Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeito da exposição neonatal ao lipolissacarídeo sobre a hipotensão, síntese de óxido nítrico e vasopressina plasmática durante o choque endotoxêmico (2008)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SQUEBOLA, DALIZE MARIA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFI
  • Subjects: ÓXIDO NÍTRICO; METABOLISMO; PRESSÃO SANGUÍNEA; FETO (EXPOSIÇÕES)
  • Language: Português
  • Abstract: Sepse e sua complicação mais comum o choque séptico é um fenômeno geralmente induzido pela ação de endotoxinas. A presença de microorganismos patogênicos e de suas toxinas na circulação sangüínea provoca uma produção excessiva de mediadores, como citocinas e o óxido nítrico (NO). Estudos recentes têm verificado que a administração única de lipopolissacarídeo (LPS), um componente da membrana externa de bactérias gram-negativas durante o período neonatal, levam a ativação do sistema endócrino, principalmente do eixo hipotálamo-hipófise. Este estímulo com LPS, durante o período neonatal, leva a uma espécie de mudança "programada" nas concentrações de fatores pró-inflamatórios quando esses animais entram novamente em contato com produtos bacterianos. O presente estudo teve como objetivo avaliar se a exposição neonatal ao LPS leva a alterações nas concentrações plasmáticas de AVP durante o choque endotoxêmico experimental. Ratos Wistar foram expostos ao LPS (100 ‘mü’g/kg) com 14 dias de vida (período neonatal) e após 60 a 75 dias de vida sofreram uma outra administração de LPS (10 mg/kg). A administração intraperitoneal de LPS provocou uma queda significativa da pressão arterial, aumento da freqüência cardíaca, aumento das concentrações de nitrato plasmático e diminuição da temperatura corporal nas primeiras duas horas após a administração de LPS, seguido de um aumento desta, a partir da terceira hora após a administração de LPS. Nos animais endotoxêmicos observamos umaumento da concentração plasmática de AVP na segunda hora após a administração de LPS. Após esse período as concentrações de AVP diminuem, retornando a valores basais na sexta hora após a administração de LPS. A exposição neonatal ao LPS atenuou a hipotensão e a febre induzida pelo LPS. Ao mesmo tempo elevou as concentrações plasmáticas de AVP e atenuou a síntese exacerbada de NO. Esses resultados sugerem que a exposição ao LPS no período neonatal pode alterar o desenvolvimento de sistemas neurais modulando a liberação de AVP e síntese de NO, que conseqüentemente atenuou a hipotensão e a febre induzida pelo choque endotoxêmico
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 28.05.2008

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SQUEBOLA, Dalize Maria; CÁRNIO, Evelin Capellari. Efeito da exposição neonatal ao lipolissacarídeo sobre a hipotensão, síntese de óxido nítrico e vasopressina plasmática durante o choque endotoxêmico. 2008.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.
    • APA

      Squebola, D. M., & Cárnio, E. C. (2008). Efeito da exposição neonatal ao lipolissacarídeo sobre a hipotensão, síntese de óxido nítrico e vasopressina plasmática durante o choque endotoxêmico. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Squebola DM, Cárnio EC. Efeito da exposição neonatal ao lipolissacarídeo sobre a hipotensão, síntese de óxido nítrico e vasopressina plasmática durante o choque endotoxêmico. 2008 ;
    • Vancouver

      Squebola DM, Cárnio EC. Efeito da exposição neonatal ao lipolissacarídeo sobre a hipotensão, síntese de óxido nítrico e vasopressina plasmática durante o choque endotoxêmico. 2008 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019