Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Variações no envelhecimento cognitivo e cerebral em idosos saudáveis (2008)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FOSS, MARIA PAULA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: PROCESSOS COGNITIVOS; ENVELHECIMENTO; NEUROPSICOLOGIA; RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
  • Language: Português
  • Abstract: A expectativa de vida aumentou nos países em desenvolvimento, como o Brasil, até perto dos 70 anos. Toma-se patente, portanto, definir formas mais positivas de envelhecer, pois descobertas científicas recentes não o associam somente a danos cerebrais e declínio cognitivo. Diante disso, surge nova definição que o caracteriza como fenômeno complexo de reorganização, otimização e plasticidade funcional podendo propiciar e manter a produtividade e uma vida feliz na velhice. O objetivo foi de avaliar a possível associação entre as variações no funcionamento cognitivo e nos marcadores biológicos da Ressonância Magnética (RMI), buscando o melhor entendimento das disfunções incluídas no conceito de envelhecimento normal. Casuística: foram avaliados 60 idosos com idade entre 58 e 83 anos (média 68,4; dp: 6,17),43 mulheres e 17 homens e escolaridade de 1 a 15 anos (média: 7,1; dp: 4,39). Todos foram diagnosticados como saudáveis, por meio de exames clínico-laboratoriais, por um geriatra. Procedimento: avaliação inicial e assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido. O médico geriatra selecionava aqueles que iriam realizar a avaliação neuropsicológica (ANP) e a RMI. A ANP iniciou-se com breve questionário sobre os dados de identificação, queixa neuropsicológica e a aplicação do instrumental de classificação socioeconômica ((NSE) Graciano, 1999). A seguir, eram aplicados, a escala de Mattis para avaliação de demência (MDRS) (Mattis, 1973 e 1988; Porto etal., 2003), teste de Stroop (Stroop, 1935 e Spreen e Strauss, 1998), fluência verbal (Spreen & Benton, 1969, 1977), teste de Winconsin de classificação de cartas- WCST (Heaton et aI., 1993), figura complexa de Rey (Rey 1941; Osterrieth, 1944; Rey, Franco, Oliveira, 1999), vocabulário -Wais -III (Wechsler, 1997; Nascimento, 2004), memória lógica- WMS-R (Wechsler, 1987; Camargo et aI., 1987), reprodução visual -WMS-R (Wechsler, 1987; Camargo et al., 1987), teste da aprendizagem auditivo-verbal de Rey (Rey, 1958, Spreen e Strauss, 1998 e Diniz et al., 2000). A RMI foi realizada num supercondutor de 1,5 Tesla, estimando-se as volumetrias (PSC%, PSB% e BPF%), transferência de magnetização (MT SC e SB) e relaxometria em T2 (relaxo SC e SB). Os dados da avaliação neuropsicológica foram submetidos à análise multivariada de c/uster pelo software SAS -Proc C/uster, utilizando-se o método hierárquico de ligação completa. Posteriormente, também, classificou-se os indivíduos com comprometimento cognitivo leve (CCL), segundo os critérios de Petersen (1999 e 2001). Realizou-se, também, análises exploratórias entre os dados demográficos distribuídos nos c/usters pela ANOV A one-way ou o teste de X2 do SPSS 13,0 for Windows. Os indicadores da RMI foram avaliados pela análise de c/uster, usando o classificador k-means do software Minitab e a comparação entre a RMI e o neuropsicológico foi realizada pelo teste de Mann-Whitney U do software SPSS13.0 for Windows. As análises entre o neuropsicológico e a RMI foram feitas pela correlação de Spearman do pacote estatístico SPSS 13. O for Windows e o Ancova (Montygomey, 2001) cujas covariáveis foram a idade e escolaridade de acordo com software SAS versão 9.1. Por último a análise multivariada de cluster foi realizada sem a inclusão da idade e os clusters sem a idade foram comparados com a RMI por meio da análise de variância não-paramétrica Kruskal- Wallis do software SPSS 13.0 for Windows. O nível de significância estatística adotado foi um p < 0,05. Os resultados da avaliação neuropsicológica determinaram 4 clusters de indivíduos que foram classificados segundo Baltes e Baltes (1990): com "sucesso no envelhecimento cognitivo"(C1), com "envelhecimento com risco de desenvolver patologias futuras"(C2) e os outros dois com "envelhecimento dentro da média" (C3 e C4). Houve maior número com diagnóstico de CCL no C2 (85%), (85%), seguido pelo C3 (11%) e C4 (5,5%). O C3 e o C4 apresentaram uma maior proporção de mulheres do que homens, enquanto que o NSE foi maior no C1 e C4, ambos com escolaridades mais altas e com melhores desempenhos no vocabulário (WAIS III). Os participantes segundo os dados da RMI, por sua vez, foram subdivididos em dois grupos: um com melhores indicadores (CRMI 1) e outro com piores (CRMI 2). Esses grupos foram comparados, segundo os desempenhos neuropsicológicos, encontrando-se diferençassignificativas quanto à idade e ao índice de interferência do teste de Stroop, sendo que o CRMI, com idosos mais novos, obteve melhores pontuações nesse índice. Houve, também, um maior número de correlações entre o teste de Stroop e outros que avaliavam a atenção e o funcionamento executivo, com os indicadores da RMI, principalmente, entre as taxas de transferência de magnetização e os tempos de relaxação. A relaxometria de SC foi a Única que diferenciou os desempenhos no exame neuropsicológico, sendo que o C2>C4>C1>C3. Deve-se ressaltar, ainda, que houve influência da idade nas variáveis PSC%, PSB%, relaxo SC, MT SC, relaxo SB e MT SB, enquanto que a escolaridade influenciou somente a PSC% e a relaxometria de SC. Diante da importante influência exercida pela idade sobre esses marcadores biológicos, optou-se por avaliar a possível formação de cluster sem essa variável, encontrando-se 4 clusters que diferiram, agora, segundo a escolaridade, sendo o C1 (12 anos)> C2 (3,6 anos) C3 (5 anos) e C4 (3,5 anos). Observou-se que a escolaridade foi determinante na formação desses clusters de acordo com a avaliação neuropsicológica. Demonstrou-se, então, diferença significativa entre os clusters na taxa de transferência de magnetização de substância branca (MTSB) de modo que o cluster 1, com maior escolaridade, obteve as melhores taxas do que os demais. Houve diferenças significativas no processo de envelhecimento cognitivo e cerebral nessegrupo de idosos saudáveis estimado pelos instrumentos de avaliação neuropsicológica e marcadores da RMI. As variáveis da ANP e as da RMI correlacionaram-se, principalmente, entre a atenção e funções executivas com as taxas de transferência de magnetização e o tempo de relaxação. Em relação ao neuropsicológico verificou-se que o teste de Stroop diferenciou os idosos mais velhos e com piores marcadores na RMI. Por outro lado, existiu diferença na relaxometria de substância cinzenta (Relaxo SC) em relação aos desempenhos apresentados nos testes neuropsicológicos, sendo que os grupos com risco de desenvolver anormalidades futuras obtiveram maiores tempos de relaxação de SC do que os demais. A MT SB, por sua vez, também diferenciou os grupos com melhor desempenho neuropsicológico e maior escolaridade, apresentando maior preservação dessas fibras neurais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.09.2008

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FOSS, Maria Paula; SPECIALI, José Geraldo. Variações no envelhecimento cognitivo e cerebral em idosos saudáveis. 2008.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2008.
    • APA

      Foss, M. P., & Speciali, J. G. (2008). Variações no envelhecimento cognitivo e cerebral em idosos saudáveis. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Foss MP, Speciali JG. Variações no envelhecimento cognitivo e cerebral em idosos saudáveis. 2008 ;
    • Vancouver

      Foss MP, Speciali JG. Variações no envelhecimento cognitivo e cerebral em idosos saudáveis. 2008 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019