Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

As conseqüências do assoreamento na operação de reservatórios formados por barragens (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MAIA, ADELENA GONÇALVES - EESC
  • USP Schools: EESC
  • Sigla do Departamento: SHS
  • Subjects: RESERVATÓRIOS; ENERGIA ELÉTRICA
  • Language: Português
  • Abstract: O assoreamento de reservatórios formados pela construção de barragens interfere inevitavelmente no seu volume útil. O volume útil é o compartimento responsável pelo armazenamento da água para o atendimento dos usos consuntivos e não consuntivos do sistema e a sua redução altera o atendimento das demandas. Nesta pesquisa foi investigada a interferência do processo de assoreamento do reservatório de Promissão, localizado no médio Tietê, na geração de energia elétrica da usina hidrelétrica Mário Lopes Leão. A quantificação do assoreamento do reservatório nos últimos 30 anos de operação foi realizado pela comparação da topografia original do lago na época de seu enchimento, em 1975, com a topo-batimetria levantada no ano de 2005. O modelo RESSASS foi utilizado para a análise da variação do volume do reservatório de 1975 a 2005, bem como para a previsão do assoreamento do reservatório até os anos de 2055 e 2105. A redução do volume útil do reservatório foi de 4,14% de 1975 a 2005, chegando a 9,46% em 2105. O assoreamento do reservatório também foi estudado através da análise qualitativa dos dados, identificando os efluentes que apresentavam maior grau de assoreamento. A análise da interferência da variação do volume útil do reservatório na geração de energia elétrica da usina foi realizada com o modelo AcquaNet. O reservatório de Promissão foi estudado isoladamente. As simulações foram realizadas considerando as diferentes curvas cota vs. área vs. volume de 1975, 2005,2055 e 2105, além da consideração de dois níveis mínimos de operação: 379,7 m, nível mínimo do reservatório, e 381,0 m, nível mínimo em que o reservatório é operado em função do seu uso para navegação. A interferência de 130 anos de assoreamento do reservatório na potência média mensal fornecida pelo sistema não foi significativa. No entanto, na análise do período de estiagem o assoreamento foi responsável pela redução em 321,90 MWh da energia média mensal excedente produzida, para o nível mínimo de operação de 381,0 m, e em 460,06 MWh, para o nível mínimo de operação de 379,7 m
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.11.2006
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EESC31100053873TESE 1475
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MAIA, Adelena Gonçalves; VILLELA, Swami Marcondes. As conseqüências do assoreamento na operação de reservatórios formados por barragens. 2006.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2006. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-18022007-204402/ >.
    • APA

      Maia, A. G., & Villela, S. M. (2006). As conseqüências do assoreamento na operação de reservatórios formados por barragens. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-18022007-204402/
    • NLM

      Maia AG, Villela SM. As conseqüências do assoreamento na operação de reservatórios formados por barragens [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-18022007-204402/
    • Vancouver

      Maia AG, Villela SM. As conseqüências do assoreamento na operação de reservatórios formados por barragens [Internet]. 2006 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18138/tde-18022007-204402/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: