Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Aspectos neurofisiológicos da hanseníase (2010)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ANDRADE, GILBERTO BROWN DE - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: HANSENÍASE; NERVOS PERIFÉRICOS (FISIOPATOLOGIA); NEUROFISIOLOGIA; ELETROMIOGRAFIA; NEUROLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: A hanseníase é uma moléstia infecto-contagiosa causada pelo Mycobacterium leprae, bacilo álcool-ácido resistente que infecta a pele e os nervos periféricos. O comprometimento neural está sempre presente e pode levar a seqüelas neurológicas com graves prejuízos sociais, econômicos e psicológicos para os indivíduos acometidos. Estas complicações podem ser evitadas com tratamento adequado e iniciado o mais precocemente possível. A eletroneuromiografia (ENMG) é um valioso recurso para avaliar a função dos nervos periféricos, sendo capaz de detectar alterações subclínicas da doença. O propósito deste trabalho foi caracterizar quais as alterações comumente encontradas nos nervos periféricos, como: topografia, simetria e padrões neurofisiológicos baseados nos estudos de neurocondução, visando a detecção precoce das lesões nervosas para uma intervenção terapêutica eficaz. O estudo foi retrospectivo, sendo avaliados setenta e sete prontuários de pacientes com diagnóstico confirmado de hanseníase, quanto aos dados epidemiológicos, laboratoriais, clínicos e de estudos neurofisiológicos. Um total de 1219 nervos foram estudados, incluindo os nervos medianos, ulnares, fibulares profundos, tibiais, radiais, surais e fibulares superficiais. As formas neurais puras apresentaram um tempo maior de evolução da doença até o diagnóstico. O padrão neurofisiológico mais detectado foi de neuropatia sensitivo-motora assimétrica, com alentecimento focal de condução. Alterações assimétricas de latências, velocidades de condução ou amplitudes foram vistas em todos os pacientes, mesmo naqueles com comprometimento mais difuso dos nervos. Foram mais comuns os achados de mononeuropatia múltipla, tanto nas formas paucibacilares como nas multibacilares, não se encontrando padrão de polineuropatia simétrica comprimento-dependente. Os nervos mais acometidos pela hanseníase foram osnervos fibulares superficiais, ulnares sensitivos, surais e ulnares motores. No nervo ulnar motor, foi encontrado alentecimento da velocidade de condução no segmento do cotovelo em 55,97% dos nervos testados. Esses achados, em conjunto com latências prolongadas e dispersão temporal, sugerem importante componente desmielinizante nessas neuropatias. A hanseníase deve ser considerada em pacientes cujo estudo neurofisiológico revele essas anormalidades, sendo particularmente útil nas formas neurais puras e possibilitando o diagnóstico precoce que pode prevenir seqüelas ao reduzir o tempo de evolução da doença
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.06.2010

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200055198Andrade, Gilberto Brown de
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANDRADE, Gilberto Brown de; MARQUES JÚNIOR, Wilson. Aspectos neurofisiológicos da hanseníase. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Andrade, G. B. de, & Marques Júnior, W. (2010). Aspectos neurofisiológicos da hanseníase. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Andrade GB de, Marques Júnior W. Aspectos neurofisiológicos da hanseníase. 2010 ;
    • Vancouver

      Andrade GB de, Marques Júnior W. Aspectos neurofisiológicos da hanseníase. 2010 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: