Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Evolução da mortalidade infantil no município de São Paulo nas últimas três décadas (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PAIVA, RUI DE - FSP
  • USP Schools: FSP
  • Subjects: MORTALIDADE INFANTIL
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivos: estudos de tendência da mortalidade infantil têm importância, entre outros aspectos, no estabelecimento de padrões locais e-ou regionais. Estes têm interesse epidemiológico e político, pois podem informar ações dirigidas à sua modificação. Devido às suas dimensões, que lhe conferem características próprias, o município de São Paulo reúne grandes contingentes populacionais vivendo sob condições muito diferentes, resultantes de peculiaridades do desenvolvimento brasileiro. Avaliar o comportamento da mortalidade infantil no tempo e em diferentes extratos populacionais, que, por seu turno, guardam uma relação com a ocupação do espaço urbano, é o objetivo proposto. A tendência declinante das mortes infantis torna necessário o exame da equidade com que vem ocorrendo em todos os extratos de população. Método: utilizando-se bancos de dados disponíveis, reconstitui-se a trajetória da mortalidade infantil no município de São Paulo desde o final do Séc XIX. O mesmo e feito com o componente neonatal desde a década de cinqüenta do século passado. A partir de estudos anteriores baseados em grupos com diferentes proporções de baixa renda, atualizam-se os dados referentes a uma proposta de divisão sócio-espacial da cidade através da comparação dos coeficientes de mortalidade infantil e das causas de morte nas áreas propostas, analisando se a evolução temporal desses gradientes sócio-espaciais. Resultados: a tendência geral declinante da mortalidade infantil no município durante todo o Séc. XX. sofreu uma bem definida interrupção nas décadas de sessenta e setenta. As áreas estudadas acompanham esse perfil, com quedas mais acentuadas para aquelas com maior proporção de renda. A concentração da mortalidade infantil no período neonatal diminuiu a importância de mortes por causas de origem infecciosa e deficiências nutricionais.Permanecem, entretanto, diferenças entre as áreas estudadas e a sobremortalidade das áreas piores em relação às melhores se manteve inalterada em períodos recentes. Conclusões: a mortalidade infantil apresenta queda constante desde os anos setenta, apesar de permanecerem inalteradas algumas situações que foram utilizadas para explicar a alta em outros tempos. Esse comportamento, que pode parecer paradoxal, não compromete o uso do coeficiente de mortalidade infantil como indicador de eqüidade social
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.12.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FSP11800045971312.23 63
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PAIVA, Rui de; LAURENTI, Ruy. Evolução da mortalidade infantil no município de São Paulo nas últimas três décadas. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Paiva, R. de, & Laurenti, R. (2002). Evolução da mortalidade infantil no município de São Paulo nas últimas três décadas. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Paiva R de, Laurenti R. Evolução da mortalidade infantil no município de São Paulo nas últimas três décadas. 2002 ;
    • Vancouver

      Paiva R de, Laurenti R. Evolução da mortalidade infantil no município de São Paulo nas últimas três décadas. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: