Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Influência do processo de revascularização sobre a remodelação de enxertos ósseos "ONLAY". Análise histológica, imunoistoquímica e tomográfica em coelhos (2006)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FARIA, PAULO ESTEVES PINTO - FORP
  • USP Schools: FORP
  • Subjects: ENXERTO ÓSSEO; TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE EMISSÃO; IMUNOHISTOQUÍMICA
  • Language: Português
  • Abstract: As informações a despeito dos eventos moleculares que ocorrem nos enxertos ósseos autógenos "onlay" ainda são incipientes. O objetivo do presente estudo é de correlacionar os efeitos das perfurações no leito receptor com (1) o tempo de revascularização do enxerto autógeno "onlay" (2) a manutenção do volume/densidade do enxerto (através de tomografia) e (3) a presença de proteínas de remodelação óssea (usando imunoistoquímica) no enxerto. Trinta e seis coelhos New Zealand White foram submetidos a enxertia de crista ilíaca instalados de maneira "onlay" em ambos os lados do corpo mandibular. Em um lado o leito receptor foi perfurado com o objetivo de acelerar a revascularização, enquanto que o outro lado foi mantido intacto. Após a fixação dos enxertos e retalhos suturados todos os animais foram submetidos a tomografia em ambos os lados da mandíbula. Seis animais foram sacrificados, respectivamente, em 3, 5, 7, 10, 20 e 60 dias após a cirurgia. Uma segunda tomografia foi feita logo após o sacrifício. Lâminas histológicas foram preparadas a partir de cada lado do enxerto para análise imunoistoquímica (Osteopontina, Osteoca1cina, Colágeno tipo I e VEGF) e análise histológica. Os valores de volume ósseo mensurados na tomografia mostraram que não havia diferença estatística significante (P2'> OU='0,05) entre os lados perfurado e não perfurado. Enxertos instalados em leitos perfurados mostraram uma maior densidade óssea que os instalados em leitos não perfurados em3 dias (P'< OU=' 0,05) e esta correlação se inverteu aos 60 dias. Os achados da marcação de VEGF revelaram uma tendência para uma revascularização precoce no grupo perfurado. A revascularização precoce de enxertos ósseos acelerou o processo de remodelação óssea (osteocalcina, colágeno tipo I e osteopontina) levando a um aumento de deposição óssea em 10 dias: O processo de diferenciação osteoblástica em tempos intermediários no grupo perfurado cooperou para um osso mais denso em 60 dias
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.12.2006

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FORP11700000465Faria, Paulo Esteves Pinto
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FARIA, Paulo Esteves Pinto; SALATA, Luiz Antonio. Influência do processo de revascularização sobre a remodelação de enxertos ósseos "ONLAY". Análise histológica, imunoistoquímica e tomográfica em coelhos. 2006.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.
    • APA

      Faria, P. E. P., & Salata, L. A. (2006). Influência do processo de revascularização sobre a remodelação de enxertos ósseos "ONLAY". Análise histológica, imunoistoquímica e tomográfica em coelhos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Faria PEP, Salata LA. Influência do processo de revascularização sobre a remodelação de enxertos ósseos "ONLAY". Análise histológica, imunoistoquímica e tomográfica em coelhos. 2006 ;
    • Vancouver

      Faria PEP, Salata LA. Influência do processo de revascularização sobre a remodelação de enxertos ósseos "ONLAY". Análise histológica, imunoistoquímica e tomográfica em coelhos. 2006 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: