Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Validação da avaliação subjetiva de fragilidade em idosos no município de São Paulo: estudo SABE (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NUNES, DANIELLA PIRES - FSP
  • USP Schools: FSP
  • Subjects: SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE (TESTES); SAÚDE DO IDOSO (AVALIAÇÃO); SUBJETIVIDADE (INSTRUMENTOS;MÉTODOS DE AVALIAÇÃO); PSICOMETRIA (AVALIAÇÃO); ATIVIDADES COTIDIANAS (QUALIDADE); ESTUDOS TRANSVERSAIS
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: A avaliação de fragilidade requer medidas mensuniveis de alguns criterios. Em nosso meio, sabe-se que a utilização destas medidas, em larga escala, nao sera facilmente operacionalizada por dificuldades logisticas. Diante disso, estuda-se a possibilidade de identificação da sindrome de fragilidade por meio de questoes subjetivas. Objetivo: Validar componentes subjetivos para avaliação de fragilidade. Metodo: Este estudo e parte do Estudo SABE - Saude, Bem-estar e Envelhecimento, realizado no municipio de Sao Paulo, Brasil. Trata-se de urn corte transversal, com 433 idosos (idade 2: 75 anos), em 2009. Foi adotado 0 Fen6tipo de fragilidade proposto por Fried e colaboradores como padrao-ouro (avaliando objetivamente 5 criterios: perda de peso nao intencional, fadiga relatada, redução da força de preensao, redução da velocidade de caminhada e baixa atividade fisica). Neste modele, 0 idoso com urn ou dois componentes foi considerado fragil, e com tres ou mais era fragil. A avaliayao subjetiva foi realizada por meio de quest5es dicotomicas referentes a cada componente. Calculou-se confiabilidade, sensibilidade, especificidade e valores preditivos positive e negativo, para analise psicometrica da avaliação subjetiva. Resultados: A avaliayao subjetiva e confiavel e valida. Para os idosos classificados como pre-frageis a sensibilidade foi de 89,7 por cento e especificidade de 24,3 por cento; enquanto para os frageis, a sensibilidade foi de 63,2 por cento e especificidade de 71,6 por cento. Ao analisar 0 processo de fragilizayao (pre-fragil+fragil) quase 90 por cento dos idosos frageis foram detectados na avaliayao subjetiva, 85,2 por cento foram preditos positivamente e 32,7 por cento foram preditos negativamente. Conc1usao: A avaliayao subjetiva de fragilidade e uma boa ferramenta para identificar processo de fragilidade em idosos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.02.2011
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FSP1180004900CDR-638
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NUNES, Daniella Pires; DUARTE, Yeda Aparecida de Oliveira. Validação da avaliação subjetiva de fragilidade em idosos no município de São Paulo: estudo SABE. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6132/tde-08042011-152048/pt-br.php >.
    • APA

      Nunes, D. P., & Duarte, Y. A. de O. (2011). Validação da avaliação subjetiva de fragilidade em idosos no município de São Paulo: estudo SABE. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6132/tde-08042011-152048/pt-br.php
    • NLM

      Nunes DP, Duarte YA de O. Validação da avaliação subjetiva de fragilidade em idosos no município de São Paulo: estudo SABE [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6132/tde-08042011-152048/pt-br.php
    • Vancouver

      Nunes DP, Duarte YA de O. Validação da avaliação subjetiva de fragilidade em idosos no município de São Paulo: estudo SABE [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6132/tde-08042011-152048/pt-br.php