Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Modulação do fenótipo de resistência a múltiplas drogas por lipoproteínas em células de sarcoma uterino resistente à doxorrubicina (2010)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CELESTINO, ANDREA TURBUCK - FM
  • USP Schools: FM
  • Subjects: LIPOPROTEÍNAS; MEDICAMENTO (RESISTÊNCIA); SARCOMA (EFEITOS DE DROGAS); EXPRESSÃO GÊNICA; QUIMIOTERÁPICOS (RESISTÊNCIA)
  • Language: Português
  • Abstract: O desenvolvimento de resistência a múltiplas drogas na terapêutica do câncer é um importante obstáculo para o tratamento efetivo. Os mecanismos de resistência a múltiplas drogas ocasionam a redução intracelular de agentes quimioterápicos e, por conseqüência, estão envolvidos no fracasso no tratamento do câncer. Os principais genes envolvidos neste fenômeno são: o gene MDR1(multiple drug resisctance), que codifica uma glicoproteína de alto peso molecular, a P-gp; o gene MRP1, que codifica uma glicoproteína de 190 Kda, denominada proteína associada à resistência a múltiplas drogas; e o gene da LRP (proteína relacionada à resistência de pulmão). Alguns estudos sugerem que o colesterol pode estar envolvido diretamente com o fenômeno de resistência a múltiplas drogas, e que os lipídeos podem influenciar várias e complexas funções no MDR, por afetarem o transporte de drogas através da membrana plasmática. Além disso, células tumorais tem maior necessidade de colesterol devido a uma taxa de multiplicação mais elevada que as células normais. Neste estudo analisou-se a expressão dos genes MDR1, MRP1 e LRP em células de sarcoma uterino resistentes à doxorrubicina, e a influência de lipoproteínas. Houve aumento da expressão dos genes MDR1, MRP1 e LRP nas células tratadas com a LDL, sendo mais expressivo o gene MDR1. A HDL diminuiu a expressão dos genes MRP1 e LRP. No entanto, o gene MDR1 teve sua expressão diminuída somente em concentrações maiores. As células cultivadas em meio sem soro fetal apresentaram um elevado aumento na expressão destes genes. Em conclusão, as lipoproteínas podem modular a expressão dos genes MDR1, MRP1 e LRP e, assim, atuar na resistência a múltiplas drogas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.02.2010
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FM10700069285W4.DB8 SP.USP FM-2 C386mo 2009
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CELESTINO, Andrea Turbuck; BYDLOWSKI, Sergio Paulo. Modulação do fenótipo de resistência a múltiplas drogas por lipoproteínas em células de sarcoma uterino resistente à doxorrubicina. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5159/tde-05042010-170939/ >.
    • APA

      Celestino, A. T., & Bydlowski, S. P. (2010). Modulação do fenótipo de resistência a múltiplas drogas por lipoproteínas em células de sarcoma uterino resistente à doxorrubicina. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5159/tde-05042010-170939/
    • NLM

      Celestino AT, Bydlowski SP. Modulação do fenótipo de resistência a múltiplas drogas por lipoproteínas em células de sarcoma uterino resistente à doxorrubicina [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5159/tde-05042010-170939/
    • Vancouver

      Celestino AT, Bydlowski SP. Modulação do fenótipo de resistência a múltiplas drogas por lipoproteínas em células de sarcoma uterino resistente à doxorrubicina [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5159/tde-05042010-170939/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: