Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Arqueomagnetismo no Brasil :: variações da intensidade do campo magnético terrestre nos últimos cinco séculos / (2010)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: HARTMANN, GELVAM ANDRE - IAG
  • USP Schools: IAG
  • Subjects: GEOMAGNETISMO; CAMPO MAGNÉTICO; DATAÇÃO ARQUEOLÓGICA
  • Language: Português
  • Abstract: O campo magnético da terra varia em diferentes escalas de tempo, de milissegundos a bilhões de anos. Os dados de observatórios magnéticos e satélites obtidos nos últimos 150 anos indicam que o momento do dipolo magnético terrestre está diminuindo continuamente. Essa queda está associada à presença de fontes não-dipolares do campo em uma extensa região que abrange todo o Atlântico Sul e uma porção da América do Sul, sendo que no Brasil a contribuição dessas fontes varia fortemente com a latitude. Em escala de tempo arqueomagnética ('~10 POT.3- 10 POT.4' anos) a evolução do campo magnético terrestre não é tão bem estabelecida, principalmente em função da escassez de dados no hemisfério sul, que contribui com apenas 5% dos dados de intensidade obtidos para os últimos 4.000 anos. A América do Sul, com alguns poucos resultados no Peru, Equador e Bolivia, pode ser considerada a terra incógnita da arqueointensidade. Nesta tese são apresentados os primeiros resultados arqueomagnéticos para o território brasileiro. Foram escolhidas duas regiões de estudo, o Nordeste e o Sudeste do Brasil, situadas em diferentes faixas de latitude de modo a investigar diferentes contribuições de componentes não-dipolares do campo. No Nordeste, as amostras foram coletadas na cidade de Salvador (BA), a primeira capital do Brasil, fundada em 1549 AD. Na região Sudeste a amostragem foi efetuada nas cidades de Anchieta (ES), Rio de Janeiro (RJ), Niterói (RJ), Iperó (SP), Piracicaba (SP) e Botucatu (SP). Nas duas regiões, a paleointensidade do campo magnético terrestre foi obtida em materiais construtivos (tijolos e alguns fragmentos de telhas) datados entre 1550 AD e 1920 AD. As idades desses materiais foram estabelecidas com base em estudos arqueológicos e registros históricos das construções, fornecendo incertezas inferiores a 30 anos para a grande maioria das amostras. As paleointensidades foram estimadas utilizando-se (Continuação)(Continua) dois métodos: (a) duplo aquecimento com medidas em temperatura ambiente, pelo protocolo de Thellier modificado por Coe; (b) duplo aquecimento com medidas contínuas em alta temperatura, pelo protocolo Triaxe. Após as medidas e correções magnéticas, todas as amostras foram analisadas com base em rigorosos critérios de seleção, que resultaram em 23 novas determinações de intensidade de alta qualidade (correspondendo a um total de 584 espécimes analisados, com uma taxa de sucesso de 57%). A partir desses resultados foram traçadas duas curvas de variação da in tensidade do campo magnético para cada uma das regiões estudadas, abrangendo os últimos 500 anos. Essas curvas revelam uma oscilação do momento de dipolo nos últimos cinco séculos, que não foi prevista nos modelos de campo disponíveis atualmente, trazendo implicações importantes no entendimento da evolução dos campos dipolar e não-dipolar nessa escala de tempo. As variações rápidas descritas nessas curvas permitem aplicar o arqueomagnetismo como ferramenta de datação arqueológica, como exemplificado pela datação de uma casa do Pelourinho em Salvador.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.11.2010

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IAG30200025610CD-ROM 810 ERRATA
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HARTMANN, Gelvam André; TRINDADE, Ricardo Ivan Ferreira da. Arqueomagnetismo no Brasil :: variações da intensidade do campo magnético terrestre nos últimos cinco séculos /. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo,, 2010.
    • APA

      Hartmann, G. A., & Trindade, R. I. F. da. (2010). Arqueomagnetismo no Brasil :: variações da intensidade do campo magnético terrestre nos últimos cinco séculos /. Universidade de São Paulo, São Paulo,.
    • NLM

      Hartmann GA, Trindade RIF da. Arqueomagnetismo no Brasil :: variações da intensidade do campo magnético terrestre nos últimos cinco séculos /. 2010 ;
    • Vancouver

      Hartmann GA, Trindade RIF da. Arqueomagnetismo no Brasil :: variações da intensidade do campo magnético terrestre nos últimos cinco séculos /. 2010 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: