Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Função pulmonar e efeitos do FLUTTER VRP1 em pacientes com bronquiectasias (2010)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PASSARELLI, RITA DE CÁSSIA VIANNA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: BRONCOPATIAS; PULMÃO; REABILITAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: Bronquiectasia é uma doença obstrutiva, com hipersecreção e comprometimento clinico e funcional heterogéneo. A fisioterapia respiratório tem por objetivo aumentar a remoção das secreções das vias aéreas e diminuir a obstrução para melhorar a ventilação pulmonar e as trocas gasosas. O FLUTTER VRP1 é um equipamento que combina duas técnicas: pressão expiratória positiva (PEP), e oscilações de alta freqüência, coadjuvantes no tratamento e prevenção do colapso alveolar e na eliminação das secreções pulmonares. Objetivo: Avaliar a efetividade do FLUTTER VRP1 sobre a função pulmonar, através da espirometria, em pacientes portadores de bronquiectasias. Metodologia: 37 pacientes com bronquiectasias realizaram exame clinico e espirometria. Destes, 8 pacientes participaram das intervenções, em estudo randomizado e cruzado. Intervenção 1: terapia com FLUTTER VRP1 e sham-FLUTTER. Intervenção 2: FLUTTER VRP1 e PEP, durante 30 minutos, por 4 semanas de tratamento e 1 semana de "wash-out", seguida de mais 4 semanas com a outra modalidade. Resultados: Dos 37 pacientes avaliados, 21 apresentaram dispnéia e tiveram valores menores de ‘VEF IND. 1’ (1,19±0,52L; 44,86±21,12%), VEF1/CVF (0,54±0,31; 64,86±25,29%) e ‘FEF IND. 25-75%’ (0,66±0,58Ls; 25,05±22,65%), que os sem dispnéia (‘VEF IND. 1’:2,03±0,81L; 70,94±30,31%, VEF1/CVF: 0,73±0,11; 87,13±15,71% e ‘FEF IND. 25-75%’: 1,89±1,20Ls; 63,19±40,58%) (p<0,05). Na intervenção 1: sham-FLUTTER vs FLUTTER VRP1, obtivemos valores menores de CVF (2,47±0,73L e 79,25±21,29%) e de VEF, (1,66±0,86L e 64,50±29,87%) para o grupo FLUTTER VRP1 (p˂0,05) comparado ao basal (CVF: 2,59±0,78L e 82,38±22,19%; ‘VEF IND. 1’: 1,76±0,95L e 67,38±31,59%) e ao sham-FLUTTER (CVF: 2,60±0,76L e 82,75±22,70%; ‘VEF IND. 1’: 1,75±0,92L). Na intervenção 2, PEP vs FLUTTER VRP1, também obtivemos valores menores deCVF (2,44±0,75L; 79,00±21,31 %); VEF, (1,56±0,88L; 60,88±29,47%); ‘FEF IND. 25-75%’ (1,36±1,34L; 45,75±41,11%) para o grupo FLUTTER VRP1 (p˂0,05) comparado ao basal (CVF: 2,57±0,79L; 82,63±22,18%; ‘VEF IND. 1’: 1,68±0,97L; 64,50±31,21%; ‘FEF IND. 25-75%’:1,56±1,65L; 52,25±52,05%) e ao PEP (CVF: 2,55±0,77L e 82,13±20,71%; ‘VEF IND. 1’: 64,13±30,81%). Os valores de ‘FEF IND. 25±75%’ (valor absoluto e %) foram maiores para o basal em relação ao PEP (p<0,05). Conclusão: O uso do FLUTTER VRP1 pode estar associado a discretos prejuízos da função pulmonar. Os pacientes que apresentam dispnéia no desempenho das atividades de vida diária demonstram maior comprometimento da função pulmonar
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 18.10.2010

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200056542Passarelli, Rita de Cássia Vianna
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PASSARELLI, Rita de Cássia Vianna; GASTALDI, Ada Clarice. Função pulmonar e efeitos do FLUTTER VRP1 em pacientes com bronquiectasias. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Passarelli, R. de C. V., & Gastaldi, A. C. (2010). Função pulmonar e efeitos do FLUTTER VRP1 em pacientes com bronquiectasias. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Passarelli R de CV, Gastaldi AC. Função pulmonar e efeitos do FLUTTER VRP1 em pacientes com bronquiectasias. 2010 ;
    • Vancouver

      Passarelli R de CV, Gastaldi AC. Função pulmonar e efeitos do FLUTTER VRP1 em pacientes com bronquiectasias. 2010 ;