Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo cefalométrico comparativo das alterações promovidas pelos aparelhos de protração mandibular e pendulum, associados ao aparelho fixo, no tratamento da má oclusão de classe II, 1ª divisão (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BRANDÃO, ANALU GIAMPIETRO - FOB
  • USP Schools: FOB
  • Sigla do Departamento: BAO
  • Subjects: MALOCLUSÃO DE ANGLE CLASSE III; CEFALOMETRIA; DISTALIZAÇÃO DE MOLARES; APARELHO ORTODÔNTICO FIXO
  • Language: Português
  • Abstract: Realizou-se um estudo cefalométrico comparativo, por meio de telerradiografias em norma lateral, das alterações dentoesqueléticas e tegumentares promovidas pelos Aparelhos de Protração Mandibular (APM) e Pendulum, seguidos de terapia fixa no tratamento da má oclusão de Classe II, 1ª divisão. A amostra foi composta de 136 telerradiografias em norma lateral de 68 jovens brasileiros que foram divididos em 3 grupos. Grupo 1 - 23 pacientes (11 do gênero masculino e 12 do feminino) tratados com APM e terapia fixa por um período médio de 2,85 anos; Grupo 2 - 22 pacientes (06 do gênero masculino e 16 do feminino) tratados com aparelho Pendulum e aparelho ortodôntico fixo por 4,06 anos e Grupo 3 (controle) - 23 pacientes (11 do gênero masculino e 12 do feminino) com má oclusão de Classe II não tratada, observados por 2,85 anos. Os pacientes foram compatibilizados de acordo com a idade, gênero, severidade da má oclusão e variáveis cefalométricas iniciais. Somente o tempo de tratamento apresentou diferença significante, por isso as alterações do grupo 2 foram ajustadas para 2,85 anos. Utilizou-se a análise de variância a um critério - ANOVA - para comparar as idades iniciais e finais, tempo de observação, valores cefalométricos iniciais e alterações pós-tratamento. A distribuição do gênero e a severidade da má oclusão foi analisada pelo teste do Qui-quadrado (p<0,05). Nenhum dos protocolos de tratamento analisados promoveu alterações maxilares e verticais. Ogrupo 1 (APM) apresentou um aumento estatisticamente significante do comprimento mandibular e da protrusão mandibular; lingualização e retrusão dos incisivos superiores; deslocamento mesial e extrusão dos molares inferiores e retrusão do lábio superior em relação ao grupo 2. O grupo 2 apresentou uma significante restrição do deslocamento mesial dos molares superiores em relação ao grupo controle. Ambos os grupos tratados promoveram uma significante vestibularização ) e protrusão dos incisivos inferiores em relação ao grupo controle. Os dois protocolos de tratamento promoveram melhora da convexidade facial, da relação esquelética de Classe II, trespasses vertical e horizontal. Dessa maneira pode-se concluir que os dois aparelhos analisados corrigiram a má oclusão de Classe II, 1ª divisão por diferentes modos de ação, sendo que o APM atuou no componente mandibular e nas estruturas dentoalveolares e o aparelho Pendulum corrigiu a má oclusão, principalmente por alterações dentoalveolares
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.06.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FOB11600021470B733e
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BRANDÃO, Analu Giampietro; ALMEIDA, Renato Rodrigues de. Estudo cefalométrico comparativo das alterações promovidas pelos aparelhos de protração mandibular e pendulum, associados ao aparelho fixo, no tratamento da má oclusão de classe II, 1ª divisão. 2006.Universidade de São Paulo, Bauru, 2006.
    • APA

      Brandão, A. G., & Almeida, R. R. de. (2006). Estudo cefalométrico comparativo das alterações promovidas pelos aparelhos de protração mandibular e pendulum, associados ao aparelho fixo, no tratamento da má oclusão de classe II, 1ª divisão. Universidade de São Paulo, Bauru.
    • NLM

      Brandão AG, Almeida RR de. Estudo cefalométrico comparativo das alterações promovidas pelos aparelhos de protração mandibular e pendulum, associados ao aparelho fixo, no tratamento da má oclusão de classe II, 1ª divisão. 2006 ;
    • Vancouver

      Brandão AG, Almeida RR de. Estudo cefalométrico comparativo das alterações promovidas pelos aparelhos de protração mandibular e pendulum, associados ao aparelho fixo, no tratamento da má oclusão de classe II, 1ª divisão. 2006 ;