Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Contribuição ao desenvolvimento de programas sobre a durabilidade de reparos de argamassa, em estruturas de concreto com corrosão de armaduras (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BERTOLO, RENATA SPINELLI - EP
  • USP Schools: EP
  • Sigla do Departamento: PCC
  • Subjects: ESTRUTURAS DE CONCRETO (DURABILIDADE); ARGAMASSA
  • Language: Português
  • Abstract: No setor da Construção Civil, o conceito de Desenvolvimento Sustentável proposto pela ONU, na Agenda XXI, demanda a evolução das tecnologias de manutenção dos edifícios. Neste contexto reside a importância deste trabalho, que visa contribuir para o desenvolvimento de programas de durabilidade de sistemas de reparos de argamassas em estruturas de concreto com corrosão de armaduras, uma das tecnologias mais usuais na manutenção corretiva dessas estruturas. A durabilidade de reparos de argamassas é uma propriedade complexa e definida por um conjunto de variáveis que envolvem além das características intrínsecas das argamassas, muitos outros aspectos de projeto, execução e manutenção, como mostra o estado da arte aqui apresentado. Este estudo propõe uma sugestão para futura normalização de materiais de reparo, devido à grande diversidade destes materiais disponíveis no mercado nacional sem normalização para fabricação, especificação e execução dos serviços. O programa experimental é um estudo complementar de análise das argamassas de Moreno Júnior (2002) e Medeiros (2002) e do concreto de referência desses trabalhos, com fck igual a 25 MPa. O objetivo principal aqui foi comparar o nível de proteção potencial oferecido pelas argamassas às barras de aço, por envelhecimento de alguns dos corpos-de-prova de Medeiros (2002), em condições de exposição favoráveis à carbonatação e retração lenta. Por cerca de 650 dias adotou-se umidade relativa baixa 50% ± 10%,seguida pela ciclagem higro-térmica dos corpos-de-prova em câmara úmida, com umidade relativa 95% ± 5%, temperatura 23°C ± 2°C, e depois em estufa a 40°C. Essa alternância de umidade pode ser crítica para a durabilidade dos reparos apenas a médio e longo prazo, principalmente em obras com condições agressivas de exposição dos elementos reparados ao intemperismo, e que sejam inicialmente tratadas por sistemas superficiais de proteção. ) A proteção superficial perde sua eficácia com o passar do tempo e, não havendo manutenção regular, expõe os reparos a condições de deterioração bem diferente da situação inicial e seca dos primeiros anos de reparo. Concluiu-se que: a) as argamassas de reparo experimentaram valores de retração lenta por secagem muito superior aos das movimentações higro-térmicas pela ciclagem; b) o nível de proteção ao aço oferecido pelas argamassas apenas se diferencia em umidade relativa muito elevada, pois na condição de atmosfera ambiente normal em laboratório, a impedância resistiva das treze argamassas estudadas equipara-se a valores considerados de média proteção, independente da resistência à compressão e à carbonatação, e da absorção e porosidade capilar ou microestrutura; c) a ciclagem higro-térmica parece ter interferido na porosidade das argamassas, e a porosimetria indicou tendência à diminuição do tamanho médio dos poros. Os experimentos permitiram ainda constatar, pela ciclagem higro-térmica deste trabalho, muita heterogeneidade na evoluçãoda frente de carbonatação para algumas das argamassas. Houve certas evidências de relação deste comportamento com o teor de ar no estado fresco. O estudo de previsão de durabilidade de reparos localizados com essas argamassas deve prosseguir em pesquisas dessa natureza e de suscetibilidade à formação de macrocélulas. Até aqui não se viram vantagens técnicas consideráveis para o emprego de argamassas de reparo de alta resistência para reparos localizados em estruturas de concreto convencionais ou comuns com corrosão de armaduras por carbonatação, principalmente se não houver um controle de aplicação das argamassas que possa ser efetivo para interferir nas variáveis de preparo, aplicação e cura, que por sua vez têm grande influência também nas características finais do reparo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 28.06.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EPBC31200016449FD-4370
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BERTOLO BUONOPANE, Renata Spinelli; SELMO, Sílvia Maria de Souza. Contribuição ao desenvolvimento de programas sobre a durabilidade de reparos de argamassa, em estruturas de concreto com corrosão de armaduras. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
    • APA

      Bertolo Buonopane, R. S., & Selmo, S. M. de S. (2006). Contribuição ao desenvolvimento de programas sobre a durabilidade de reparos de argamassa, em estruturas de concreto com corrosão de armaduras. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Bertolo Buonopane RS, Selmo SM de S. Contribuição ao desenvolvimento de programas sobre a durabilidade de reparos de argamassa, em estruturas de concreto com corrosão de armaduras. 2006 ;
    • Vancouver

      Bertolo Buonopane RS, Selmo SM de S. Contribuição ao desenvolvimento de programas sobre a durabilidade de reparos de argamassa, em estruturas de concreto com corrosão de armaduras. 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: