Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Epidemiologia e bioquímica do controle do oídio do meloeiro por silício (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: DALLAGNOL, LEANDRO JOSÉ - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LEF
  • Subjects: DOENÇAS DE PLANTAS; FUNGOS FITOPATOGÊNICOS; MECANISMOS DE DEFESA; MELÃO; OÍDIO; RESISTÊNCIA GENÉTICA VEGETAL; SILÍCIO
  • Language: Português
  • Abstract: Embora não seja reconhecido como um nutriente essencial, o silício (Si) reduz a severidade de oídios em diversas espécies vegetais quando acumulado na parte aérea. Contudo, apesar deste efeito benéfico ser amplamente relatado na literatura, ainda pouco se sabe dos mecanismos envolvidos. Este estudo avaliou o efeito das aplicações foliar e radicular de silicato de potássio, uma importante fonte de Si solúvel, na severidade de oídio e na indução de mecanismos de defesa pós-infecção em meloeiro. Os efeitos na doença foram avaliados em plantas inoculadas artificialmente ou naturalmente mantidas em casa de vegetação através da mensuração da dinâmica da epidemia e de seus componentes. Os resultados indicaram que tanto aplicações foliares como radiculares de silicato de potássio reduziram a área abaixo da curva de progresso da doença em 65% e 73%, respectivamente, comparadas ao tratamento controle sem aplicação. Tal redução foi resultado da alteração dos seguintes componentes epidemiológicos: eficiência de infecção, taxa de expansão da colônia, área da colônia, produção de conídios por área colonizada e taxa de progresso da epidemia. Contudo, a aplicação radicular foi mais eficiente que a foliar em atrasar o início da epidemia e em reduzir todos os componentes epidemiológicos, exceto a eficiência de infecção. A maior eficiência do silicato de potássio quando aplicado via raiz decorreu da maior concentração foliar do Si, a qual induziu uma antecipação (efeito priming) e um aumento da intensidade de expressão de mecanismos de defesa, fenômenos que não foram detectados no tratamento foliar. A aplicação radicular resultou na alteração de enzimas envolvidas na produção e catabolismo de espécies reativas de oxigênio, onde foi verificado aumento na atividade das enzimas superóxido dismutases e redução na atividade das enzimas catalasesprincipalmente nas primeiras 96 horas após a inoculação. O efeito priming também foi observado para as enzimas peroxidases, 1,3(4)-glucanases e quitinases e para o acúmulo de compostos fenólicos. Neste tratamento também ocorreu aumento na concentração de lignina em resposta à inoculação, contudo a concentração de malondialdeído foi reduzida, indicando que o Si aplicado nesta forma aliviou o estresse oxidativo sobre os lipídeos das membranas celulares da planta. Por outro lado, quando o silicato de potássio foi aplicado via foliar apenas a deposição de lignina aumentou comparado ao tratamento controle. Assim, depreende-se que os mecanismos de atuação do Si no controle da doença quando aplicado nesta forma, são distintos e envolvem, segundo a literatura, a formação de uma barreira físicoquímica sobre a cutícula resultado da polimerização do silicato de potássio. Tomados em conjunto, os resultados deste estudo evidenciaram que o Si tem papel ativo na modulação do sistema de defesa da planta, mas que sua efetividade depende de sua presença na forma solúvel no interior da planta, obtido por meio de sua absorção via raiz. Não obstante, os efeitos do silicato de potássio aqui relatados permitem concluir que a incorporação do produto a um sistema de manejo integrado, principalmente se fornecido via sistema radicular, terá efeitos positivos tanto na redução da epidemia de oídio como no meio ambiente, neste caso em função da redução no uso de fungicidas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.01.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500117926t635.61 D144e e.2 98381
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DALLAGNOL, Leandro José; CAMARGO, Luis Eduardo Aranha. Epidemiologia e bioquímica do controle do oídio do meloeiro por silício. 2011.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-10022011-171157/ >.
    • APA

      Dallagnol, L. J., & Camargo, L. E. A. (2011). Epidemiologia e bioquímica do controle do oídio do meloeiro por silício. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-10022011-171157/
    • NLM

      Dallagnol LJ, Camargo LEA. Epidemiologia e bioquímica do controle do oídio do meloeiro por silício [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-10022011-171157/
    • Vancouver

      Dallagnol LJ, Camargo LEA. Epidemiologia e bioquímica do controle do oídio do meloeiro por silício [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-10022011-171157/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: