Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Anisotropia magnética e de forma de diques clásticos da formação Corumbataí, permiano da bacia do Paraná / (2010)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CATELANI, EDGARD LENK - IAG
  • USP Schools: IAG
  • Subjects: GEOMAGNETISMO; DIQUES
  • Language: Português
  • Abstract: A formação da trama em diques clásticos da formação Corumbataí (permiano da bacia do Paraná) foi estudada utilizando as técnicas de anisotropia de susceptibilidade magnética (ASM), anisotropia de remanência magnética (ARM) e analise de anisotropia de forma (SPO). Essas técnicas foram utilizadas com o intuito de inferir a orientação de fluxo dos clastos nos diques, discriminar os diferentes modos de formação dessas estruturas (preenchimento por injeção ou preenchimento passivo), bem como os efeitos de compactação pós-deposicional. Foram estudados afloramentos cinco afloramentos situados no interior de São Paulo: (i) Rodovia dos Bandeirantes (km 161,5) próximo à cidade de Limeira, (ii) Batovi, (iii) Santa Luzia, (IV) Torre de Pedra e (v) Piracicaba. Os diques clásticos apresentam espessura entre 5 cm e 70 cm e estão encaixados em argilitos e siltitos de coloração avermelhada, sendo limitados a alguns intervalos estratigráficos e por vezes apresentam estruturas de intrusão no topo . Sua ocorrência está fortemente controlada pela zona de cisalhamento de Jacutinga, que secciona o embasamento da bacia em sua porção nordeste. A trama magnética dada pela ASM é dominantemente oblata e a foliação é sempre horizontal, definida por eixos de anisotropia mínima (K3) verticais. Atrama encontrada pela ARM e SPO apresenta resultados semelhantes à de ASM para um conjunto de diques (Rodovia dos Bandeirantes, Batovi e um dos diques de Santa Luzia), enquanto outro conjunto mostra resultados contrastantes, com foliação magnética de ARM e foliação de forma de SPO fortemente inclinada a vertical. O contraste entre a trama de ASM e as tramas de ARM e de SPO é interpretado como resultado da diferença de comportamento dos marcadores durante a compactação (estimada entre 14% e 36% no afloramento da Rodovia dos Bandeirantes). A trama da ASM, dada por argilominerais e, em menor proporção, hematita sofre rápido (Continuação)(Continua) alinhamento durante a compactação. As tramas de ARM e SPO, controladas pelos grãos de magnetita detrítica e quartzo, respectivamente, são mais robustas e sofrem completa re-orientação somente em parte dos diques. Os dados obtidos nos diques clásticos da formação Corumbataí mostram que a utilização de técnicas de anisotropia para a determinação do modo de preenchimento de diques clásticos deve ser feita com cuidado.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.09.2010

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IAG30200025619AGG 211 C357a
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CATELANI, Edgard Lenk; TRINDADE, Ricardo Ivan Ferreira da. Anisotropia magnética e de forma de diques clásticos da formação Corumbataí, permiano da bacia do Paraná /. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo,, 2010.
    • APA

      Catelani, E. L., & Trindade, R. I. F. da. (2010). Anisotropia magnética e de forma de diques clásticos da formação Corumbataí, permiano da bacia do Paraná /. Universidade de São Paulo, São Paulo,.
    • NLM

      Catelani EL, Trindade RIF da. Anisotropia magnética e de forma de diques clásticos da formação Corumbataí, permiano da bacia do Paraná /. 2010 ;
    • Vancouver

      Catelani EL, Trindade RIF da. Anisotropia magnética e de forma de diques clásticos da formação Corumbataí, permiano da bacia do Paraná /. 2010 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: