de estratégias de ensino. ) E sua reflexão se reduz às relações que consegue estabelecer com sua sala de aula, apartada da escola. Essa relação individual do professor com as dimensões da docência envolvidas em sua preparação para entrar em uma sala de aula, sem parcerias, explicita sua solidão e a de todos aqueles que freqüentam a escola. Como a comunidade escolar não se constitui, não se estabelece uma consciência crítica coletiva, necessária para uma transformação sócio-cultural e, portanto, para que se caracterize a ação docente como uma prática reflexiva e a escola como local de práticas sociais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.05.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FE20500071384371.12 O48p
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Rebeca Vilas Boas Cardoso de; HOSOUME, Yassuko. O professor de Fisica e sua prática: perspectivas de uma reelaboração crítica. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
    • APA

      Oliveira, R. V. B. C. de, & Hosoume, Y. (2006). O professor de Fisica e sua prática: perspectivas de uma reelaboração crítica. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Oliveira RVBC de, Hosoume Y. O professor de Fisica e sua prática: perspectivas de uma reelaboração crítica. 2006 ;
    • Vancouver

      Oliveira RVBC de, Hosoume Y. O professor de Fisica e sua prática: perspectivas de uma reelaboração crítica. 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: