Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo de mutações do gene OTOF em pacientes com deficiência auditiva e sua relação com a neuropatia auditiva (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ROMANOS, JIHANE - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Subjects: DEFICIENTE AUDITIVO; MUTAÇÃO GENÉTICA
  • Language: Português
  • Abstract: A herança autossômica recessiva pode ser responsável por aproximadamente 77% dos casos de surdez hereditária. Em 1996, Chaib e col. mapearam o loco responsável por surdez profunda neurossensorial de herança recessiva na região cromossômica 2p22-23 (DFNB9). Em 1999, Yasunaga e col. identificaram esse gene como o que codifica a proteína otoferlina (OTOF) nessa região. Até hoje, já foram descritas 31 mutações patogênicas diferentes no gene OTOF em populações de várias origens, com destaque a mutação Q829X que foi encontrada em ~3% dos casos de surdez na Espanha (Migliosi e col., 2002; Rodríguez-Ballesteros e col., 2003). Alguns pacientes com mutações no gene OTOF apresentavam neuropatia auditiva, um tipo de deficiência auditiva neurossensorial caracterizada pela ausência ou anomalia das ondas no exame dos Potenciais Evocados Auditivos do Tronco Encefálico ou BERA com a presença das emissões otoacústicas e/ou microfonismo coclear. O objetivo desse projeto foi investigar a contribuição relativa das mutações no gene OTOF ao casos de neuropatia auditiva e de outros tipos surdez em famílias brasileiras. Uma amostra de 343 propósitos portadores de deficiência auditiva foi submetida ao estudo da mutação Q829X. Não foi identificada em nenhum caso. Dessa casuística foram selecionados 48 propósitos de famílias com consangüinidade ou com 2 ou mais afetados na irmandade e quatro pacientes com neuropatia auditiva e com consangüinidade parental ou com dois ou maisafetados na irmandade. Além disso, foram também selecionados 7 casos isolados com neuropatia auditiva e 5 casos de portadores de alterações no tronco encefálico. Essa amostra totalizou 64 propósitos. Propósitos dessas 64 famílias foram genotipados em relação a cinco marcadores de microssatélites ligados ao gene OTOF. A análise dos haplótipos excluiu ligação ao gene OTOF em 34 casos, 19 não eram conclusivos e 11 indicaram possibilidade de ligação ao gene OTOF (incluindo uma família com pais consangüíneos e neuropatia auditiva e três propósitos com neuropatia auditiva). Simultaneamente, os 64 propósitos foram triados para mutações em oito exons do gene OTOF, nos quais mutações já haviam sido descritas, por meio de SSCP seguido de seqüenciamento. Os 11 casos com resultados compatíveis com ligação ao gene OTOF (4 com neuropatia auditiva) e os sete casos de neuropatia auditiva foram selecionados para o seqüenciamento de todos os exons (total de 18 propósitos). Identificamos no total 58 alterações diferentes. Onze variantes eram potencialmentes patogênicas, encontradas em sete dos propósitos, todos pertencentes ao grupo dos 18 selecionados. Quatro casos eram heterozigotos compostos [98G>A (R33Q) e 2401G>T e 2402A>T (E801L)]; [1841G>A (G614E) e 3239G>C (R1080P)], [3751T>G (C1251G) e 5431A>T (K1811X)] e [2348delG (G783fs) e 5800-5801insC (L1934fs)], dois eram heterozigotos [1552-1567del16 (R518fs); 2905-2923del19ins11 (A969fs)] sem que uma segunda mutaçãofosse detectada e um apresentava a mutação em homozigose [3400C>T (R1134X)]. Desses sete propósitos com mutações patogênicas, somente um paciente com mutação em heterozigose não apresentava neuropatia auditiva. Dentre os 11 casos com neuropatia auditiva, seis tinham pelo menos uma mutação no gene OTOF que poderia ser a causa de surdez. Esse achado reforça a associação entre o fenótipo da neuropatia auditiva e mutações no gene OTOF. A variante Q829X não foi encontrada nenhuma vez em nossa amostra, portanto, não deve ser causa importante de surdez na nossa população. Porém, nosso estudo mostra que mutações no gene OTOF são causas freqüentes de neuropatia auditiva no Brasil (mais de 50% dos casos). Nossos resultados reforçam a hipótese que pacientes com neuropatia auditiva devem ser selecionados para pesquisa de mutações no gene OTOF e que talvez mais de 50% dos casos de neuropatia auditiva tenham causa genética
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.11.2006
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000023513M-1270
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ROMANOS, Jihane; MINGRONI-NETTO, Regina Célia. Estudo de mutações do gene OTOF em pacientes com deficiência auditiva e sua relação com a neuropatia auditiva. 2006.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-19092007-114456/ >.
    • APA

      Romanos, J., & Mingroni-Netto, R. C. (2006). Estudo de mutações do gene OTOF em pacientes com deficiência auditiva e sua relação com a neuropatia auditiva. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-19092007-114456/
    • NLM

      Romanos J, Mingroni-Netto RC. Estudo de mutações do gene OTOF em pacientes com deficiência auditiva e sua relação com a neuropatia auditiva [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-19092007-114456/
    • Vancouver

      Romanos J, Mingroni-Netto RC. Estudo de mutações do gene OTOF em pacientes com deficiência auditiva e sua relação com a neuropatia auditiva [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41131/tde-19092007-114456/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: