Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Tolerância a endotoxina no periodonto de ratos: participação do óxido nítrico (2009)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: TEDESCHI, VALÉRIA PONTELLI NAVARRO - FORP
  • USP Schools: FORP
  • Subjects: TOLERÂNCIA; FEBRE; PERIODONTIA; ÓXIDO NÍTRICO; ENDOTOXINAS
  • Language: Português
  • Abstract: A injeção de doses repetidas de lipopolissacarídeo (LPS) resulta em atenuação da resposta febril, que é chamada de tolerância a endotoxina. Esta resposta já foi caracterizada em ratos por meio de injeções sistêmicas. No presente estudo, nós testamos a hipótese que a tolerância a endotoxina ocorre localmente nos tecidos periodontais de proteção de ratos e que o óxido nítrico participa desta tolerância. Ratos machos Wistar foram injetados nos tecidos periodontais de proteção com solução salina ou LPS de Escherichia coli na dose de 100 μg/kg em 3 dias consecutivos com 24 horas de intervalo. A temperatura corporal (Tc) foi medida por meio de datalogger 1 h antes e 6 h após as injeções. Outro grupo experimental recebeu injeção intracerebroventricular (i.c.v.) de L-NMMA (500 μg/rato) 30 min antes da injeção de LPS no terceiro dia. Além disto, foi realizada a imunohistoquímica para proteína Fos para verificar a ativação neuronal na Área Pré-óptica do hipotálamo (POA) e no subnúcleo caudal do núcleo trigeminal espinhal no primeiro dia (animais não tolerantes) e terceiro dia (animais tolerantes) do tratamento com LPS, e também em animais que receberam L-NMMA ou salina i.c.v. no terceiro dia, antes do LPS. No dia, 1 após a injeção de LPS, foi observado uma resposta febril polifásica, no dia 2 houve uma alteração no padrão desta resposta e no dia 3 a resposta febril foi completamente abolida, caracterizando o desenvolvimento de tolerância a endotoxina na cavidade oral. Esta tolerância foi revertida com o pré-tratamento com L-NMMA no terceiro dia e os animais voltaram a apresentar febre. A imunohistoquímica detectou um aumento na expressão da proteina Fos no subnúcleo caudal do núcleo trigeminal espinhal e na POA no dia 1 em animais que receberam LPS, aumento este que foi abolido no dia 3 de tratamento com LPS. Da mesma forma que observamos a reversão do mecanismo detolerância com o desenvolvimento da resposta febril no terceiro dia, o pré-tratamento com L-NMMA aumentou o número de células Fos positivas em ambas às áreas estudadas. Estes resultados indicam que ratos desenvolvem tolerância ao LPS nos tecidos periodontais e que o óxido nítrico participa desse mecanismo de tolerância induzido por LPS no periodonto de ratos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.12.2009
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FORP11700007812Tedeschi, Valéria Pontelli Navarro
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      TEDESCHI, Valéria Pontelli Navarro; BRANCO, Luiz Guilherme de Siqueira. Tolerância a endotoxina no periodonto de ratos: participação do óxido nítrico. 2009.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2009. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58135/tde-27082010-155058/ >.
    • APA

      Tedeschi, V. P. N., & Branco, L. G. de S. (2009). Tolerância a endotoxina no periodonto de ratos: participação do óxido nítrico. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58135/tde-27082010-155058/
    • NLM

      Tedeschi VPN, Branco LG de S. Tolerância a endotoxina no periodonto de ratos: participação do óxido nítrico [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58135/tde-27082010-155058/
    • Vancouver

      Tedeschi VPN, Branco LG de S. Tolerância a endotoxina no periodonto de ratos: participação do óxido nítrico [Internet]. 2009 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58135/tde-27082010-155058/