Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Perdas em ferritas de manganês zinco: o papel da sinterização e de parâmetros microestruturais (2010)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: COLÁN, VICTORIA AMELIA LÁZARO - EP
  • USP Schools: EP
  • Subjects: FERROMAGNETISMO; SINTERIZAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: O uso das ferritas de manganês zinco em fontes de potência de carregadores de bateria vem crescendo nos últimos anos, devido a suas baixas perdas magnéticas em induções da ordem de 0,2 tesla. Estas ferritas pertencem à categoria de ferritas moles, são óxidos ferrimagnéticos, policristalinos com estrutura cúbica tipo espinélio. Pós desse material foram compactados em prensa uniaxial.e em prensa automática de produção para anel e toróide, respectivamente. Foram realizados três ciclos de sinterização variando o teor de oxigênio entre 5 e 15%, no patamar de sinterização, com o propósito de avaliar seu efeito na densidade, microestrutura, perdas magnéticas em altas induções (0,2T) e permeabilidade. Amostras sinterizadas em posições mais quentes do forno resultaram em maior densidade e maior tamanho de grão, conforme esperado, mas resultaram em maiores perdas a 25º C. O aumento do teor de oxigênio entre 5 e 15% não alterou sistematicamente a densidade mas resultou num pequeno aumento do tamanho de grão. Já a correlação entre teor de oxigênio e perdas foi complexa. Na maioria dos casos, as amostras sinterizadas sob maior teor de oxigênio resultaram em perdas menores. Foi observado que existe uma temperatura de mínimo nas perdas totais por volta de 60°C. O mesmo comportamento foi observado na curva da perda histerética, compatível com a variação da constante de anisotropia magnetocristalina (K1). Foram realizados ensaios de curvas de histerese a partir de 25 até 100°C, a 0,2T com o objetivo de avaliar o efeito da temperatura nas duas parcelas da perda histerética. Amostras sinterizadas com a menor pressão de oxigênio apresentaram um melhor comportamento mostrando uma temperatura de mínimo de perda.As técnicas de análise química do teor de Fe2+ não foram capazes de estabelecer, inequivocamente, a esperada relação entre essa variável e o teor de oxigênio da atmosfera de sinterização.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.05.2010
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EPBC31200007899FT-2859 Ed.rev.
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LÁZARO COLÁN, Victoria Amelia; LANDGRAF, Fernando José Gomes. Perdas em ferritas de manganês zinco: o papel da sinterização e de parâmetros microestruturais. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-30112010-144937/?&lang=pt-br >.
    • APA

      Lázaro Colán, V. A., & Landgraf, F. J. G. (2010). Perdas em ferritas de manganês zinco: o papel da sinterização e de parâmetros microestruturais. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-30112010-144937/?&lang=pt-br
    • NLM

      Lázaro Colán VA, Landgraf FJG. Perdas em ferritas de manganês zinco: o papel da sinterização e de parâmetros microestruturais [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-30112010-144937/?&lang=pt-br
    • Vancouver

      Lázaro Colán VA, Landgraf FJG. Perdas em ferritas de manganês zinco: o papel da sinterização e de parâmetros microestruturais [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-30112010-144937/?&lang=pt-br