Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Comparando os programas de pós-graduação stricto sensu da grande área ciências da saúde: a medicina e a divisão social da saúde (2007)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SOARES, CASSIA BALDINI - EE
  • USP Schools: EE
  • Subjects: CIÊNCIAS DA SAÚDE; PÓS-GRADUAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: O conhecimento em saúde é produzido e reproduzido de maneira diferencial e desigual, o que dificilmente escapa do controle exercido pela hegemonia do conhecimento específico da medicina, sempre apoiado pelo corporativismo médico. A propagação selet iva de programas de pós-graduação nas universidades, no âmbito do ensino médico, aperfeiçoa a divisão do trabalho em saúde, encerrando a formação e a prática dos demais trabalhadores da saúde nos limites do conhecimento sobre o instrumental. As profissões da saúde se conformam como práticas sociais complementares à transformação de um mesmo objeto inscrito no processo de produção em saúde. É possível que uma diferenciada expansão da pós-graduação nas diferentes áreas da saúde reflita o projeto de consolidação da divisão social e técnica do trabalho em saúde. Objetivo: Comparar a pós-graduação stricto sensu das profissões da Grande Área Saúde, a partir da descrição e análise de dados que traduzem a procura e o acesso aos programas oferecidos. Métodos: Trata-se de uma pesquisa quantitativa acerca da oferta de programas e de matrículas de pós-graduação stricto sensu relativos ao período 1996-2003 da Grande Área Ciências da Saúde, levantados junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e de Ensino Superior e do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Resultados: Houve expansão do número de programas e de matrículas de todas as áreas de Saúde. Medicinateve a menor expansão de programas (6%) e matrículas (30%). Nutrição apresentou a maior expansão de Programas (80%) e Farmácia a maior expansão de matrículas (160%). Em 2003, a participação da Medicina na Saúde é predominante (49% dos programas e 48% das matrículas). A segunda maior participação é de Odontologia com (23% e 15%), seguida da Saúde Coletiva (5,6% e 13,2%), sendo que as demais áreas apresentam participação menor. Analisando a participação relativa de programas e matrículas do estado de São Paulo, observa-se que Medicina aumentou a concentração de programas (51% para 53%) e matrículas (61% para 64%) no período. Odontologia é ainda mais concentrada (63% e 69%) e Saúde Coletiva a menos concentrada (23% e 35%) em 2003. Medicina apresenta maior número de programas de pós-graduação (177) do que cursos de graduação (125) e a relação entre matrículas de graduação e pós-graduação é de 11% (7061 alunos de pós para 60912 de graduação) em 2003, bem acima das demais áreas de saúde. Conclusões: Os dados apresentados podem indicar a manutenção de uma possível diferenciação no nível do conhecimento e uma potencial perpetuação da divisão hierarquizada do trabalho e da submissão dos demais profissionais da saúde ao médico, pela exigência de um nível inferior de acesso ao conhecimento acadêmico e aos avanços científicos. Considerando que a atenção à saúde é essencialmente uma atividade multidisciplinar, em que diversos profissionaiscompartilham o mesmo objeto de trabalho, seria esperado que o conhecimento que recorta esse objeto fosse compartilhado e se efetivasse um trabalho em equipe, em que todos os trabalhadores dominem o objeto a ser transformado, suas finalidades e instrumentos. Isto demandaria, conseqüentemente, compartilhar o conhecimento e desenvolver um trabalho solidário e crítico no processo de transformação do objeto na prática em saúde. No entanto, a universidade parece ir ao encontro à manutenção da hegemonia médica, promovendo a reprodução daquela divisão social e técnica do trabalho em saúde, ao qualificar mais médicos que os demais profissionais de saúde para a produção de conhecimento
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: Congresso Brasileiro de Educação Médica
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EE10200017453-SSOARES, C. B. doc 28
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BUJDOSO, Yasmin Lilla Veronica; COHN, Amélia; SOARES, Cássia Baldini. Comparando os programas de pós-graduação stricto sensu da grande área ciências da saúde: a medicina e a divisão social da saúde. Revista Brasileira de Educação Médica[S.l: s.n.], 2007.Disponível em: .
    • APA

      Bujdoso, Y. L. V., Cohn, A., & Soares, C. B. (2007). Comparando os programas de pós-graduação stricto sensu da grande área ciências da saúde: a medicina e a divisão social da saúde. Revista Brasileira de Educação Médica. Rio de Janeiro. Recuperado de http://www.cobem.com.br/DOC/Revista.pdf
    • NLM

      Bujdoso YLV, Cohn A, Soares CB. Comparando os programas de pós-graduação stricto sensu da grande área ciências da saúde: a medicina e a divisão social da saúde [Internet]. Revista Brasileira de Educação Médica. 2007 ; 31( 2): 737-738.Available from: http://www.cobem.com.br/DOC/Revista.pdf
    • Vancouver

      Bujdoso YLV, Cohn A, Soares CB. Comparando os programas de pós-graduação stricto sensu da grande área ciências da saúde: a medicina e a divisão social da saúde [Internet]. Revista Brasileira de Educação Médica. 2007 ; 31( 2): 737-738.Available from: http://www.cobem.com.br/DOC/Revista.pdf