Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

CIPESC® Curitiba: proposta de uma ferramenta re-leitora da face coletiva do processo saúde-doença (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CUBAS, MARCIA REGINA - EE
  • USP Schools: EE
  • Subjects: ENFERMAGEM EM SAÚDE PÚBLICA; PRÁTICA PROFISSIONAL (ENFERMAGEM); PROCESSO SAÚDE-DOENÇA; ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM (CLASSIFICAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: O projeto Classificação Internacional das Práticas de Enfermagem em Saúde Coletiva - CIPESC® , embasado nos princípios do SUS e da Saúde Coletiva, foi desenvolvido pela Associação Brasileira de Enfermagem, como contribuição brasileira à CIPE – Classificação Internacional para as Práticas de Enfermagem. A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba adotou a CIPESC®, num sistema operacional informatizado, para registro da consulta de Enfermagem. O presente estudo interroga as potencialidades e os limites dos instrumentos de trabalho da Enfermagem em saúde coletiva para a captura da face coletiva dos indivíduos. Teve como objetivo geral formular as bases para a construção de uma ferramenta re-leitora do Processo Saúde-doença, com privilégio para a face coletiva, por meio da relação dialógica entre as categorias sociais e as variáveis funcionais contidas no sistema CIPESC® – Curitiba. Os objetivos específicos foram: reinterpretar a realidade objetiva da implantação do sistema; descrever o processo de implantação no município; levantar as variáveis funcionalistas do prontuário eletrônico e estabelecer relação dialógica entre variáveis e categorias sociais do Processo Saúde-doença. A Metodologia foi ancorada na Teoria da Intervenção Práxica da Enfermagem em Saúde Coletiva (Egry, 1996) e na hermenêutica dialética. A pesquisa foi aprovada pelos Comitês de Ética da Escola de Enfermagem, da Universidade de São Paulo e da Secretaria Municipal daSaúde de Curitiba. As categorias interpretativas foram: Necessidade, Classe social, Gênero e Etnia. A ferramenta propõe um modelo analítico de apoio a tomada de decisão, permitindo que ao atender o indivíduo, o sistema desvele sua face coletiva, por meio da interligação de dados num banco denominado “data warehouse”. Para captar a face coletiva, o banco deve integrar dados das subcategorias: perfil saúde-doença, fração de ) classes sociais, sexo, faixa etária e raça. As subcategorias, quando associadas, formam diferentes grupos homogêneos na constituição interna, e heterogêneos em relação à vulnerabilidade. Visualizam-se quatro graus de vulnerabilidade: nula, baixa, média e alta, de acordo com a qualificação dada por onze marcadores, que se diferenciam conforme a localização do indivíduo em condições de vulnerabilidade distintas. Há marcadores que sozinhos podem localizar o grau de vulnerabilidade alta como: morar em área de risco, estar desempregado e não ter renda. Outros marcadores, se encontrados em conjunto com as outras condições, elevam o grau de vulnerabilidade, como ser adolescente ou negro. Conclui-se que o prontuário eletrônico do paciente é capaz de levantar características do espaço singular e, ao captá-las, relacionando-as às categorias, desvelar a face social e atribuir vulnerabilidade aos grupos sociais homogêneos. Apesar de existirem lacunas para contemplar a totalidade das categorias sociais, os instrumentos de base funcional, utilizadospela CIPESC, em Curitiba, permitem a reorganização de dados para indicar a face coletiva de indivíduos, famílias e grupos homogêneos. Um modelo teórico-informacional é apresentado para esta reorganização, constituindo-se, portanto na ferramenta re-leitora da face individual, com a finalidade de explicitar a face coletiva dos processos de saúde-doença da população
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.12.2006
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EE10200011745T3116
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CUBAS, Marcia Regina; EGRY, Emiko Yoshikawa. CIPESC® Curitiba: proposta de uma ferramenta re-leitora da face coletiva do processo saúde-doença. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7136/tde-15012007-113136/ >.
    • APA

      Cubas, M. R., & Egry, E. Y. (2006). CIPESC® Curitiba: proposta de uma ferramenta re-leitora da face coletiva do processo saúde-doença. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7136/tde-15012007-113136/
    • NLM

      Cubas MR, Egry EY. CIPESC® Curitiba: proposta de uma ferramenta re-leitora da face coletiva do processo saúde-doença [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7136/tde-15012007-113136/
    • Vancouver

      Cubas MR, Egry EY. CIPESC® Curitiba: proposta de uma ferramenta re-leitora da face coletiva do processo saúde-doença [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7136/tde-15012007-113136/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: