Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Transferência placentária e colostral de selênio em éguas gestantes suplementadas com fonte orgânica e inorgânica de selênio (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FIGUEIRA, YARA FERREIRA - FMVZ
  • USP Schools: FMVZ
  • Subjects: EQUINOS; PLACENTA; SELÊNIO; SUPLEMENTOS ALIMENTARES PARA ANIMAIS
  • Language: Português
  • Abstract: O selênio durante a fase fetal e na lactação é de vital importância para o correto desenvolvimento dos sistemas imunológico, muscular e antioxidante dos potros. Existe pouca informação na literatura a qual seria a melhor fonte e o melhor momento para suplementar eqüino, assim como qual o grau de transferência placentária ou colostral. O presente estudo teve como objetivo avaliar a capacidade de transferência placentária e colostral de duas fontes dietéticas de selênio, utilizando como parâmetros os níveis plasmáticos de éguas e potros, e do colostro e do leite. Foram utilizadas 24 éguas gestantes, divididas em três grupos iguais e distribuídas seguindo um delineamento inteiramente casualizado. Grupo I suplementado por via oral com selenito de sódio como fonte inorgânica, grupo II suplementado por via oral com selenometionina como fonte orgânica, e grupo III controle, sem suplementação. A suplementação teve início no último terço da gestação até o sétimo dia pós-parto. Foram colhidas amostras de sangue das éguas, no dia do inicio do teste e no dia do parto, dos potros do nascimento e sétimo dia, e do leite no primeiro e sétimo dia pós-parto. A quantidade de selênio no colostrofoi maior (p<0,05) no grupo suplementado com selenito de sódio (59,18 ± 14,5) quando comparada ao grupo do selenometionina (24,27 ±15,9). No plasma dos potros foi observada uma maior (p<0,05) presença de selênio naqueles animais do grupo suplementado com selenito de sódio (61,7 ± 34,4), quando comparada ao grupo do selenometionina (36,7 ± 17,3). Foi possível concluir que o selenito de sódio apresenta maior taxa de transferência placentária e colostral que o selenometionina, resultando em níveis colostrais e plasmáticos maiores, tanto nas éguas quanto nos potros.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.10.2009
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMVZ11300032940T.2171 FMVZ e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FIGUEIRA, Yara Ferreira; GOBESSO, Alexandre Augusto de Oliveira. Transferência placentária e colostral de selênio em éguas gestantes suplementadas com fonte orgânica e inorgânica de selênio. 2009.Universidade de São Paulo, Pirassununga, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10135/tde-26112009-114156/ >.
    • APA

      Figueira, Y. F., & Gobesso, A. A. de O. (2009). Transferência placentária e colostral de selênio em éguas gestantes suplementadas com fonte orgânica e inorgânica de selênio. Universidade de São Paulo, Pirassununga. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10135/tde-26112009-114156/
    • NLM

      Figueira YF, Gobesso AA de O. Transferência placentária e colostral de selênio em éguas gestantes suplementadas com fonte orgânica e inorgânica de selênio [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10135/tde-26112009-114156/
    • Vancouver

      Figueira YF, Gobesso AA de O. Transferência placentária e colostral de selênio em éguas gestantes suplementadas com fonte orgânica e inorgânica de selênio [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/10/10135/tde-26112009-114156/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: