Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Processos metalogenéticos em ambientes de arco magmático tipo andino, caso de estudo: mineralizações da região dos Andes Patagônicos setentrionais do Chile (2008)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OYARZO, PAUL LUIS DUHART - IGC
  • USP Schools: IGC
  • Sigla do Departamento: GMG
  • Subjects: DEPÓSITOS MINERAIS; METALOGÊNESE
  • Language: Português
  • Abstract: Na região dos Andes Patagônicos entre os 41 e 44° S estão expostos amplos e contínuos afloramentos de rochas graníticas do segmento norte do Batólito Norte-Patagônico (BNP). Durante sua evolução a maior parte das rochas graníticas foram colocadas em rochas metamórficas, e outras partes foram colocadas em rochas vulcânicas do Jurássico-Berriasano, sedimentares e vulcânicas do Cretáceo Inferior, vulcânicas do Cretáceo Superior e sedimentares do Mioceno. Parte desta atividade magmática está associada à gênese de depósitos de minério. As rochas plutônicas expostas apresentam uma gradação desde dioritos até granitos e leucogranitos, apesar de que a área é largamente dominada por variedades intermediárias a ácidas. Determinações K-Ar permitiram identificar extensos e volumosos eventos plutônicos que descrevem duas faixas de orientação N-S durante o Cretáceo Inferior (ca. 120-100 Ma) e Mioceno (ca. 20-7 Ma), discretos durante o Jurássico Superior (ca. 155 Ma) e o Cretáceo Superior (ca. 95-70 Ma), restritos durante o Plioceno (ca. 5-3 Ma), e um provável evento plutônico no Eoceno (ca. 54-34 Ma), ao passo que experimentos Ar/Ar confirmam os eventos magmáticos do Cretáceo Inferior (ca. 126-100 Ma) e Mioceno (ca. 19-9 Ma). Determinações U-Pb convencionais indicam a provável perda e herança de PB, apesar de confirmar os eventos magmáticos do Cretáceo Inferior (ca. 129-114 Ma) e Mioceno (ca. 22-13 Ma). Além disso, as determinações U-Pb convencionais em zircões revelam apresença de rochas magmáticas pré-Andinas do Devoniano Inferior (ca. 400 Ma) provavelmente relacionadas com rochas do Maciço Norte-Patagônico. Determinações U-Pb SHRIMP em zircões indicam 100 '+ ou -' 9,6 Ma para um monzogranito e de 126,3 '+ ou -' 6,7 Ma para um piroxênio dioritio, 8,4 '+ ou -' 0,3 Ma para um tonalito e 13,26 '+ ou -' 0,19 Ma para um andesito porfirítico, e de 385,9 '+ ou -' 7,4 Ma para um corpo de microdiorito tectonizado. Estes dados ) indicam que o início da atividade plutônica é representada em ambos das faixas por pequenos corpos de colocação superficial, e a idade U-Pb SHRIMP do Devoniano confirma o evento magmático inferido das idades U-Pb convencionais. A distribuição de idades mostra um padrão complexo, mas, permite definir eventos magmáticos do Cretáceo, preferencialmente localizados, a E da Zona da Falha Liquiñe-Ofqui (ZFLO), do Mioceno no interior e a O desta estrutura, e do Plioceno no traço principal da ZFLO. A atividade plutônica do Mioceno, em direção a trincheira é diferente que o padrão definido para a região centro-norte dos Andes chilenos, onde é verificada a migração do arco magmático para a E com a conseqüente diminuição de idades neste sentido. Composições isotópicas de Sr e Nd mostram baixos e positivos teores de 'épsilon IND.Nd' com 'épsilon IND.Sr' entre -4 e +7 sugerindo que o BNP no segmento estudado, foi composto a partir de mistura de matérias do manto com fusão de crosta inferior, como é demonstrado pelos trabalhosanteriores, em áreas vizinhas. As composições isotópicas de PB em feldspato, das mesmas amostras datadas por U-Pb convencional, variou com a idade, plútons com 'ANTPOT.206 Pb/ANTPOT.204 Pb'>18,62 são do Mioceno, enquanto que aqueles plútons com 'ANTPOT.206 Pb/ ANTPOT.204 Pb'<18,57 são do Cretáceo, com uma relação inversa entre os plútons do Mioceno, o que é atribuído à variável interação com o embasamento metamórfico. Mineralizações de metais base com Au e Ag estão hospedadas em rochas vulcânicas do Cretáceo e limitadas à faixa magmática do Cretáceo Inferior e mineralizações de Au-As estão hospedadas no Microdiorito do Devoniano e em rochas metamórficas do Paleozóico e limitadas à faixa magmática do Mioceno. Além disso, em ambas as faixas, ocorrências de Cu-Mo são relatadas associadas com monzogranitos e tonalitios. Mineralizações de metais preciosos e de base no prospecto Las Juntas ) estão relacionados com alteração sílica-adulária e quartzo-sericita e deposição de pirita, esfalerita, galena com conteúdos de Ag e Bi, e calcopirita, e menor hematita, tetraedrite, arsenopirita, bornita e calcocita, em veios, vênulas, brechas e escassa disseminação. Os teores são variáveis, mas em veios mineralizados em Cu os teores podem atingir até 15% Cu, e em brechas mineralizadas em Cu-Pb-Zn os teores podem atingir até 32% Pb, 23% Zn e 0,28% Cu, com 1,4 para 1.300 ppm de Ag e 0,02 para 3,9 ppm de Au. Dados de inclusões fluidas indicam temperaturas de homogeneizaçãovariando entre 140 a 230°C, salinidades entre 3 a 6% em peso de NaCl equiv., e de deposição de metais base durante ebulição e mistura. Mineralizações de Au-As no prospecto Pichicolo estão relacionadas com alteração sílica e quartzo-sericita e deposição de arsenopirita e pirita, e menor pirrotita, calcopirita e bornita, em vênulas, stockwork e disseminação. Os teores variam entre 0,02 a 2,0 ppm de Au. Dados de inclusões fluidas indicam temperaturas de homogeneização entre 180 a 270°C, salinidades entre de 3 a 5% em peso de NaCl equiv., e deposição metálica durante ebulição e mistura. A mineralização, alteração e as características químicas e físicas de fluidos sugerem para ambos os prospectos características de epitermais de baixa sulfetação. O método Re-Os foi utilizado em molibdenitas hospedadas em plútons de monzogranito a tonalito para determinar a idade da mineralização de Cu-Mo. As idades obtidas (ca. 119 e 9,1 a 8,2 Ma) sugerem que a mineralização ocorreu em sistemas hidrotermais intimamente associada com os eventos magmáticos de Cretáceo Inferior e Mioceno, o que confirma a interpretação acerca da existência das faixas metalogenéticas pólimetálicas do Cretáceo Inferior e aurífera do Mioceno propostas para a Cordilheira Norte-Patagônica. Biotita do monzogranito hospedeiro de mineralização de Cu-Mo ) na aldeia Palena foi datada por Ar/Ar em 114,7 Ma, e outra datação, próxima da ocorrência em 114,2 Ma. Biotita do tonalito hospedeiro da mineralização deCu-Mo no estuário Reloncaví foi datada por Ar/Ar em 8,53 Ma, e outra datação, próxima da ocorrência, em 8,64 Ma. A proximidade e a superposição, dentro do erro analítico, entre as idades Ar/Ar em biotita, em ambas as áreas, sugerem que a alteração hidrotermal não foi estendida. Uma idade isocrônica Rb-Sr de 126'+ ou -'8 Ma obtida de rochas hidrotermalmente alteradas com mineralização polimetálica é interpretada como a idade do evento hidrotermal. Experimentos Ar/Ar em sericita hidrotermal de granulação muito fina com mineralização de Au-As mostra redistribuição de Ar por 'recoil' e a idade integrada de 142'+ ou -'2 Ma sugere que a associação mineralização-magmatismo félsico do Jurássico não deve ser descartada. Composições isotópicas de Sr e Nd de rochas hospedeiras e ígneas associadas indicam que os magmas são principalmente derivados do manto com contaminação de crosta continental variável. Composições isotópicas de Pb em minerais de minério, rochas hospedeiras e ígneas associadas, em ambos os prospectos, se agrupam próximos da curva do orógeno no modelo da 'plumbotectonica'. Em um diagrama 'ANTPOT.206 Pb/ANTPOT.204 Pb'-'ANTPOT.207 Pb/ ANTPOT.204 Pb', os minerais de minério e as rochas ígneas associados do prospecto Las Juntas são menos radiogênicos ('ANTPOT.206 Pb/ANTPOT.204 Pb'<18.6) que o prospecto Pichicolo ('ANTPOT.206 Pb/ANTPOT.204 Pb'> 18.6). Este modelo é compatível com a idade absoluta cretácea da mineralização para Las Juntas e com a idade miocenaassumida para Pichicolo. As tendências alongadas da composição de PB nos minerais de minério indicam, principalmente, um modelo orogênico, sugerindo mistura variável de chumbo a partir de diferentes fontes, sobretudo de crosta superior
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.07.2008
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IGC30900024726T D869 PL.p e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DUHART OYARZO, Paul Luis; TASSINARI, Colombo Celso Gaeta. Processos metalogenéticos em ambientes de arco magmático tipo andino, caso de estudo: mineralizações da região dos Andes Patagônicos setentrionais do Chile. 2008.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-19082008-175829/ >.
    • APA

      Duhart Oyarzo, P. L., & Tassinari, C. C. G. (2008). Processos metalogenéticos em ambientes de arco magmático tipo andino, caso de estudo: mineralizações da região dos Andes Patagônicos setentrionais do Chile. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-19082008-175829/
    • NLM

      Duhart Oyarzo PL, Tassinari CCG. Processos metalogenéticos em ambientes de arco magmático tipo andino, caso de estudo: mineralizações da região dos Andes Patagônicos setentrionais do Chile [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-19082008-175829/
    • Vancouver

      Duhart Oyarzo PL, Tassinari CCG. Processos metalogenéticos em ambientes de arco magmático tipo andino, caso de estudo: mineralizações da região dos Andes Patagônicos setentrionais do Chile [Internet]. 2008 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44133/tde-19082008-175829/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: