Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Desenvolvimento e caracterização de micropartículas de PLGA para veiculação de ácido retinóico na pele (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CORDO, PALOMA DE LOS ANGELES GAZOLA - FCFRP
  • USP Schools: FCFRP
  • Sigla do Departamento: 602
  • Subjects: MEDICAMENTO; COSMÉTICOS
  • Language: Português
  • Abstract: O envelhecimento cutâneo é um fenômeno evolutivo e inevitável, induzido por fatores intrínsecos e extrínsecos. Atualmente existem várias técnicas eficazes de tratamento e prevenção do envelhecimento cutâneo, dentre elas destacamos o uso tópico do ácido retinóico. O ácido retinóico têm sido utilizado como ativo cosmético em preparações tópicas por apresentar propriedades de regulação da diferenciação e proliferação dos tecidos epiteliais, atuando no fotoenvelhecimento, acne e estrias. Nos últimos anos, muitos sistemas de liberação de fármacos têm sido desenvolvidos. Eles podem aumentar a estabilidade de compostos lábeis, modular a liberação e direcioná-Ia a um sítio específico, melhorando a eficácia e diminuindo os efeitos colaterais. As micropartículas obtidas a partir de polímeros biodegradáveis têm se mostrado eficientes para a veiculação de muitas substâncias ativas. Neste contexto o poli(ácido láctico-co-glicólico) (PLGA), um polímero sintético, constitui um dos polímeros utilizados na produção destes sistemas para administração por diferentes vias, incluindo a tópica. No presente trabalho micropartículas de PLGA contendo ácido retinóico para aplicação tópica foram preparadas pelo método de emulsão e evaporação de solvente e avaliadas com relação à distribuição de tamanho, à morfologia e a eficiência de encapsulação. Estudos relativos ao desenvolvimento da metodologia analítica para a quantificação do ácido retinóico também foram realizados. As análises pormicroscopia ótica e microscopia eletrônica de varredura demonstraram que o método desenvolvido permitiu a obtenção de micropartículas esféricas, com superfície regular e ausência de agregados. A avaliação do tamanho e da distribuição do tamanho indicou que as partículas possuem diâmetro médio situado na faixa de 1591 a 2000 nm, com uma distribuição granulométrica uniforme. Os estudos in vitro demonstraram que a liberação do ácido retinóico à partir dos ) sistemas desenvolvidos é sustentada. Os estudos preliminares in vitro de permeação e retenção cutânea do fármaco permitiram verificar que as micropartículas de ácido retinóico não apresentam uma permeação significativa e ainda que elas permanecem no estrato córneo, bem como na derme podendo liberar o fármaco de maneira sustentada. Assim, pode-se considerar que o ácido retinóico encapsulado em micropartículas de PLGA constitui um sistema de liberação promissor para a veiculação deste na pele, pois pode minimizar os efeitos irritantes provocados pela veiculação direta do fármaco na mesma
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.04.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCFRP10600007937Cordo, Paloma de Los Angeles G
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CORDO, Paloma de Los Angeles Gazola; MARCHETTI, Juliana Maldonado. Desenvolvimento e caracterização de micropartículas de PLGA para veiculação de ácido retinóico na pele. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Cordo, P. de L. A. G., & Marchetti, J. M. (2006). Desenvolvimento e caracterização de micropartículas de PLGA para veiculação de ácido retinóico na pele. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Cordo P de LAG, Marchetti JM. Desenvolvimento e caracterização de micropartículas de PLGA para veiculação de ácido retinóico na pele. 2006 ;
    • Vancouver

      Cordo P de LAG, Marchetti JM. Desenvolvimento e caracterização de micropartículas de PLGA para veiculação de ácido retinóico na pele. 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: