Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Participação das enzimas 5-Lipoxigenase (5-LO) e Heme Oxigenase (HO-1) na resposta inflamátia induzida contra Trypanosoma cruzi (2008)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PAVANELLI, WANDER ROGERIO - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBI
  • Subjects: TRYPANOSOMA CRUZI; MIOCARDITE; INFLAMAÇÃO; IMUNOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Durante a fase aguda da infecção com Trypanosoma cruzi, uma forte resposta inflamatória é freqüentemente observada no miocárdio, a qual esta relacionada com alterações crônicas e conseqüente fibrose. Diversos fatores regulam a intensidade da resposta inflamatória, entre eles citocinas e quimiocinas, produzidos pelos leucócitos e cardiomiócitos. Atualmente alguns estudos têm-se concentrado em avaliar a participação de outros mediadores inflamatórios, responsáveis pela iniciação, manutenção ou mesmo regulação da inflamação. De um lado da resposta inflamatória, a enzima 5-lipoxigenase (5-LO) atua no metabolismo do ácido araquidônico, dando origem aos leucotrienos que agem na fase de iniciação e manutenção da resposta inflamatória. Por outro lado, a enzima heme-oxigenase-1 (HO-1), envolvida na degradação do grupo heme, possui funções antiinflamatórias e antioxidantes, dessa forma regulando a inflamação. Portanto, o objetivo deste trabalho foi verificar ambos os fatores (pró e antiinflamatórios) da resposta imune gerada contra o T. cruzi, utilizando dois modelos experimentais distintos. O primeiro modelo verificará a participação da enzima 5-lipoxigenase (5-LO) e seus metabólicos pró-inflamatórios (leucotrienos) na infecção induzida por T cruzi, utilizando animais geneticamente deficientes (5-‘LO POT. -/-‘). O segundo modelo avaliará a influencia da enzima heme oxigenase (HO-1) na resposta imune desencadeada contra T cruzi, utilizando uminibidor (ZnPPIX) e um indutor (hemin) desta enzima. Em ambos os modelos, após a infecção com T cruzi, vários parâmetros foram avaliados. A princípio, no primeiro modelo experimental (5-LO), foi possível observar que a infecção com T cruzi induz produção de leucotrienos ‘B IND. 4’ (‘LTB IND. 4’), um metabólico oriundo da atividade da enzima 5-LO, demonstrando que esta enzima participa da resposta inflamatória desencadeada contra o parasito. Em seguida, foi possível verificar que camundongos geneticamente deficientes (5-‘LO POT. -/-‘), embora possuindo maior parasitemia, foram mais resistentes à infecção que animais selvagens (129-WT). Quanto ao aspecto inflamatório, foi possível verificar que camundongos 5’-LO POT. -l-‘ apresentaram menor inflamação, com reduzida quantidade de células ‘CD4 POT. +’, ‘CD8 POT. +’ e IFN-‘‘gama’ POT. +’ quando comparado com camundongos WT. Contudo foi observado nesses animais aumento na percentagem de células ‘CD4 POT. +’‘CD25 POT. +’ (Tregs) expressando os respectivos marcadores fenotípicos. Em seguida avaliamos a produção de citocinas e observamos que camundongos 5-‘LO POT. -/-‘ possuíam níveis reduzidos de citocinas como lFN-‘gama’ e TNF-‘alfa’. Isto esta correlacionada com produção reduzida de óxido nítrico e aumento (aos 15 dias de infecção) na presença de antígenos de T cruzi encontrados nesses animais. Já para o segundo modelo experimental (HO-1), foi possível verificar que camundongos BALB/ctratados com ZnPPIX (inibidor), embora apresentando menor parasitemia, foram mais susceptíveis a infecção com T cruzi, quando comparado a camundongos tratados como hemin (indutor) ou mesmo não tratados (controle). Estes resultados demonstram que a HO-1 está efetivamente envolvida nos mecanismos que regulam a miocardite em animais infectados com T cruzi. Adicionalmente, a análise histopatológica mostrou aumento da resposta inflamatória no coração e fígado destes camundongos. Isto está diretamente correlacionado com aumento na presença de células ‘CD4 POT. +’, ‘CD8 POT.+’, e IFN-‘‘gama’ POT. +’ no coração e predominância de citocinas associadas ao padrão Th1 (IFN-‘gama’ e lNF-‘alfa’) nos animais tratados com ZnPPIX. Este aumento provavelmente está relacionado com diminuição na percentagem de células ‘CD4 POT. +’‘CD25 POT. +’ (Tregs) encontradas nestes animais. Entretanto, animais tratados com hemin apresentaram níveis elevados de citocinas (IL-4) do padrão Th2 e citocinas (IL-10 e TGF-‘beta’) imunomoduladoras. Também foi possível observar aumento na percentagem de células ‘CD4 POT. +’‘CD25 POT. +’ (Tregs) expressando os respectivos marcadores fenotípicos (Foxp3, GITR e CTLA-4). Estes resultados claramente demonstram que a reação inflamatória desencadeada contra T cruzi pode ser regulada pela HO-1. Portanto, sugerimos que durante a infecção experimental com T cruzi, diversos fatores da resposta inflamatória podem determinar aintensidade da inflamação, podendo levar ao controle da replicação do patógeno e/ou morte do hospedeiro
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.06.2008

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200035428Pavanelli, Wander Rogrio
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PAVANELLI, Wander Rogério; SILVA, João Santana da. Participação das enzimas 5-Lipoxigenase (5-LO) e Heme Oxigenase (HO-1) na resposta inflamátia induzida contra Trypanosoma cruzi. 2008.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.
    • APA

      Pavanelli, W. R., & Silva, J. S. da. (2008). Participação das enzimas 5-Lipoxigenase (5-LO) e Heme Oxigenase (HO-1) na resposta inflamátia induzida contra Trypanosoma cruzi. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pavanelli WR, Silva JS da. Participação das enzimas 5-Lipoxigenase (5-LO) e Heme Oxigenase (HO-1) na resposta inflamátia induzida contra Trypanosoma cruzi. 2008 ;
    • Vancouver

      Pavanelli WR, Silva JS da. Participação das enzimas 5-Lipoxigenase (5-LO) e Heme Oxigenase (HO-1) na resposta inflamátia induzida contra Trypanosoma cruzi. 2008 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: