Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Papel da via heme oxigenase-monóxido de carbono-GMPc na nocicepção inflamatória (2007)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NASCIMENTO, CARLOS GIOVANI DE OLIVEIRA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFI
  • Subjects: DOR; FISIOPATOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Com a crescente confirmação da importância dos mediadores gasosos nos mecanismos moduladores de diversas funções biológicas e processos celulares e neuronais, o papel fisiológico desempenhado pelo pela via da enzima heme oxigenase-monóxido de carbono (HO-CO) tem sido intensamente investigado. O monóxido de carbono é um mediador gasoso cujos níveis celulares e tissulares dependem diretamente da atividade da enzima heme oxigenase. Em sua atividade endógena, essa enzima promove a clivagem do grupo heme, levando à formação de quantidades equimolares de CO, biliverdina e ‘Fe POT. ++’. Sendo o CO o produto mais ativo e provavelmente de aspectos funcionais mais amplos e relevantes, faz-se necessário avaliar o potencial neuromodulador da via HO-CO na nocicepção inflamatória. Dessa forma, o objetivo geral aqui focado foi o de investigar o papel da via HO-CO na resposta nociceptiva de ratos no modelo de dor bifásico da formalina podal. De modo mais específico, manipulou-se farmacologicamente a atividade da heme oxigenase, com o uso de drogas capazes de inibir (ZnDPBG) ou fornecer substrato (heme-lisinato) para a enzima alvo. Foram desenvolvidas três abordagens experimentais distintas, periférica podal e localmente restrita, espinhal, e foi avaliado o potencial sinérgico entre essas duas primeiras. O modelo nociceptivo adotado foi o da formalina podal, onde 50’mü’l de uma solução de formalina a 1% era injetado por via subcutânea na região dorsal da pataposterior direita, induzindo-se assim uma hiperalgesia bifásica persistente caracterizada por sacudidas da pata injetada (flinching) e com aspectos inflamatórios evidentes. Constatou-se que o pré-tratamento tanto podal quanto espinhal com o ZnDPBG fora capaz de aumentar a resposta nociceptiva de flinching, levando a hipernocicepção nas duas fases do teste. De modo oposto, o uso prévio do substrato heme-lisinato reduziu a freqüência do comportamento de flinching, demonstrando seu papel antinociceptivo no modelo estudado. Uma vez demonstrado que a ativação da via HO-CO é antinociceptiva, foram avaliados os três produtos da enzima, a biliverdina, o ‘Fe POT. ++’ (indiretamente pelo quelante deferoxamina) e o CO. Observou-se então que somente o monóxido de carbono era o produto responsável pelo efeito observados com a ativação da via, não havendo qualquer função antinociceptiva que pudesse ser atribuída à biliverdina ou o ‘Fe POT. ++’. Baseando-nos no fato de grande parte das funções reguladoras da via da HO-CO depender da ativação da guanilato ciclase solúvel e do GMPc, foi utilizado o azul de metileno como inibidor da formação de GMPc. A administração do azul de metileno previamente ao heme-lisinato e CO foi capaz de reduzir os efeito antinociceptivos desses dois agentes tanto na abordagem periférica podal quanto na espinhal (heme-lisinato). Demonstrando-se que o mecanismo pelo qual a atividade da via HO-CO promove antinocicepção depende, pelomenos parcialmente, da guanilato ciclase solúvel e conseqüente formação de GMPc. Uma vez demonstrada a função antinociceptiva da via, investigou-se o possível sinergismo entre as abordagens central espinhal e periférica podal. Nesse estudo utilizaram-se doses dos agentes ZnDPBG e Heme-lisinato não efetivas por si quando injetadas espinhal ou podalmente, mas que por ação sinérgica periférico-central tiveram seus efeitos somados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.10.2007

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200035035Nascimento, Carlos G. de O.
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NASCIMENTO, Carlos Giovani de Oliveira; BRANCO, Luiz Guilherme de Siqueira. Papel da via heme oxigenase-monóxido de carbono-GMPc na nocicepção inflamatória. 2007.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2007.
    • APA

      Nascimento, C. G. de O., & Branco, L. G. de S. (2007). Papel da via heme oxigenase-monóxido de carbono-GMPc na nocicepção inflamatória. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Nascimento CG de O, Branco LG de S. Papel da via heme oxigenase-monóxido de carbono-GMPc na nocicepção inflamatória. 2007 ;
    • Vancouver

      Nascimento CG de O, Branco LG de S. Papel da via heme oxigenase-monóxido de carbono-GMPc na nocicepção inflamatória. 2007 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: