Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Influência do álcool e número de medicações na adesão aos anti-retrovirais em portadores do HIV/aids (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ANDRADE, EVELINE SAAD DE - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: ANTI-HIV; ÁLCOOL (USO;EFEITOS)
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A Terapia Anti-retroviral de Alta Eficácia (Highly Active Antiretroviral Therapy - HAART) é recomendada para todos os pacientes infectados pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) que sejam sintomáticos, independente da contagem de linfócitos 'TCD IND.4' ' POT.+', e para aqueles assintomáticos com contagem de linfócitos 'TCD IND.4' ' POT.+' abaixo de 200 células/mm³. A adesão inadequada à terapia anti-retroviral é a causa mais freqüente de falha no tratamento, pois o uso dos medicamentos em doses subótimas ou de forma irregular acelera o processo de seleção de cepas virais resistentes. O consumo de bebidas alcoólicas pode interferir no sucesso da HAART, basicamente, de duas maneiras: quando o paciente deixa de tomar a medicação para poder consumir a bebida ou quando o paciente ingere álcool junto com a medicação e este interage com a droga diminuindo seu efeito. Assim como o álcool, outro importante fator que interfere negativamente na adesão dos portadores do HIV à HAART, é o número de medicamentos a serem tomados. As atuais terapias anti-retrovirais têm um esquema de administração de doses bastante complexo. O grande número de comprimidos ou cápsulas, utilizados por tempo indeterminado, dificulta sobremaneira a adesão do paciente ao tratamento à longo prazo. Em casos de infecções associadas, em que são necessárias terapias combinadas, o aumento no número de comprimidos pode trazer ainda mais dificuldade na compreensão das doses. Objetivo:Verificar se o consumo de álcool e a quantidade de medicamentos ingeridos influenciam na adesão aos anti-retrovirais em portadores do HIV/aids atendidos na Unidade Especial de Tratamento de Doenças Infecciosas (UETDI) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (HCFMRP). População, Material e Método: Tratou-se de um estudo transversal I realizado no período de fevereiro a junho de 2007. Foram incluídos no estudo 250 pacientes adultos portadores de HIV/aids que estavam em tratamento com anti-retrovirais em seguimento no ambulatório da UETDI. Para a avaliação de variáveis possivelmente associadas à adesão à HARRT foi utilizado um questionário estruturado buscando dados relativos ao modo de aquisição do vírus, tempo de infecção pelo HIV/aids, uso de drogas ilícitas, tabagismo, álcool, tempo de início do uso dos ARV, outras medicações em uso, número de comprimidos/cápsulas/dia e respectivos horários de administração, dificuldades na tomada da medicação e freqüência aos retornos. Para avaliar o consumo de álcool aplicou-se o Alcohol Use Disorder Identification Test (AUDIT) que é um questionário composto por dez questões elaborado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para Identificar distúrbios sobre o uso de álcool. Foram coletadas ainda informações referentes ao tratamento; freqüência aos retornos e quantificação do RNA do HIV-1 e dos linfócitos TCD4+ com o intuito de complementar osdados obtidos no questionário. Foram considerados aderentes ao tratamento os pacientes que tomaram pelo menos 80% da quantidade de comprimidos prescritos nos últimos sete dias antes da entrevista. Resultados: A prevalência de adesão encontrada foi de 82,8% (IC95%= 78,8 - 86,5). As variáveis que apresentaram associação com a adesão foram: idade, número de comprimidos, comportamento nos fins de semana e/ou eventos sociais, freqüência às consultas, uso de drogas ilícitas, comportamento diante do esquecimento de uma dose e consumo de bebidas alcoólicas. As adesão foram: sexo, modo de aquisição do vírus, tempo de diagnóstico, tabagismo e comportamento diante dos exames laboratoriais. Conclusões: O consumo de bebidas alcoólicas parece influenciar negativamente na adesão ao tratamento; Pacientes em uso de um maior número de comprimidos ao dia apresentam menor prevalência de adesão á HAART; Mulheres parecem ser mais aderentes ao tratamento em relação aos homens; Não há associação entre sexo, modo de aquisição do vírus e tempo de diagnóstico e adesão aos ARV
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.03.2009

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200037336Andrade, Eveline Saad de
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANDRADE, Eveline Saad de; MACHADO, Alcyone Artioli. Influência do álcool e número de medicações na adesão aos anti-retrovirais em portadores do HIV/aids. 2009.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.
    • APA

      Andrade, E. S. de, & Machado, A. A. (2009). Influência do álcool e número de medicações na adesão aos anti-retrovirais em portadores do HIV/aids. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Andrade ES de, Machado AA. Influência do álcool e número de medicações na adesão aos anti-retrovirais em portadores do HIV/aids. 2009 ;
    • Vancouver

      Andrade ES de, Machado AA. Influência do álcool e número de medicações na adesão aos anti-retrovirais em portadores do HIV/aids. 2009 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: