Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo anatômico, morfológico, histoquímico e ultra-estrutural da glândula de Duvernoy de seis espécies de colubrídeos opistóglifos (Serpentes - Colubridae - Xenodontinae) (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SERAPICOS, ELIANA DE OLIVEIRA - FMVZ
  • USP Schools: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VPT
  • Subjects: GLÂNDULA SUBLINGUAL; TOXINAS; MORFOLOGIA ANIMAL; ANATOMIA ANIMAL; SERPENTES
  • Language: Português
  • Abstract: Os colubrídeos tem sido responsáveis por diversos acidentes graves, inclusive fatais, em seres humanos por todo o mundo. No Hospital Vital Brazil do Instituto Butantan, em São Paulo, 40% dos acidentes ofídicos registrados são causados por serpentes consideradas não-peçonhentas. Dentre estas, 97,3% pertencem à família Colubridae, onde 54,5% apresentam dentição áglifa e 42,8% dentição opistóglifa. Contudo, alguns acidentes envolvendo os colubrídeos opistóglifos podem desencadear manifestações clínicas semelhante ao acidente botrópico. Este fato tem causado muitas discussões, pois devido a um diagnóstico errôneo ou pela gravidade do acidente, muitas vezes é administrado o soro anti-botrópico, que em muitos casos pode ser ineficaz ou até prejudicial ao paciente. Vale ressaltar que raros são os estudos relacionados ao aparelho de "veneno" dos colubrídeos. Deste modo, tivemos como objetivo estudar as características anatômicas, morfológicas e ultra-estruturais da glândula de Duvernoy de seis espécies de colubrídeos opistóglifos. São eles, Philodryas olfersii e Philodryas patagoniensis da Tribo Philodryadini, Oxyrhopus guibei e Phimophis guerrini da Tribo Pseudoboini e Thamnodynastes strigatus e Tomodon dorsatus da Tribo Tachymenini. As glândulas de Duvernoy das espécies em questão foram analisadas macroscopicamente para descrição das características anatômicas. Foram então, fixadas em líquido de Bouin para posterior processamento histológico paraanálise morfológica e histoquímica. Para o estudo ultra-estrutural, as glândulas de Duvernoy foram fixadas em glutaraldeído 2,0% em tampão cacodilato 1,0M (pH 7,3) para posterior preparação de acordo com o protocolo pré-estabelecido. Os resultados obtidos mostraram que a referida glândula apresenta duas porções bem distintas, sendo a glândula supra-labial e a glândula de Duvernoy propriamente dita, as quais variam de forma e tamanho segundo a espécie. A glândula de Duvernoy ) é constituída basicamente por túbulos secretores e ductos excretores. As células dos túbulos secretores podem produzir substâncias de diferentes composições químicas, dependendo da espécie. Os resultados histoquímicos mostraram que a maioria das espécies analisadas apresenta uma glândula de natureza seromucosa, e apenas uma espécie teve a glândula de Duvernoy classificada como mucoserosa. Os grânulos de secreção presentes no citoplasma das células secretoras, observados nas eletromicrografias, corroboram os resultados histoquímicos, já que a eletrondensidade dos mesmos caracteriza a natureza das células. A função da glândula de Duvernoy está diretamente relacionada ao hábito alimentar destas serpentes e ao modo pelo qual subjugam as suas presas. As serpentes que apresentam a glândula de Duvernoy com características mucoserosas subjugam as suas presas por constricção. Já as espécies que possuem a glândula de Duvernoy com natureza seromucosa utilizam o processo de envenenamento daspresas para se alimentarem. Deste modo, as serpentes garantem o sucesso na imobilização das presas, impedindo que estas utilizem táticas defensivas perigosas à serpente, independente do uso da constricção
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.06.2006
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMVZ11300028744T.1684 FMVZ
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SERAPICOS, Eliana de Oliveira; MERUSSE, José Luiz Bernardino. Estudo anatômico, morfológico, histoquímico e ultra-estrutural da glândula de Duvernoy de seis espécies de colubrídeos opistóglifos (Serpentes - Colubridae - Xenodontinae). 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-26032007-141854/ >.
    • APA

      Serapicos, E. de O., & Merusse, J. L. B. (2006). Estudo anatômico, morfológico, histoquímico e ultra-estrutural da glândula de Duvernoy de seis espécies de colubrídeos opistóglifos (Serpentes - Colubridae - Xenodontinae). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-26032007-141854/
    • NLM

      Serapicos E de O, Merusse JLB. Estudo anatômico, morfológico, histoquímico e ultra-estrutural da glândula de Duvernoy de seis espécies de colubrídeos opistóglifos (Serpentes - Colubridae - Xenodontinae) [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-26032007-141854/
    • Vancouver

      Serapicos E de O, Merusse JLB. Estudo anatômico, morfológico, histoquímico e ultra-estrutural da glândula de Duvernoy de seis espécies de colubrídeos opistóglifos (Serpentes - Colubridae - Xenodontinae) [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10133/tde-26032007-141854/