Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Prevalência de queixas de dores osteomusculares em motoristas de caminhão que trabalham em turnos irregulares (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LEMOS, LUCIA CASTRO - FSP
  • USP Schools: FSP
  • Sigla do Departamento: HSA
  • Subjects: DOR (PREVALÊNCIA); DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO (PREVALÊNCIA); CONDIÇÕES DE TRABALHO (COMPARAÇÃO); ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO (FATORES); SONO (QUALIDADE); MEDIDAS DE ATITUDE (INSTRUMENTOS); SINAIS E SINTOMAS (ASSOCIAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: Os motoristas profissionais estão expostos a agravos em seu meio de trabalho que podem interferir em sua saúde física e mental. Objetivo: Estimar a prevalência de queixas de dores osteomusculares nos últimos 12 meses em motoristas de caminhão que trabalham em uma transportadora de cargas em horários irregulares e em motoristas que trabalham em horários fixo- diurno. Métodos: A população desse estudo constituiu-se de motoristas de caminhão do sexo masculino (n=460) com idade média de 39,8 anos. Os dados coletados, a partir de questionários, corresponderam a informações sobre aspectos sociodemográficos, estilo de vida, condições de saúde e aspectos do sono. A prevalência das queixas de dores osteomusculares foi estimada por meio do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares e sua associação com as variáveis estudadas foi verificada pela análise de regressão uni e multivariada. O teste Hosmer- Lemeshow foi realizado para medir o ajuste (goodness-of-fit) do modelo de regressão logística da variável dor com um nível de significância de p menor que 0,05. Resultados: A maioria dos motoristas estudados (53,5 por cento) referiu algum tipo de sintoma de dor e 22 por cento relataram dores na semana antecedente à pesquisa. Os motoristas do horário irregular apresentaram prevalência mais elevada de queixas de dor quando comparados aos do horário diurno. Qualidade de sono e hábito de cochilar, assim como desconforto ao dirigir o caminhão foram fatores de riscoindependentes para dor nos últimos 12 meses na maioria dos modelos de regressão obtidos. Conclusões: O trabalho em horário irregular está relacionado à presença de queixas de dores osteomusculares. A associação das queixas de dores nos últimos 12 meses com a baixa qualidade de sono e o hábito de não cochilar, observada neste estudo, sugere que o sono de má qualidade contribui para a presença de dores nesta ) população.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.10.2009
  • Acesso online ao documento

    Acesso à fonte or search this record in

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LEMOS, Lucia Castro; MORENO, Claudia Roberta de Castro. Prevalência de queixas de dores osteomusculares em motoristas de caminhão que trabalham em turnos irregulares. 2009.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6134/tde-16102009-163055/ >.
    • APA

      Lemos, L. C., & Moreno, C. R. de C. (2009). Prevalência de queixas de dores osteomusculares em motoristas de caminhão que trabalham em turnos irregulares. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6134/tde-16102009-163055/
    • NLM

      Lemos LC, Moreno CR de C. Prevalência de queixas de dores osteomusculares em motoristas de caminhão que trabalham em turnos irregulares [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6134/tde-16102009-163055/
    • Vancouver

      Lemos LC, Moreno CR de C. Prevalência de queixas de dores osteomusculares em motoristas de caminhão que trabalham em turnos irregulares [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6134/tde-16102009-163055/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019