Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Custos comparativos entre a revascularização cirúrgica do miocárdio com e sem circulação extracorpórea (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GIRARDI, PRISCYLA BORGES MIYAMOTO DE ARAÚJO - FM
  • USP Schools: FM
  • Subjects: CUSTOS DOS CUIDADOS DE SAÚDE; REVASCULARIZAÇÃO MIOCÁRDICA
  • Language: Português
  • Abstract: Técnicas cirúrgicas de revascularização miocárdica sem o uso de circulação extracorpórea (CEC) trouxeram esperanças de resultados operatórios com menor dano sistêmico, menor ocorrência de complicações clínicas e menor tempo de internação hospitalar gerando expectativas de menor custo hospitalar. Objetivos: Avaliar o custo hospitalar em pacientes submetidos á cirurgia de revascularização miocárdica com e sem o uso de CEC, em portadores de doença multiarterial coronária estável com função ventricular preservada. Métodos: Os custos hospitalares foram baseados na remuneração governamental vigente. Foram acrescentados nos custos, o uso de orteses, próteses, complicações e intercorrências clinicas. Foram considerados o tempo e os custos da permanência na UTI e de internação hospitalar. Não foram consideradas remuneração de profissionais médicos e equipe multiprofissional, bem como depreciação de materiais, taxa de administração predial, água luz, telefone, alimentação, exames laboratoriais de admissão e medicamentos. Resultados: Entre janeiro de 2002 a Agosto de 2006 foram randomizados 131 pacientes para cirurgia com CEC e 128 pacientes sem CEC. As características clínicas basais foram semelhantes para os dois grupos. Os custos das intercorrências cirúrgicas foram significantemente menores (p<0,001) para pacientes do grupo SCEC comparados ao grupo CCEC (606,00 ± 525,00 vs 945,90 ± 440,00) bem como, os custos na UTI (432,20 ± 391,70 vs 717,70 ± 257,70)respectivamente. Entretanto, o custo final foi maior no grupo SCEC (6.877,00 525,20 vs 5.305,00 440,11; p<0.001) devido ao preço do estabilizador utilizado. Os tempos de permanência na sala cirúrgica foram (4,9 ± 1,1h vs 3,9 ± 1,0h), (p<0,001) na UTI (48,25 ± 17,2h vs 29,20 ± 26,1h) (p<0,001) com tempo de entubação (9,2 ± 4,5h vs 6,4 ± 5,1h) (p<0,001) para pacientes do grupo com CEC e sem CEC respectivamente. Conclusão: Esses resultados permitem concluir que a cirurgia SCEC
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.06.2009
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM10700066584FM W4.DB8 SP.USP FM-2 G434cu 2009
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GIRARDI, Priscyla Borges Miyamoto de Araújo; HUEB, Whady. Custos comparativos entre a revascularização cirúrgica do miocárdio com e sem circulação extracorpórea. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-10092009-115211/ >.
    • APA

      Girardi, P. B. M. de A., & Hueb, W. (2009). Custos comparativos entre a revascularização cirúrgica do miocárdio com e sem circulação extracorpórea. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-10092009-115211/
    • NLM

      Girardi PBM de A, Hueb W. Custos comparativos entre a revascularização cirúrgica do miocárdio com e sem circulação extracorpórea [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-10092009-115211/
    • Vancouver

      Girardi PBM de A, Hueb W. Custos comparativos entre a revascularização cirúrgica do miocárdio com e sem circulação extracorpórea [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-10092009-115211/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: