Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Tendência da mortalidade em mulheres de 10 a 49 anos no Brasil (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RIBEIRO, KAREN TOKUHASHI - FSP
  • USP Schools: FSP
  • Subjects: MULHERES; MORTALIDADE (TENDÊNCIAS); LEVANTAMENTOS EPIDEMIOLÓGICOS; MORTALIDADE MATERNA (TENDÊNCIAS); COEFICIENTE DE MORTALIDADE; FATORES DE RISCO; DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL; CAUSA DA MORTE; BRASIL (EPIDEMIOLOGIA)
  • Language: Português
  • Abstract: Trata-se de um estudo descritivo, em série histórica, utilizando dados secundários. Objetivo: Descrever a tendência da mortalidade em mulheres de 10 a 49 anos no Brasil, entre 1980 e 2000, observando os anos censitários e as variáveis epidemiológicas disponíveis nas estatísticas oficiais. Métodos: Populações de estudo: a) óbitos de mulheres de 10 a 49 anos residentes no Brasil e ocorridos nos triênios 1979/1981, 1990/1992 e 1999/2001; e b) mulheres de 10 a 49 anos, residentes no Brasil, em 1979/1981, 1990/1992 e 1999/2001. Variáveis estudadas: faixa etária, local de residência, triênio e causa básica da morte. Para a comparação temporal e espacial foi efetuada a padronização dos coeficientes. Resultados: Os óbitos de mulheres em idade fértil (MIF) representaram 16,7 por cento do total de óbitos femininos no Brasil, com tendência de queda e o coeficiente geral decresceu, em média, 28 por cento no Brasil e regiões. A estimativa do risco de uma mulher em idade fértil morrer foi maior no Sudeste e menor no Sul e Nordeste. As doenças do aparelho circulatório foram a 1ª causa da morte em MIF, entre elas , as doenças cerebrovasculares e a isquêmia do coração foram as mais importantes e decresceram no tempo, exceto no Norte e Nordeste. Neoplasias reduziram-se em 3 por cento no Brasil; as únicas regiões que passaram por aumento no tempo foram Nordeste e Centro-Oeste. Câncer de mama foi o mais importante sítio do tumor nas regiões, exceto no Norte, ondepredominou a mortalidade por câncer do colo uterino. Neoplasias de mama e pulmão apresentaram tendência de aumento em todo o país, enquanto de estômago e colo uterino apresentaram tendência de queda. A região Sul foi a única a apresentar aumento nas mortes por neoplasias de colo uterino. Os homicídios aumentaram em 82 por cento no Brasil, enquanto as mortes por acidentes de trânsito diminuíram no país, exceto no Sul e Centro-Oeste. ) Suicídios aumentaram no Norte, Nordeste e Centro-Oeste. A queda na mortalidade por doenças infecciosas e parasitárias foi afetada pelo surgimento da aids, responsável por metade desses óbitos, no Brasil, ocorrendo, principalmente, entre 30 e 34 anos. A razão de mortalidade materna variou de 92,4 para 53,5 óbitos por cem mil nascidos vivos. Ocorreu diminuição das causas obstétricas diretas e aumento das indiretas, condizente com uma melhor assistência. Diabetes Mellitus apresentou tendência de aumento no tempo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.09.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FSP11800038315Mtr 1455
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RIBEIRO, Karen Tokuhashi; GOTLIEB, Sabina Léa Davidson. Tendência da mortalidade em mulheres de 10 a 49 anos no Brasil. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.
    • APA

      Ribeiro, K. T., & Gotlieb, S. L. D. (2006). Tendência da mortalidade em mulheres de 10 a 49 anos no Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Ribeiro KT, Gotlieb SLD. Tendência da mortalidade em mulheres de 10 a 49 anos no Brasil. 2006 ;
    • Vancouver

      Ribeiro KT, Gotlieb SLD. Tendência da mortalidade em mulheres de 10 a 49 anos no Brasil. 2006 ;