Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

O papel estrutural e funcional da FAK em mastócitos (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CARVALHO, CELIANE CARDOSO - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: MASTÓCITOS; MIGRAÇÃO; PROLIFERAÇÃO CELULAR
  • Language: Português
  • Abstract: Os mastócitos exercem um papel crítico em processos inflamatórios e alérgicos através da liberação de mediadores presentes em seus grânulos. Neste estudo, foi investigado o papel da quinase de adesão focal (FAK) nos processo de proliferação, adesão e migração de mastócitos da linhagem RBL-2H3. Células C5 deficientes em FAK, derivadas das RBL-2H3, e células 2C 1 que foram reconstituídas com o gene da F AK e passaram a super expressar esta proteína, foram analisadas em comparação com as células RBL-2H3. As células RBL-2H3 e células 2CI são fusiformes, enquanto as células C5 são heterogêneas, porém na sua maioria arredondadas. Para se obter uma população de células morfologicamente mais homogênea, as células C5 foram subclonadas. Como resultado foi obtido o clone G5, com uma população mais homogênea com muitas células arredondadas. A distribuição do citoesqueleto de actina confirmou as diferenças morfológicas entre células C5 e G5, em comparação com células RBL-2H3 e 2C1. As células C5 e G5 também possuem poucos grânulos quando comparadas com RBL-2H3 e 2C1. Entretanto, os ensaios para a liberação de 'beta'- hexosaminidase mostraram que as células G5 e C5 são semelhantes funcionalmente entre si, apesar das diferenças morfológicas. A maioria das células C5 cresce em suspensão e proliferam muito mais em comparação com as células RBL-2H3 e 2C 1. As células RBL-2H3 e 2C1 quando cultivadas em nanofibras de matriz extracelular adquirem forma arredondada enquanto, ascélulas C5 permanecem arredondadas. As células C5 aderem menos em todos os componentes da matriz extracelular quando comparadas com as células RBL-2H3 e com as células 2C 1. A deficiência na expressão da FAK diminui a adesão de mastócitos aos componentes da matriz extracelular, mas a super expressão da FAK não altera significativamente a adesão destas células, com exceção do colágeno tipo I. A adesão celular está relacionada com o processo de migração celular. A análise da migração celular mostrou que as células C5 migraram menos que as células RBL-2H3 e 2C 1 em superficies cobertas com fibronectina, colágeno do tipo IV e laminina e migraram mais nas superficies cobertas com colágeno do tipo I quando comparadas com as células RBL-2H3 e 2C 1. Os resultados deste trabalho mostram que a deficiência em FAK altera a morfologia celular, a distribuição de grânulos, e a proliferação de mastócitos. Por outro lado, a super expressão da FAK leva a um aumento da adesão celular e modula a migração destas células em diferentes componentes da matriz extracelular
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.09.2009

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200038073Carvalho, Celiane Cardoso
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARVALHO, Celiane Cardoso; JAMUR, Maria Célia. O papel estrutural e funcional da FAK em mastócitos. 2009.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009.
    • APA

      Carvalho, C. C., & Jamur, M. C. (2009). O papel estrutural e funcional da FAK em mastócitos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Carvalho CC, Jamur MC. O papel estrutural e funcional da FAK em mastócitos. 2009 ;
    • Vancouver

      Carvalho CC, Jamur MC. O papel estrutural e funcional da FAK em mastócitos. 2009 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: