Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Caracterização florística e estrutural do componente arbóreo de três fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual da região leste do vale do Paraíba - SP (2010)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FREITAS, HERBERT SERAFIM DE - IB
  • USP Schools: IB
  • Subjects: FLORA; RIQUEZA; BOTÂNICA
  • Language: Português
  • Abstract: A bacia do rio Paraíba do Sul (sudeste do Brasil) está inserida no domínio da Floresta Atlântica, em altitudes que vão do nível do mar até 2797 metros. Há grande complexidade topográfica e climática, que resulta na presença de inúmeras fitofisionomias, como os Campos de altitude, Cerrado, Floresta Estacional Semidecidual e Florestas Ombrófilas Densa e Mista. Apesar da grande complexidade florestal, esta bacia ainda não foi objeto de estudos fitogeográficos. Análises das relações de similaridade florística entre comunidades arbóreas conduz em geral ao estabelecimento de padõres condicionados por fatores diversos que determinam a ocorrência das espécies. As florestas estacionais semideciduais da bacia do rio Paraíba do Sul mostram-se bastante fragmentadas e têm sido pouco estudadas do ponto de vista florístico e fitossociológico. O presente estudo objetivou conhecer e comparar a composição florística, a estrutura e os aspectos ecológicos do componente arbóreo de três fragmentos. Além disso, foram utilizadas análises de agrupamento e correspondência para estabelecer comparações florísticas com outras 31 áreas de Floresta Atlântica, 17 delas pertencentes à bacia do rio Paraíba do Sul (bacia do RPS). O fragmento maior (300 ha) situa-se no município de Areias e os dois menores (14 ha cada) em São José do Barreiro (22°41\'S; 44°3\'W), ambos no Estado de São Paulo. Para a amostragem, foram lançados 135 pontos quadrantes em cada um dos fragmentos, e incluídos os indivíduos comPAP maior igual; 15cm. Foram encontrados 1.620 indivíduos, 227 espécies, 138 gêneros e 51 famílias. As coletas extensivas acresceram 64 espécies, totalizando 290. As famílias Leguminosae, Myrtaceae, Rubiaceae, Lauraceae, Euphorbiaceae e Annonaceae apresentaram a maior riqueza de espécies. A riqueza de espécies variou entre 165 e 178, a partir da amostragem total, e os índices de diversidade variaram entre 3,88 e 4,4. Há 13 novos registros citados para o Estado de São Paulo (e.g. Casearia selloana, Mollinedia longifolia, Pseudolmedia hirtula), com a presença de cinco espécies ameaçadas (Dalbergia nigra, Melanoxylon brauna, Mollinedia glabra, Ocotea odorifera, Urbanodendron bahiense). Os fragmentos apresentam-se em estágio avançado de sucessão, com predomínio de zoocoria, o que demonstra sua importância ecológica para a manutenção da fauna. As análises florísticas e a composição de espécies indicaram que, apesar de seus caracteres de transição entre florestas estacionais semideciduais e ombrófilas densas, a flora arbórea 188 dos fragmentos tem laços mais fortes com as primeiras. As florestas estacionais semideciduais da bacia do RPS apresentaram maior semelhança com as de mesma fitofisionomia da bacia do rio Doce, sugerindo que ambas correspondam a um contínuo de distribuição. O maior aporte de umidade das bacias RPS e do rio Doce deve ser o principal fator responsável pela distribuição de diversas espécies de forma exclusiva entre as florestas estacionais destas bacias e asflorestas ombrófilas. Sugeriu-se que as variáveis mais fortemente ligadas à diferenciação florística entre as florestas comparadas sejam a duração da estação seca (estacionalidade das chuvas), a precipitação total, a altitude e a proximidade espacial entre as áreas. A alta riqueza e o elevado número de espécies de ocorrência restrita ou pouco frequentes na Floresta Atlântica denotam a importância da conservação dos fragmentos de florestas estacionais desta região. Ressaltamos ainda que o Vale do Paraíba paulista não possui unidades de conservação de proteção integral que incluam remanescentes de Floresta Estacional Semidecidual, o que compromete seriamente a conservação de parte importante da biota que é exclusiva deste tipo florestal, como constatado neste estudo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.04.2010
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000025502M-1471
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FREITAS, Herbert Serafim de; SANO, Paulo Takeo. Caracterização florística e estrutural do componente arbóreo de três fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual da região leste do vale do Paraíba - SP. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-12062010-175452/ >.
    • APA

      Freitas, H. S. de, & Sano, P. T. (2010). Caracterização florística e estrutural do componente arbóreo de três fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual da região leste do vale do Paraíba - SP. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-12062010-175452/
    • NLM

      Freitas HS de, Sano PT. Caracterização florística e estrutural do componente arbóreo de três fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual da região leste do vale do Paraíba - SP [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-12062010-175452/
    • Vancouver

      Freitas HS de, Sano PT. Caracterização florística e estrutural do componente arbóreo de três fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual da região leste do vale do Paraíba - SP [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-12062010-175452/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: