Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Contribuição genética dos ancestrais da soja às cultivares brasileiras (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: WYSMIERSKI, PHILIP TRALDI - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LGN
  • Subjects: DIVERSIDADE GENÉTICA; MARCADOR MOLECULAR; VARIEDADES VEGETAIS; VULNERABILIDADE
  • Language: Português
  • Abstract: A soja é uma oleaginosa com grande destaque na economia mundial. O Brasil é o segundo maior produtor de soja, após os EUA, ressaltando a importância desta cultura para o país. Para que haja progresso genético nesta cultura, é necessário que haja diversidade genética e uma das maneiras de se estimar a diversidade genética de um grupo é através do conceito de base genética, que pode ser definida como o número de ancestrais e a contribuição genética relativa (CGR) de cada um deles para cada cultivar. A CGR pode ser estimada através do coeficiente de parentesco entre os ancestrais e as cultivares. Estudos anteriores concluíram que a base genética da soja era bastante estreita, sendo que apenas quatro ancestrais contribuíam com 48,16% da base genética. O objetivo geral deste estudo foi avaliar as genealogias de 444 cultivares brasileiras de soja para estimar sua base genética atual. Além disso, as cultivares foram divididas de acordo com seu período de lançamento (anterior a 1971, 1971-1980, 1981-1990, 1991-2000 e 2001-2009) ou de acordo com sua origem (pública ou privada) e foi estimada a base genética de cada grupo. Os resultados foram comparados com dados de marcadores moleculares de outros trabalhos. Foram encontrados 60 ancestrais para estas 444 cultivares, sendo que os quatro principais ancestrais (CNS, S-100, Nanking e Tokyo) contribuem com 55,26% e que apenas 14 ancestrais contribuem com mais de 1,00% individualmente para a base genética. Assim, estes 14 ancestrais representam 92,41% da base genética brasileira. Estes dados revelam que a base genética atual da soja brasileira continua bastante estreita, sendo muito similar à base genética da soja dos EUA, com a qual compartilha seis dos principais ancestrais. Na análise dos períodos, foi verificado que houve um aumento no número de ancestrais com o passar do tempomas os quatro principais ancestrais foram os mesmos em todos os períodos e sua contribuição ficou mais concentrada, passando de 46,60% no período anterior a 1971 para 57,59% no período 2001-2009, indicando um estreitamento da base genética. Além disso, os novos ancestrais incorporados ao longo do tempo apresentam contribuições muito baixas, sendo que em muitos casos foram incorporados apenas para introduzirem algumas características qualitativas. As 301 cultivares públicas possuem 58 ancestrais e CGRs bastante similares ao conjunto total. As cultivares privadas possuem 37 ancestrais, um número menor que o do conjunto total, provavelmente devido ao menor número de cultivares privadas analisadas (112), mas sua base genética é bastante similar ao do conjunto total. Portanto, conclui-se que (a) a base genética da soja é bastante estreita, apesar da incorporação de novos ancestrais; (b) com o passar do tempo houve um estreitamento da base genética, com aumento na CGR dos principais ancestrais; (c) não há diferença na CGR dos principais ancestrais entre as cultivares públicas e privadas e (d) os resultados deste trabalho concordam com alguns dados de marcadores moleculares, mas diferem de outros
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.01.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500117808t633.34 W994c e.1 98351
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      WYSMIERSKI, Philip Traldi; VELLO, Natal Antonio. Contribuição genética dos ancestrais da soja às cultivares brasileiras. 2011.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-11022011-105217/ >.
    • APA

      Wysmierski, P. T., & Vello, N. A. (2011). Contribuição genética dos ancestrais da soja às cultivares brasileiras. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-11022011-105217/
    • NLM

      Wysmierski PT, Vello NA. Contribuição genética dos ancestrais da soja às cultivares brasileiras [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-11022011-105217/
    • Vancouver

      Wysmierski PT, Vello NA. Contribuição genética dos ancestrais da soja às cultivares brasileiras [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11137/tde-11022011-105217/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: