Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Efeito da doxiciclina nas alterações vasculares de ratos espontaneamente hipertensos (2010)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ANTONIO, RAQUEL CARROS - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: METALOPROTEINASES; ESTRESSE OXIDATIVO; FÁRMACOS (SISTEMA CARDIOVASCULAR)
  • Language: Português
  • Abstract: A hipertensão arterial provoca alterações morfológicas e funcionais na vasculatura. Metaloproteinases da matriz extracelular (MMPs) são endopeptidases dependentes de cálcio e zinco que degradam a matriz extracelular, apresentam papel importante em várias doenças cardiovasculares, inclusive na hipertensão. Aumento na atividade das MMPs pode levar à degradação das proteínas da matriz extracelular, contribuindo para alterações nos vasos sanguíneos durante hipertensão. Desta forma, os objetivos deste trabalho foram 1) Comparar a espessura das aortas, a atividade gelatinolítica total, a expressão de MMP-2 e atividade de espécies reativas de oxigênio em SHR e normotensos WKy; 2) Verificar se o tratamento com doxiciclina altera a pressão arterial sistólico em SHR; 3) Verificar se o tratamento com doxiciclina altera a hipertrofia de aortas em SHR; 4) Verificar se o tratamento com doxiciclina altera a atividade gelatinolítica total e a quantidade e/ou atividade de MMP-2 na aorta de SHR; 5) Verificar se o tratamento com doxiciclina altera a atividade de EROs em SHR. Animais nomotensos WKy e SHR foram tratados com o veículo ou doxiciclina (30mg/kg/dia), gavagem, por cinco semanas. A PAS foi monitorada semanalmente por pletismografia de cauda. Após o tratamento, os animais foram sacrificados e a aorta de cada animal foi submetida às seguintes análises: a) análise morfológica incluindo área de secção transversal, razão média/lúmen e medida dos diâmetros interno e externo; b) dosagem de proteína pelo método de Bradford e zimografia em gel; c) zimografia in situ; d) imunofluorescência para MMP-2 e e) EROs in situ. O tratamento com doxiciclina reduziu a hipertensão arterial (SHR= 194± 2mmHg versus SHR+Doxi= 166± 1 mmHg p<0,05). O tratamento com doxiciclina levou à diminuição da atividade gelatinolítica total e EROs na camada média e intima das aortas, mas não reduziu o remodelamento vascular na aorta dos animaistratados. O conjunto dos nossos resultados indica que a doxiciclina, reduz a PAS, a atividade gelatinolitica, particularmente da MMP-2, no entanto não altera o remodelamento vascular nas aortas de SHR
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.11.2010

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200056630Antonio, Raquel Carros
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANTONIO, Raquel Carros; GERLACH, Raquel Fernanda. Efeito da doxiciclina nas alterações vasculares de ratos espontaneamente hipertensos. 2010.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2010.
    • APA

      Antonio, R. C., & Gerlach, R. F. (2010). Efeito da doxiciclina nas alterações vasculares de ratos espontaneamente hipertensos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Antonio RC, Gerlach RF. Efeito da doxiciclina nas alterações vasculares de ratos espontaneamente hipertensos. 2010 ;
    • Vancouver

      Antonio RC, Gerlach RF. Efeito da doxiciclina nas alterações vasculares de ratos espontaneamente hipertensos. 2010 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: