Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Modelagem da dinâmica da paisagem do parque estadual da Ilha Anchieta (PEIA), Ubatuba, SP: subsídios para o plano de restauração (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ARANHA, LEANDRO BAPTISTA - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LCF
  • Subjects: ÁREAS DE CONSERVAÇÃO; GEOPROCESSAMENTO; PLANTAS INVASORAS; PARQUES ESTADUAIS (RESTAURAÇÃO); SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA
  • Language: Português
  • Abstract: O Parque Estadual da Ilha Anchieta PEIA, criado em 1977 na ilha de mesmo nome, é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral muito visitada por turistas de todo o Brasil e do mundo por sua rica história e beleza cênica. Localizado no sudeste do Brasil, no município de Ubatuba, litoral norte do Estado de São Paulo, possui 828ha de área e está inserido nos domínios da Mata Atlântica. Em virtude do longo e intenso processo de ocupação humana da Ilha Anchieta que datam de tempos remotos, vastas áreas degradadas permanecem até os dias de hoje. Uma combinação de fatores históricos e características da paisagem e do relevo da ilha contribuíram para a atual situação. Através de técnicas de geoprocessamento, principalmente modelagem dinâmica da paisagem em sistemas de informação geográfica e de um banco de dados geoespaciais, analisou-se a dinâmica desses ambientes degradados a fim de entender seu comportamento nos últimos 35 anos (de 1973 até 2008) e subsidiar um plano de restauração a ser incorporado ao Plano de Manejo. Projeções de cenários futuros para os anos de 2029 e 2043 foram essenciais para mostrar que sem intervenções humanas esses ambientes degradados assim permaneceriam. Os três principais ambientes degradados são: campos de miconia, moita antropogênica de samambaia 1 (Gleichenella pectinata) e moita antropogênica de samambaia 2 (Dicranopteris flexuosa). O entendimento da dinâmica das áreas degradadas e do processo de regeneração natural foi determinante para identificar as trajetórias assumidas por esses ambientes e os fatores limitantes para o processo de sucessão secundáriaAo identificar os limiares a serem ultrapassados para desencadear os processos ecológicos que mantém a comunidade vegetal, foi possível sugerir as estratégias de restauração florestal. Nos três ambientes degradados o processo ecológico que foi perdido e necessita ser restaurado é o estabelecimento, a regeneração natural tem um potencial enorme devido à matriz florestal da ilha, mas as plântulas não conseguem se estabelecer e desenvolver-se em novos indivíduos adultos. Nas moitas de samambaias o principal fator limitante para o estabelecimento é a barreira físico-química que as pteridófitas exercem. Além de serem alelopáticas, atingem alturas superiores a 2,0m e formam adensamentos que dificultam o desenvolvimento de outras plantas. A estratégia de restauração para esses ambientes é o controle das samambaias e condução dos regenerantes. A dinâmica da paisagem mostrou que as moitas tem comportamentos distintos, sendo a moita 1 mais agressiva. Esta se expande em taxas altas sobre os outros ambientes. O agravante é que esse é o ambiente menos permeável para a floresta. Já a moita 2 permite maiores taxas de regeneração da floresta, apesar de ser muito lento o processo. Os campos de miconia perderam a resiliência devido às péssimas condições edáficas. O solo exposto sem a proteção da vegetação foi sendo erodido, compactado e lixiviado. Atualmente apresenta altos teores de alumínio e baixa matéria orgânica, dificultando o estabelecimento dos regenerantes. Nesses ambientes a estratégia para restaurar o restabelecimento é a correção e proteção do solo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.02.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500118090t333.72 A662m e.2 98684
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ARANHA, Leandro Baptista; RODRIGUES, Ricardo Ribeiro. Modelagem da dinâmica da paisagem do parque estadual da Ilha Anchieta (PEIA), Ubatuba, SP: subsídios para o plano de restauração. 2011.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-17032011-152038/ >.
    • APA

      Aranha, L. B., & Rodrigues, R. R. (2011). Modelagem da dinâmica da paisagem do parque estadual da Ilha Anchieta (PEIA), Ubatuba, SP: subsídios para o plano de restauração. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-17032011-152038/
    • NLM

      Aranha LB, Rodrigues RR. Modelagem da dinâmica da paisagem do parque estadual da Ilha Anchieta (PEIA), Ubatuba, SP: subsídios para o plano de restauração [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-17032011-152038/
    • Vancouver

      Aranha LB, Rodrigues RR. Modelagem da dinâmica da paisagem do parque estadual da Ilha Anchieta (PEIA), Ubatuba, SP: subsídios para o plano de restauração [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-17032011-152038/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: